Scania prêve crescimento em Serviços e Ônibus e apresenta novos executivos

Em Serviços alta deverá ser de 33% e no mercado de Ônibus de 5%

Por Scania
Imagens Divulgação

Com a chegada da Nova Geração de caminhões, em 2019, a área de Serviços da Scania ampliou o uso da conectividade para buscar o aumento da rentabilidade e da disponibilidade dos veículos com soluções ainda mais eficientes. Além de uma série de pioneirismos nos últimos anos, a rede de concessionárias tem comprovado no dia a dia com os clientes os benefícios na oficina e na gestão remota da frota. Esse cenário vai manter a expectativa por mais um exercício de crescimento, prevendo um aumento de 33% no aumento do portfólio (carteira de planos ativos) de programas de manutenção. Atualmente, a rede Scania tem 151 pontos de atendimento (sendo 47 dentro da estrutura dos clientes), que cobrem 100% do território nacional. A frota conectada já está em 30 mil veículos.

A área de Serviços recebe a partir de 2020 um novo diretor. Marcelo Montanha, que comandava a mesma área no México, chega em substituição a Fábio Souza, que assumiu como diretor-geral a Scania África do Sul. “A operação no Brasil é das mais importantes para a Scania, e tem sido um desafio interessante. O trabalho feito pela gestão anterior tornou o mercado muito mais maduro. Agora, vamos continuar avançando ao iniciar um processo de atualização em programas e serviços e reestruturação de ferramentas. Teremos ainda mais novidades para 2020”, afirma Montanha.

O balanço de 2019 para os serviços Scania foi extremamente positivo. O portfólio de Programas de Manutenção Scania (PMS) cresceu 48% em comparação com 2018 (de 10.749 para 15.950 veículos). O revolucionário programa com planos flexíveis, em que o próprio caminhão avisa quando deve parar, representou 47% do portfólio; em 2018 tinha sido de 29%. “O que comprova a maturidade do mercado com esta solução que vem aumentando a rentabilidade do cliente”, salienta o novo diretor.

Já os Serviços Conectados registraram 30 mil veículos ativos num crescimento de 96% sobre 2018. Do total, 94% foram caminhões (28.200) e 6% ônibus (1.800). No mundo, a Scania já possui 432 mil veículos conectados. São duas opções oferecidas com os pacotes Análise (gratuito por 10 anos) e Desempenho (pago e mais completo).

Em 2019, a unidade brasileira atingiu a liderança de pacotes Desempenho no ranking mundial entre os mais de 100 países onde a fabricante atua e comercializa serviços. Foram 15.600 veículos usando ao máximo a conectividade, alta de 353% sobre 2018, o que representou 52% de toda frota ativa. “Os clientes que aderiram ao Desempenho são aqueles que investem porque acreditam no custo-benefício da ferramenta, e também na diminuição de custos como combustível, desgaste de pneus e manutenção, que são consideráveis na vida útil do produto. Cada vez mais, muitos deles também adquirem o pacote com um foco adicional na redução das emissões de CO2, contribuindo diretamente com o meio-ambiente”, analisa Marcelo Montanha.

Otimismo para 2020

Para 2020, a projeção é que 70% dos caminhões novos sejam comercializados com alguma modalidade de PMS inclusa, sendo deste total 80% com planos flexíveis. “Vamos trabalhar ainda mais com a rede para continuar revolucionando o mercado”, planeja o novo diretor. O portfólio de programas de manutenção deverá crescer 33%, alcançando 21 mil veículos. Já nos Serviços Conectados a meta será aumentar 50% da frota ativa (para 45 mil veículos), entre caminhões e ônibus.

Ao longo do ano, a rede Scania vai ganhar 10 novos pontos de atendimento – sendo três abertos ao público e o restante de Serviços Dedicados (estrutura dentro das instalações do cliente), nos estados do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pará e São Paulo. Destaque também para a nova Casa Scania Cotrasa de Ponta Grossa (PR), que será inaugurada no dia 18 de fevereiro. A filial mudou de endereço e ganhou uma estrutura totalmente nova construída dentro dos novos padrões da marca para atender atuais e futuras demandas do mercado, com mais agilidade de atendimento.

Amplo leque de serviços ampliam rentabildade dos clientes

Ciente de que as necessidades do mercado mudam constantemente e na busca por surpreender o cliente, a Scania investe regularmente em atualizações e antecipação de tendências para manter seu portfólio sempre eficiente. A conectividade é a base de tudo. As principais opções oferecidas são a conectividade por meio dos pacotes Análise e Desempenho, Programa de Manutenção Premium Flexível, PMS Fleet Care (com gestor de frota dedicado para a empresa), Serviços Dedicados – estrutura da Casa Scania dentro das instalações do cliente – e Driver Services (treinamento).

Conectividade

O pacote Análise, que é gratuito por 10 anos, oferece relatórios semanais e mensais. Já o Desempenho, que oferece um custo muito competitivo no mercado, permite acompanhamento em tempo real tanto do veículo como da forma de condução, individualmente, e garante um retorno imediato do investimento. Por meio dos Serviços Conectados, os dados são enviados por um módulo (Communicator), instalado de fábrica nos modelos desde 2016. Para veículos a partir de 2012, é possível instalar o sistema, com valor competitivo e atraente.

Os Serviços Conectados são uma maneira inteligente de fazer a gestão da frota e controlar os custos operacionais. Os dados são disponibilizados online para a Scania e sua rede, capilarizada pelo Brasil. Trata-se de um trabalho de apoio para quem usa veículos Scania, reduzindo gastos, aumentando o tempo do veículo rodando e tornando o serviço mais rentável e competitivo.

Planos Flexíveis

Após o sucesso dos planos flexíveis (2017), a Scania aproveitou a Fenatran 2019, em outubro, para apresentar o Programa Premium Flexível, que reduz em até 25% o custo total da manutenção do caminhão. Ele se tornou o mais completo plano oferecido, pois contempla as manutenções preventivas e as corretivas de forma individualizada e personalizada, para garantir a máxima rentabilidade, disponibilidade e confiabilidade operacional da frota. Há contratos de adesão de três, quatro ou cinco anos. O sucesso do Premium Flexível tem sido comprovado com o aumento de 57% na inserção deste produto especificamente nas vendas de PMS.

A cobrança é na preventiva e na corretiva por quilometragem (se não rodou, não paga) e de acordo com faixas de consumo de combustível (se consumiu menos, paga menos). Agora, o cliente é duplamente beneficiado. Além de gastar menos diesel, economiza também nos custos de manutenção. O investimento no Premium Flexível tem preço muito competitivo, e garante a confiabilidade de todo o caminhão. O cliente permanece não tendo risco, e pode planejar seus custos a longo prazo. As condições comerciais são ajustadas no momento da contratação e permanecem inalteradas ao longo do tempo de vigência.

Marcelo Montanha assume a diretoria de Serviços da Scania

Executivo estava comandando a mesma área no México; maior objetivo será a inclusão natural dos serviços como parte essencial numa solução de transporte rentável

A Scania anuncia a chegada de Marcelo Montanha como novo diretor de Serviços para o mercado Brasil, o maior em volumes de peças vendidas dentre todos os países de atuação da marca. Montanha substitui Fábio Souza, que assumiu a diretoria-geral da Scania África do Sul.

Marcelo Montanha ingressou na Scania em novembro de 1999 na área de Engenharia. Em 2008, foi promovido a gerente de vendas de ônibus da Scania na América Latina. Em janeiro de 2015, se tornou gerente de projetos para o desenvolvimento de produtos na região. Em dezembro de 2015, foi convidado para assumir a direção de Serviços da Scania no México. No período de quatro anos desenvolveu ainda mais a rede, especialmente nos Serviços Dedicados (estruturas de atendimento dentro das instalações dos clientes). Mas o maior desafio ainda estava por vir quando foi promovido a diretor de Serviços do Brasil, em dezembro de 2019.

“A operação comercial da Scania no Brasil é das mais importantes para a empresa globalmente. Me sinto muito feliz em regressar ao país à frente da competente equipe de serviços. Trata-se de uma excelente oportunidade de seguir desenvolvendo nossas soluções de maneira muito mais próxima de nossos clientes”, afirma Marcelo Montanha, novo diretor de Serviços da Scania no Brasil. “Com o apoio e determinação da nossa ativa rede de concessionárias, vamos reforçar ainda mais a vocação de atender bem o cliente. Para isso, continuaremos investindo em soluções de serviços inovadoras e que se apoiam em digitalização para promover sustentabilidade, aumentar disponibilidade, baixar os custos de manutenção e melhorar a eficiência energética dos veículos.”

Para 2020, as projeções gerais de Montanha são favoráveis. “Pretendemos aumentar as vendas acompanhando uma evolução importante de crescimento e utilização da frota circulante, mas também expandindo nossa presença nos programas de manutenção e numa maior atração a clientes de frotas de maior idade. Tudo, sempre, com enfoque na rentabilidade de nossos clientes.”

Montanha também enumera objetivos na expansão da rede de concessionárias – em 2020 serão 10 novos pontos –, na continuidade da certificação das Casas Scania, no aumento da venda de programas de manutenção com os veículos novos e incrementando em 50% (chegar a 45 mil) o número de veículos Scania conectados.

Formado em engenharia mecânica pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em 1989, Marcelo Montanha de Oliveira tem 52 anos, é natural de Botucatu (SP), casado e pai de um casal de filhos.

Scania prevê crescimento de 5% no mercado de ônibus em 2020

Operação brasileira fechou 2019 como a segunda maior do mundo dentre todos os países de atuação da marca; vendas do modelo a gás começam no 2º semestre

A Scania mantém a confiança para um desempenho positivo nos ônibus em 2020, e projeta alta de até 5% nas vendas em comparação a 2019, na faixa acima de 8t. A fabricante também prevê o início da comercialização dos chassis a GNV e/ou biometano para o segundo semestre.

“Nossa previsão para 2020 é crescer até 5%. Nos rodoviários algumas incertezas com o movimento de desregulamentação das linhas e a crescente atuação dos aplicativos levará o mercado a uma adaptação ao longo do ano. Esses dois fatores vão provocar o nascimento de um novo jeito de atuação das empresas. Haverá ainda mais concorrência. Por isso, será ainda maior a busca por soluções que aumentem a eficiência e reduzam os custos operacionais da frota. E, a linha Scania oferece as melhores soluções ao cliente”, conta Fábio D´Angelo, novo gerente de Vendas de Ônibus da Scania no Brasil. “Por outro lado, o fretamento deve continuar crescendo, bem como as vendas dos motores traseiros. Nos urbanos, deveremos fazer um volume próximo de 2019.”

“O ano de 2020 começou acelerado. Por isso, já projetamos um aumento de 20% da carteira de pedidos para o primeiro trimestre. Ainda assim, é um otimismo moderado.”

2019: Crescimento acima do mercado nos rodoviários

No acumulado de 2019, na faixa de atuação da Scania (acima de 8 toneladas de capacidade de carga) a indústria emplacou 17.491 unidades contra as 12.808 de 2018, num aumento de 36,6%. A fabricante sueca teve 901 ônibus registrados versus 760 do exercício anterior. “A Scania cresceu 18,6%. Continuamos oferecendo ao cliente a melhor solução que engloba produto, serviços, gestão de frota, conectividade e modalidade financeira”, salienta o novo gerente. A participação de mercado foi de 5,2%. “As 901 unidades emplacadas de 2019 consagraram o Brasil como o segundo maior mercado dentro da Scania.”

Do volume de 901 chassis emplacados, 845 foram de rodoviários (acréscimo de 20,4% sobre os 702 de 2018). A participação foi de 21,2% e a vice-liderança mais uma vez conquistada. O mercado total de rodoviários emplacou 3.980 unidades contra as 3.320 de 2018. Acréscimo de 19,9%. “Crescemos acima do mercado”, diz. Já nos urbanos acima de 8t, a Scania emplacou 56 unidades, sendo 30 unidades do K 250UB 4×2.

No ranking de vendas Scania por modelo, o K 360 4×2 foi o campeão com 305 unidades, um incremento de 53,3% sobre as 199 do ano anterior. “Esse produto é um sucesso. O resultado expressivo está ligado ao processo de renovação de frotas que atuam nas operações de linhas rodoviárias de curtas e médias distâncias, bem como do fretamento, que continua sua recuperação de mercado”, conta o gerente. O segundo foi o K 440 8×2 com 245 produtos, e alta de 107,6% (118). “A Scania continua liderando o segmento 8×2, e sendo a preferida para a configuração de dois pisos (DD ou double decker). Ele oferece a melhor rentabilidade da categoria”. O terceiro foi o K 400 6×2, muito utilizado também no turismo, com 232 produtos e alta de 23,4% (188).

Ônibus GNV e/ou biometano: vendas começam no segundo semestre

A dependência 100% ao diesel fica cada dia mais difícil de ser defendida do ponto de vista da sustentabilidade para melhorar o planeta. As emissões de CO2 contribuem para o aumento da poluição global. A Scania, parceira líder na transição para um setor de transporte mais sustentável, faz parte do problema e trabalha para ser parte da solução na busca por alternativas ao diesel. Neste momento, o ideal para o ‘Aqui e Agora’ no Brasil é o ônibus movido a gás natural veicular (GNV) e/ou biometano, que se enquadra nos três pilares sustentáveis: econômico, social e ambiental.

“A Scania está vivenciando a mudança no transporte de passageiros para o ecossistema da mobilidade ideal: veículos elétricos. É o futuro, certamente. Mas, antes devemos passar pela tecnologia a gás e biometano. Na Europa foi e está sendo assim. Ainda não há viabilidade econômica do ônibus elétrico no Brasil”, afirma D´Angelo.

Neste momento, a Scania segue firme no processo de homologação do ônibus GNV e/ou biometano no Brasil. A homologação depende de três fases: do chassi, da carroceria e do sistema de abastecimento do gás. A etapa do chassi foi finalizada. “Acreditamos que o processo completo esteja aprovado neste primeiro semestre. Enquanto isso, seguimos preparando a linha de produção e fazendo os investimentos necessários na fábrica de São Bernardo do Campo. Prevemos que as vendas comecem no segundo semestre de 2020. Teremos opções urbanas e rodoviárias”, revela.

“Com dezenas de demonstrações feitas desde 2014, já foi comprovada a viabilidade na comparação ao diesel. Levando em conta os atuais preços praticados dos dois combustíveis, a redução do custo por quilômetro rodado pode ser de até 20%”, conta Fábio D´Angelo. “As consultas não param, e temos certeza do potencial de vendas e da cadeia sustentável que está sendo criada. Os operadores urbanos, de linhas rodoviárias e os órgãos gestores buscam uma alternativa viável ao diesel. Eles estão abertos a conhecer, e estamos dispostos a apresentar.”

A linha urbana vai oferecer três modelos: K 280 4×2 (de 12,5 a 13,20 metros e capacidade de 86 a 100 passageiros), K 280 6×2 (15 metros, terceiro eixo direcional e capacidade para até 130 passageiros) e o articulado K 320 6×2/2, de 18,6 metros e capacidade para 160 ocupantes. Na nova linha não são necessárias alterações significativas nos projetos das carrocerias. As instalações dos cilindros de gás podem ser feitas entre as longarinas do chassi (abaixo do assoalho) ou sobre o teto. Os motores já serão Euro 6 (o Brasil está no Euro 5). A autonomia será de 300 km. Caso seja necessária uma autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros.

Para a linha rodoviária, no primeiro momento o foco será no fretamento e linhas de pequenas distâncias na versão 4×2. “As outras opções chegarão com o aumento da demanda. Os investimentos são para médio e longo prazo”, conclui Fábio D´Angelo.

Fábio D´Angelo é o novo gerente de Vendas de Ônibus da Scania

Executivo natural de São Paulo assume o segundo maior mercado da Scania no mundo; cenário desafiador motiva as ações em parceria com os clientes e a rede

A Scania nomeou Fábio D´Angelo para assumir a gerência das vendas de ônibus para o mercado Brasil, o segundo maior em volumes dentre todos os países de atuação da fabricante sueca. D´Angelo assume no lugar de Alan Frizeiro que foi transferido para as vendas de caminhões.

Fábio D´Angelo ingressou na Scania em setembro de 2007 na Área de Motores Industriais e Marítimos. Iniciou como responsável pelo desenvolvimento do segmento de geração de energia como gerente de contas estratégicas e suporte às unidades de negócio da Scania na America Latina. Em maio de 2013, foi promovido a gerente de vendas na América Latina cuidando da gestão estratégica e comercial de todo o portfólio na região. Em janeiro de 2016, foi convidado para comandar o mercado brasileiro, que crescia em oportunidades. Na função de gerente de vendas Brasil colocou em prática uma revolução no modo da gestão comercial, da atuação da rede de concessionárias, explorou novos nichos e elevou a relação de parceria com os clientes. Ficou no cargo até o primeiro semestre de 2019. Ao longo do ano passado foi acumulando experiências ao assumir como gerente de Vendas de Ônibus.

“É um privilégio trabalhar em uma empresa conhecida por ser referência mundial em soluções de transporte para a mobilidade. Estar à frente do segundo maior mercado de ônibus da Scania é um enorme desafio. Desde que assumi continuo muito motivado, pois oferecemos ao cliente as melhores opções do mercado. Nosso objetivo continuará sendo apoiar o cliente em tudo o que precisar com as soluções ideais para aumentar a eficiência operacional da frota”, afirma D´Angelo.

Fábio D´Angelo chegou num momento de transição do mercado de ônibus e está confiante com os desafios para os próximos anos. “A Scania está vivenciando uma mudança fundamental no que se refere ao transporte de passageiros para o ecossistema da mobilidade ideal: veículos elétricos. Este é o futuro, certamente. Mas, antes devemos passar pela tecnologia movida a gás e biometano no Brasil. A viabilidade econômica do ônibus elétrico ainda é questionável para a realidade brasileira”, afirma. “As grandes cidades estão se preparando para o futuro, e todas as formas de transporte deverão se ajustar às metas necessárias de redução global de carbono, como firmado no Acordo de Paris. A Scania é e será uma parceira incansável ao lado do cliente.”

“No mercado brasileiro, estamos iniciando um caminho para mostrar aos clientes a importância de usarem veículos mais sustentáveis no transporte de passageiros. É um caminho sem volta. Temos a previsão de iniciar as vendas e entregas dos ônibus movidos a GNV e/ou biometano no segundo semestre de 2020. Será uma nova era para as operações dos clientes. É um dos maiores desafios da minha gestão, e sabemos o quanto nossa solução é a ideal.”

Formado em engenharia elétrica pela Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), em 2001, Fábio D´Angelo tem pós-graduação em administração de empresas pelo Centro Universitário UNIFEI, em 2004. Com 41 anos, natural de São Paulo, é casado e pai de um casal de filhos.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.