Superintendente da STTP é contra reajustar para R$ 3,41 a passagem de ônibus em CG

De Click PB
Imagem José Júnior

DSC02749

O valor das passagens no transporte coletivo em Campina Grande poderá sofrer um reajuste para até R$ 3,41 após reunião marcada para as 16h desta terça-feira (23) do Conselho Municipal de Transportes. Embora esse seja o valor proposto pelos empresários, o superintendente de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), Félix Neto, disse em entrevista ao ClickPB na tarde desta segunda-feira (22), que o preço estipulado pela planilha técnica não deve ultrapassar R$ 3,30, já levando em conta o aumento da gasolina e o desvio de coletivos. Atualmente, o valor da tarifa é de R$ 3,00 em Campina.

Félix  chamou a atenção para a responsabilidade do Conselho Municipal de Transportes, que terá a palavra final no reajuste, proposto pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Campina Grande (Sitrans) à Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) no valor de R$ 3,41.

“Espero que o Conselho siga a proposta da STTP e não a dos empresários”, explicou o superintendente. Hoje, quem define a tarifa é o Conselho, com representantes da FIEP, Câmara de Vereadores, taxistas, mototaxistas, empresários de ônibus, clube de mães, UCES, estudantes, aposentados e o sindicato rural.

“A responsabilidade do conselheiro hoje é muito grande. O prefeito não tem mais poder para diminuir a tarifa aprovada pelo conselho. Então se o conselho aprovar amanhã a tarifa a R$ 3,40, vai ser R$ 3,40 e o prefeito não pode diminuir. O que se fazia muito antes era o conselho aprovar uma tarifa e o prefeito reduzir. As decisões judiciais proíbem o prefeito de focar na tarifa. Quem define a tarifa técnica é o conselho, composto de todas essas entidades. Então se amanhã eles conseguirem R$ 3,40 não vai ter como diminuir porque a planilha técnica é aprovada por esse conselho”, explicou.

Entre os fatores que serão discutidos para justificar o reajuste, o superintendente listou o preço do diesel, da gasolina, o dissídio coletivo e a diminuição do número de passageiros, seja para a clandestinidade, seja para aplicativos de transporte. Segundo Félix Neto, o aplicativo de transportes Uber “gerou uma diminuição visível e sentida no transporte público de Campina Grande, não só para ônibus, mas para táxi e mototáxi também”.

“Pedimos o bom-senso dos conselheiros para aceitar a planilha técnica apresentada pela STTP, ou outra que eles tenham e queiram apresentar, para não deixar na mão dos empresários”, enfatizou.

“De fato existe uma dificuldade no sistema, de fato existe uma redução de passageiros, aumento de combustível, dissídio coletivo, mas não dá pra chegar nesse patamar de R$ 3,40 que eles estão querendo”, justificou o superintendente. “Em Campina Grande, todos os estudos técnicos que fazemos não chegam ao patamar de R$ 3,40.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa