Os Citmax da Metro

Por Ônibus Paraibanos
Imagens Paulo Rafael Viana / JC Barboza


No final de 2013, uma portaria do DER determinou a renovação de frota das empresas metropolitanas sob pena de cassação da concessão. A determinação foi feita após um acidente envolvendo um ônibus da Rodoviária Santa Rita, que teve vítimas fatais e abriu discussão sobre a questão da idade e conservação dos ônibus que fazem as linhas metropolitanas de João Pessoa.

Com isso, as empresas tiveram que renovar a frota, e aproveitaram para renovar suas marcas. A Wilson virou Metro e absorveu ainda a Almeida, que não conseguiu atender a determinação do DER e fechou em fevereiro de 2014.

Em janeiro de 2014, entrava em operação os quatro primeiros ônibus da Metro, cumprindo a renovação exigida pelo DER – Departamento de Estradas e Rodagem e Ministério Público da Paraíba.

Desses quatro ônibus que começaram a rodar, dois deles eram do modelo Citmax da extinta encarroçadora fluminense Ciferal. A empresa baienense trouxe 10 unidades do modelo, todos oriundos da empresa pernambucana Borborema Imperial Transportes, fabricados em 2006 e montados sobre o chassi OF-1722M da Mercedes-Benz.

Seis deles compuseram a frota que deu início a Viação Atalaia Transportes em Aracaju, Sergipe.

Veja os prefixos e a origem de cada um dos Citmax da Metro.

5507 – EX 636 da Borborema
5510 – EX 676 da Borborema e 6029 da Atalaia
5511 – EX 638 da Borborema
5512 – EX 641 da Borborema
5516 – EX 635 da Borborema
5520 – EX 637 da Borborema e 6022 da Atalaia
5521 – EX 634 da Borborema e 6021 da Atalaia
5523 – EX 674 da Borborema e 6027 da Atalaia
5526 – EX 645 da Borborema e 6023 da Atalaia
5529 – EX 675 da Borborema e 6028 da Atalaia

Em setembro de 2016, o primeiro Citmax da Metro foi substituído. Deu lugar a um Senior Midi da Marcopolo montado sobre o chassi OF-1418 da Mercedes-Benz. O veículo era o antigo 08128 da Reunidas Cabedelo.

Mais quatro desses Citmax, seriam substituídos três anos após a chegada deles. Foram eles: 5507, 5512, 5521 e 5523. No seu lugar entraram Viales adquiridos da Viação Galo Branco, de São Gonçalo-RJ.

O 5511 foi achado na cidade de Mari, no interior paraibano, já sem motor. O destino dos demais é ignorado.





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.