Rodoviária de BH completa 50 anos de idas e vindas

Por Sou BH
Imagens Divulgação


No dia 9 de março de 1971, uma terça-feira, era inaugurado no Centro de Belo Horizonte o Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro. Na época, era o maior e mais moderno terminal rodoviário da América Latina. Fato que foi superado em 1982 com a entrada em operação do Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo. Nesta terça-feira (9), a Rodoviária de BH, como é chamada pela população, completa meio século de chegadas, partidas, encontros, histórias e conexões. No mês passado, a Rodoviária de BH ganhou um site com notícias, serviços, horários de ônibus e contatos das empresas de transporte que atuam no terminal.

Em condições normais, a Rodoviária é responsável pelo transporte de aproximadamente 10 milhões de passageiros por ano. Desde o início da pandemia de covid-19, há um ano, o fluxo teve queda expressiva, ficando em torno de 80%. A administração orienta que, durante este período, apenas quem for viajar entre no local. O uso de máscaras, durante toda a permanência no terminal e no interior dos ônibus, também é imprescindível, assim como manter o distanciamento adequado. A Rodoviária tem adotado várias medidas preventivas e educativas, para garantir o bem-estar dos usuários.

O prédio, arquitetado por modernistas como Walter Machado, Fernando Graça, Francisco Espírito Santo e Luciano Passini e construído por equipe de engenheiros do Departamento de Estradas e Rodagem (DER/MG), recebeu o prêmio da 1ª Bienal de Arquitetura no ano de sua inauguração. Em 1994, a fachada e o volume do edifício foram tombados pela Secretaria Municipal de Cultura.

Idas e vindas 

Historicamente, os principais destinos e chegadas de passageiros são: São Paulo; Rio de Janeiro; Aeroporto de Confins; os municípios mineiros de Divinópolis, Governador Valadares, Conselheiro Lafaiete, Itabira, Montes Claros, Ipatinga, Teófilo Otoni, Itaúna, João Monlevade, Viçosa, Juiz de Fora, Santa Bárbara, Caratinga; além das cidades de Guarapari e Vitória no Espirito Santo e Brasília (DF).

Antes do prédio atual

A primeira Estação Rodoviária do Brasil foi inaugurada, em junho, atrás da Feira de Amostras, de frente para a Avenida do Contorno, em Belo Horizonte. O local era um prédio de dois andares com uma pista coberta por marquise, onde havia espaço para dez ônibus. Em meados dos anos 60, entretanto, a grande demanda por embarques e desembarques, impulsionada pelo crescimento da capital mineira, implicou a necessidade de construção de um Terminal com maior estrutura e capacidade de atendimento.

Foi então que, em 1965, o Governo do Estado de Minas Gerais, à época comandado por Israel Pinheiro, deu ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER) a incumbência de executar a demolição da feira de amostras, local que deu espaço à atual Rodoviária, denominada Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro. As obras foram finalizadas em dois anos, inaugurando-se, em 9 de março de 1971, o complexo arquitetônico formado por oito plataformas de embarque (com capacidade para operar, simultaneamente, até 48 partidas) e sete de desembarque (comportando 14 chegadas simultâneas).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Repasses de Busscar da UTIL para a Brisa Ideale 1440 da Paraíba Turismo Paradiso DD da Itabus Ideale da VIX Logística Paradiso DD da Fabbitur Paradiso DD da Martinele Transportes Ideale da Tursan Turismo Comil Svelto da Viper Transportes Cidades com Tarifa Zero O CAIO Amélia na Transnacional