Como são escolhidos os números das linhas de ônibus?

De Mundo Estranho
Por Diogo Antonio Rodriguez
Imagens Thiago Sione / Divulgação

DSC02185

Depende da cidade, claro, mas também depende de quando as linhas foram criadas. Em São Paulo, por exemplo, o sistema de numeração surgiu na década de 1970. Com o tempo, a cidade cresceu e os critérios mudaram sem seguir uma lógica. Por isso, o número de uma linha não diz muito sobre trajeto, origem e ponto final.

A SPTrans, órgão responsável pelo transporte de ônibus na cidade, diz que um novo sistema de numeração está sendo criado, sem previsão de implantação. Mas essa não é uma questão paulistana. Em outros lugares, as coisas também não são muito fáceis.

Sopa de letreiros

Os números querem dizer alguma coisa, mas às vezes só confundem o usuário

578e8ac70e2163457520c94erio-linhas-de-onibus2

RIO DE JANEIRO

A capital fluminense é um exemplo de cidade com lógica mais clara em sua numeração

São Paulo

São dez áreas numeradas. Fazia sentido antes, mas hoje não. Exemplo: a linha 8600 liga o centro a Pirituba (zona norte), a 8605 vai do centro ao Campo Limpo (zona sul) e a 6451-10 também liga o centro à zona sul

Categorias de trajetos

– Radial Liga uma região específica ao centro (Ex.: Pça. Ramos-Terminal Campo Limpo)

– Diametral Liga pontos muito distantes de regiões diferentes (Ex.: Penha-Metrô Santana)

– Inter-regional Liga regiões sem passar pelo centro (Ex.: Parque Edu Chaves-Metrô Vila Madalena)

– Regionais Circula dentro de uma região (Ex.: Jardim São Francisco-Metrô Itaquera)

Salvador

Segundo a Secretaria de Mobilidade da capital baiana, o código de cada linha “é criado automaticamente” por um sistema de planejamento. Mas, para saber o itinerário, é preciso ter um aplicativo! Mais confunde que ajuda

Washington

Os Estados Unidos também não escapam. Antes de a capital ter um órgão de transportes, as empresas numeravam as linhas como queriam. Hoje, há linhas numeradas de acordo com a malha de bondes, que nem existe mais. Uma zona

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.