Proposta do consórcio é aumento de 7,07% na tarifa de ônibus no Grande Recife, diz secretário

Fonte: G1 Pernambuco
Fotos JC Barboza

O Grande Recife Consórcio de Transporte propõe um aumento de 7,07% no valor da passagem de ônibus na Região Metropolitana do Recife. Se esse reajuste for aprovado, o Anel A passa de R$ 3,20 para R$ 3,45; o Anel B de R$ 4,40 para R$ 4,70 e o Anel G de R$ 2,10 para R$ 2,25, além de ser extinto o Anel D, com suas quatro linhas passando a integrar o Anel A.

As informações foram repassadas, nesta terça (22), pelo secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco, Marcelo Bruto; e pelo diretor de operações do consórcio, André Melibeu. A definição do reajuste acontece após uma votação durante a reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano, que ocorre na manhã da sexta (25).

“Como presidente do conselho, eu voto apenas se ocorrer empate na votação durante a reunião”, afirmou o secretário. A proposta aprovada na ocasião é encaminhada para validação da Agência Estadual de Regulação de Serviços Delegados de Pernambuco (Arpe) e a tarifa reajustada começa a valer a partir da meia-noite do domingo (27).

O último aumento na passagem de ônibus aconteceu em janeiro de 2017. A ausência de reajuste tarifário em 2018 levou o Recife a ter o segundo menor valor de passagem de ônibus do Nordeste, considerando-se o Anel A. A capital pernambucana fica atrás apenas de São Luís, onde a tarifa mais barata custa R$ 3,10.

De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transporte, o reajuste de 7,07% na tarifa de ônibus tem, entre outros objetivos, possibilitar a renovação da frota de coletivos. Caso a proposta de aumento seja aprovada, a previsão do órgão é trocar 655 ônibus com vida útil acima do previsto.

Outra proposta

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) apresentou uma proposta de reajuste de 16,18% na tarifa de ônibus na Região Metropolitana do Recife para o ano de 2019. Caso seja aprovada, a passagem do Anel A sobe de R$ 3,20 para R$ 3,70.

Por meio de nota, a Urbana-PE afirmou que esse percentual de aumento considera “a atualização dos valores dos custos envolvidos na atividade e de forma a atenuar os impactos da redução da demanda ocorridos no setor”. Disse, ainda, que esse reajuste é “urgente de forma a evitar o iminente colapso dos serviços”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.