Lava Jato: PF mira esquema de propina no transporte público do Rio

Força-tarefa identificou o pagamento de pelo menos R$ 260 milhões a políticos do estado.

Por Metrópoles
Imagem JC Barboza

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) realizam na manhã desta quinta-feira (30/7) a Operação Ponto Final, mais uma etapa da Lava Jato no Rio de Janeiro, contra o pagamento de propina no transporte público.

Um dos endereços alvo da operação é a sede da Viação Costa Verde, em Bonsucesso. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

De acordo com as investigações, que tiveram início em 2017, a força-tarefa identificou o pagamento de ao menos R$ 260 milhões em propina a políticos do estado.

Um dos suspeitos mantém uma conta em banco na Holanda, de acordo com as investigações. O valor acumulado teria sido obtido por meio de propina para beneficiar empresários do transporte entre 2010 e 2016.

Em 2017, na primeira fase da Operação Ponto Final, Jacob Barata Filho foi preso. Ele é um dos principais empresário do setor de transporte no estado.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.