Funcionários de empresa de ônibus protestam na porta da garagem em Alagoas

Manifesto por direitos trabalhistas conta também com profissionais demitidos; assembleia acontece no início desta manhã.

Por Gazeta Web
Imagens Divulgação

Funcionários da Veleiro realizam, na manhã desta quinta-feira (30), em Rio Largo, uma manifestação para cobrar o pagamento de salários atrasados e outros benefícios que, segundo eles, não estão sendo repassados pela empresa. Os colaboradores estão à porta da Veleiro – com faixas -, onde aguardam a realização de uma assembleia, que estava marcada para começar às 07h. Alguns ônibus tentaram sair da garagem, mas foram barrados por alguns trabalhadores da empresa.

Participam do ato funcionários da parte administrativa, rodoviários, cobradores, dentre outros profissionais. De acordo com os trabalhadores, mais de 170 funcionários foram demitidos e, há cinco meses, tentam receber os seus direitos, a exemplo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e o PIS (Programa Integração Social).

“Há tentativas para que esse impasse, que já vem se arrastando há um bom tempo, seja resolvido. É atraso de salário, dificuldades da empresa de cumprir o pagamento do mês, dentre outros fatores. Por isso, existe toda uma revolta por parte do sindicato. Ontem, no entanto, foi decidido, através do sindicato, que eles iam impedir que os ônibus saíssem hoje, pela parte da manhã, para que haja uma assembleia, a fim de resolver os problemas”, explicou o tenente-coronel Felipe Lins, comandante do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), em entrevista à Rádio 98 FM.

Por meio de nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Alagoas (Sinttro/AL) comunicou que os ônibus da empresa, que realizam o transporte intermunicipal de passageiros no itinerário Rio Largo/Maceió, deverão começar a sair da garagem às 8h.

“Os coletivos, que costumam sair por volta das 4h, deverão começar a sair às 8h, em função de uma assembleia na porta de garagem e que discutirá questões emergenciais relacionadas aos rodoviários e pendências trabalhistas, a exemplo de atraso de salário, ticket-alimentação e outros valores que estão deixando de ser repassados pela empresa Veleiro”, diz trecho da nota.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.