Procurador-geral de João Pessoa solicita junto a CBTU suspensão do serviço de trens

Medida, que será ainda analisada, visa evitar aglomerações e a propagação do novo coronavírus na Região Metropolitana de João Pessoa.

Por Prefeitura Municipal de João Pessoa
Imagem CBTU João Pessoa

Representantes da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e de diversas esferas do Ministério Público se reuniram na tarde desta segunda-feira (11) para discutir efeitos da manutenção do serviço de transporte por trem na disseminação da Covid-19. Na ocasião, o procurador-geral do Município, Adelmar Régis, solicitou formalmente a paralisação dos serviços, uma forma de evitar aglomerações e reduzir a possibilidade de contágio da doença.

A circulação de trens acontece entre as cidades de Cabedelo, João Pessoa, Bayeux e Santa Rita e aproximadamente 1,5 mil pessoas utilizam o serviço diariamente. “Temos nos articulado com outras prefeituras de cidades que compõem a nossa Região Metropolitana e que são atendidas pela CBTU e concordamos que a paralisação do serviço de trens é um ato importante, que vai contribuir com a segurança sanitária”, explicou Adelmar Régis.

Outra alternativa proposta pelo Procurador seria restringir o transporte apenas aos profissionais da rede pública e privada da saúde. O encontro aconteceu por videoconferência e contou com a participação do superintendente do órgão na Capital, Paulo Barreto, além de outros membros do corpo diretor. Ainda participaram integrantes do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público da Paraíba (MPPB).

A demanda, segundo o procurador-geral, foi bem recebida pelo órgão. “O superintendente compreendeu nossa iniciativa e se comprometeu a levar a demanda à administração central do órgão, na esfera federal”, explicou.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.