36 anos depois, tráfego no anel interno da Lagoa é finalmente extinto‏

Fonte:
Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto / Fotos: Josivandro Avelar




Acabou. 36 anos depois de o DETRAN determinar a transferência das paradas da
Santo Elias para o anel interno da Lagoa, o tráfego de automóveis – e
consequentemente, de ônibus – foi definitivamente extinto exatamente às 14:27
da tarde deste sábado, 23 de janeiro de 2016. A interdição atende ao projeto de
transformação da Lagoa em um Parque tal como é seu nome, Parque Solon de
Lucena, mas que em quase um século de história, nunca foi utilizado como tal. O
novo projeto visa transformar a Lagoa numa área de convivência, lazer e prática
de atividades físicas. O sonho de Damásio Franca, prefeito da época, de não
querer ônibus rodando na Lagoa, é realizado 36 anos depois pelo atual prefeito,
Luciano Cartaxo.

A
partir de agora, carro nenhum passará na Lagoa, que será requalificada, com
pavimentação em pisos intertravados e estrutura – literalmente – de parque.
Todo o tráfego de ônibus foi transferido para corredores construídos antes de
todo o projeto justamente para garantir a sua viabilidade, e para que os
motoristas desde já se acostumem. Nós acompanhamos os últimos momentos do
tráfego do anel interno da Lagoa, portanto as imagens aqui capturadas e que
ilustram esta matéria terão valor histórico. Pois agora sim, o tráfego no anel
interno da Lagoa está extinto de uma vez por todas.
Do
princípio…
Antes
dos anos 1970, já haviam registros de ônibus circulando no Parque Solon de
Lucena. Porém em 1980 o prefeito da época, Damásio Franca, transferiu as
paradas para a Rua Santo Elias. Damásio não queria nenhum ônibus circulando lá.

Porém,
o DETRAN – à época, o DETRAN tinha a atribuição hoje do município de
disciplinar o trânsito de João Pessoa – resolveu transferir o tráfego de ônibus
no anel interno em julho de 1980, à revelia do prefeito. Tanto que na época
especulava-se que foi por isso que ele não tinha mandado providenciar os
abrigos, que só foram instalados três meses depois.

…Ao
meio…
O
tempo passou e as paradas metálicas foram substituídas pelas de concreto,
instaladas em 1985 e substituídas em 2004. Com isso, o Parque Solon de Lucena
literalmente deixou de ser um parque para ser uma rotatória gigante. A
degradação era visível a ponto de a Lagoa se transformar literalmente numa
fossa gigante, já que várias lojas dos arredores instalavam esgotos
clandestinos ali.
Por
volta de 2008, a Lagoa passou por uma intervenção que consistia em substituir o
calçamento que a margeia por piso intertravado. O que não havia saído do papel
foi a intervenção nas praças que rodeavam o anel interno, que continuavam
degradadas. Era só mais uma entre as várias promessas feitas por prefeitos que
entravam e saíam para que a Lagoa voltasse efetivamente a ter uma cara de
cartão-postal.
…E o
final
Em
2014, o prefeito Luciano Cartaxo anunciou uma grande intervenção na Lagoa, que
ia além de somente trocar calçamentos. Tratava-se de efetivamente transformá-la
em um parque, uma área de convivência. Porém antes disso, foram feitas obras
para desvio dos esgotos clandestinos e uma galeria subterrânea foi construída
para escoar até o Rio Sanhauá as águas da Lagoa justamente para que a mesma não
alagasse, cenário que era comum em toda chuva forte. A galeria subterrânea foi
construída utilizando-se de métodos não destrutivos, ou seja, as obras
aconteciam embaixo dos pés dos pedestres, tanto que nenhuma rua foi interditada
– apenas tráfego de meia-pista antes da entrada do Túnel Damásio Franca, na
frente do quartel do 1º Batalhão e na Padre Azevedo. Já chegou a acontecer
problemas com a galeria nessa rua, onde até peixes os moradores
“pescaram” lá.

Último registro de um ônibus passando na Lagoa tirado do anel interno. Carro 0758, da linha 201
Por
conta da intervenção da galeria, foi interditado já em 2014 o primeiro trecho
da Lagoa, no final da Padre Meira. As primeiras linhas modificadas foram as de
Cabedelo, 110, 701, 7118 e 7120.

Preparativos do fechamento
Em
30 de setembro de 2015, foi realizada a segunda interdição, quando começaram a
ser executadas as obras propriamente ditas de reabilitação do parque. Era
interditado o segundo dos três acessos do anel interno, e a primeira parada da
Lagoa é transferida, justamente a das linhas acima. A nova parada compreende o
primeiro trecho do corredor exclusivo da Lagoa, que vai do Cassino da Lagoa até
a Getúlio Vargas. Com isso, além das linhas acima, as linhas dos corredores 1 e
2 também são modificadas. As linhas 2514 e 2515 são retiradas da Lagoa; da 2 de
Fevereiro, as duas linhas seguem direto para a Epitácio, não mais passando no Mercado Central.

Um dos últimos veículos a passar no desvio do anel interno para os ônibus dos corredores 1 e 2
Enquanto
isso, o restante do corredor continua em ritmo acelerado de obras, afinal,
diferente de 1980, a Prefeitura de João Pessoa não transferiu somente paradas;
pensou no tráfego de ônibus e construiu novos corredores exclusivos no anel
externo, isolando de vez o tráfego dos ônibus dos outros veículos. Assim sendo,
para que a reabilitação da Lagoa aconteça, era necessário retirar todo o
tráfego de lá. E foi isso que aconteceu no dia 23 de janeiro de 2016.

Como era o desvio. Parte da final da Getúlio Vargas era mão dupla por conta do desvio provisório dos ônibus
O fim do
tráfego
A
interdição foi programada para ser realizada às 13 horas do dia 23 de janeiro
de 2016. Antes disso, agentes da Semob já estavam no local prontos para dar as
ordens. Operadores da Unitrans também deram auxílio aos agentes e orientação
aos passageiros.

O carro 0456 da Mandacaruense, na linha 604, ainda passando no anel interno da Lagoa
Como
essa interdição foi comunicada na imprensa, era normal os ônibus e carros
pararem em frente aos agentes da Semob e procurarem informações. Enquanto o
acesso não era interditado, os agentes orientavam os motoristas a seguir
direto. Os operadores da Unitrans ajudaram os motoristas a seguirem caminho.

O carro 0801, da linha 106, passando no desvio
Eram
13 horas, e o fluxo seguiu fluindo normal no anel interno. Os agentes da Semob
esperaram mais um pouco e marcaram a interdição para às 14:30.

Pintura das faixas da Getúlio Vargas, já orientadas para o novo tráfego.
Foi
construído um acesso atravessando o canteiro da Getúlio Vargas, sinalizado por
esses cones justamente para que nenhum veículo se atrevesse a passar. Esses
cones seriam usados pelos agentes para fechar o tráfego posteriormente.

Operadores orientam motoristas a seguirem ainda direto para o anel interno da Lagoa, pois o mesmo ainda não havia sido fechado
Os
operários que trabalham na reforma da Lagoa já estavam retirando os tapumes dos
trechos que ainda tinham tráfego, justamente para transferí-los para os acessos
que seriam definitivamente fechados. Já era possível ver operários já abrindo o
asfalto para instalar os tapumes.
14:27- O
fim de uma era


O carro 0722 da Transnacional, que fazia a linha 5100, foi o último ônibus a passar pelo anel interno da Lagoa
E
iam passando os últimos ônibus. Estava lá justamente para registrar um momento
histórico. Eram 14:27 da tarde de 23 de janeiro de 2016 quando finalmente, os
agentes da Semob receberam a ordem de interditar o anel interno da Lagoa, Os
agentes arrastaram os cones até o anel interno, preparando-se para o fim de uma
era.

Quem inaugurou o corredor foi o carro 0715, que fazia a linha 517
O último
ônibus a passar pelo anel interno da Lagoa entrou para a história pela segunda
vez. Era o 0722, que estava na linha 5100-Circular. O veículo era o mesmo que,
um ano antes, se envolveu num acidente na Epitácio Pessoa quando, ao voltar do
desfile das Virgens de Tambaú, perdeu o controle após o motorista ser atingido
por uma pedrada, fazendo com que o ônibus atravessasse o canteiro e batesse
numa árvore. 59 pessoas ficaram feridas e o ônibus passou quase 6 meses em
reforma. Retornou às ruas no segundo semestre de 2015, completamente reformado,
com nova pintura e bancada.

Quase
um ano depois do acidente que marcaria a história desse veículo, o 0722 entra
para a história de novo. Dessa vez será lembrado não somente pelo acidente, mas
como o último ônibus do transporte coletivo de João Pessoa a passar pelo anel
interno da Lagoa. Foi também o último a sair de lá.
14:28- O
início de uma nova era
O
traçado e pavimentação do corredor havia sido concluído no mês passado, e
durante o mês de janeiro, passou por jardinagem e calçamento, além da
instalação dos abrigos. Antes do fechamento do anel interno, o corredor ainda
era um grande calçadão. Duas motos da Semob passaram pelo local para orientar
os pedestres a saírem de lá.

O
corredor foi liberado menos de um minuto depois do fechamento do anel interno.
Eram 14:28 e quem inaugurou o corredor foi o carro 0715, que na ocasião estava
na linha 517-Castelo Branco.


o acesso que atravessava o canteiro da Getúlio Vargas foi inaugurado pelo carro
07190, que fazia na ocasião a linha 204-Cristo.

O carro 07190, na ocasião na linha 204, foi o primeiro a atravessar a Getúlio Vargas pelo novo corredor.
A
partir daí, carro algum passava pelo anel interno da Lagoa. Acabou. Aquele
asfalto vai dar lugar a grama e pisos intertravados de concreto, marcando a
transformação do que foi uma das vias mais movimentadas da cidade em um parque.

As
paradas
Os
passageiros foram orientados a saírem do anel interno para as novas paradas. Em
quase um minuto, todas as paradas do anel interno da Lagoa foram esvaziadas e
os passageiros foram direcionados às plataformas. Agentes da Semob distribuíam
panfletos para os passageiros não se perderem desde já.

A
organização das paradas obedece a antiga organização das paradas tal como elas
eram no anel interno, com algumas modificações.

Como
é normal nesse processo de adaptação, houve caso de motoristas que erraram as
plataformas. Poucos mas houveram. Os agentes da Semob eram constantemente
abordados por passageiros perguntando a respeito de onde ficavam suas paradas.
Operadores de folga da Unitrans receberam coletes escritos “Posso
ajudar?” e também auxiliaram na orientação dos passageiros.

O
novo corredor possui 2 faixas de tráfego. A primeira parada, direcionada para
as linhas que antes paravam na antiga primeira parada do anel interno, fica
antes da curva do Hiper Bompreço.


as demais ficam numa bifurcação em frente ao Centro Comercial de Passagem. As
linhas que pararam na primeira plataforma seguem no corredor, porém tem que
passar na faixa da direita.

Os
ônibus do Conde, Alhandra e Cabedelo continuam com a parada no lugar onde está,
em frente ao INSS. E passam fora do corredor, exclusivo dos ônibus municipais.
A terceira faixa da Getúlio Vargas, onde antes ficava um verdadeiro
estacionamento de ônibus durante todas as noites, que dá acesso a Lagoa, foi
transformada em faixa exclusiva de ônibus. Ou seja, todos os ônibus dos
corredores 3, 4 e 5 terão que estar nessa faixa antes de entrar no corredor da
Lagoa.

Os
agentes ajudaram também a parar ônibus na faixa de pedestre e a orientar o
fluxo enquanto a guarita da Guarda Municipal era transferida para próximo das
paradas – sim, isso aconteceu enquanto o tráfego de ônibus já havia sido
direcionado para o novo corredor, gerando retenções. Mas no mais, tudo seguiu
normalmente, com retenções somente nos primeiros instantes de funcionamento do
novo corredor e durante a transferência da guarita.

Amanhã
vamos repassar a relação das linhas por parada do novo corredor exclusivo da
Lagoa. Como bem disse, houve algumas modificações, no que diz respeito as
paradas das linhas do Colinas 2501 e 5201, que de última hora foram alteradas.

As
orientações continuam e é bom você ir logo se acostumando, afinal, o anel
interno é definitivamente coisa do passado. E a evolução da cidade pede
licença.

0 comentário em “36 anos depois, tráfego no anel interno da Lagoa é finalmente extinto‏”

  1. Parabéns pela matéria meu amigo. Tudo que você relatou eu vivencia desde as 11:00hs de ontem, não só mas toda a equipe do POSSO AJUDAR nos desdobramos para ajudar todos os passageiros e motoristas dos ônibus. Alguns fato em certos momentos atrapalham um pouco o nosso trabalho. No mata divulgado pela semob as linhas 5201 e 2501 estava na parada 3, mas no folheto está na parada 4. A inversão das paradas 1 e 3 causaram uma completa confusão nas cabeças dos passageiros, motoristas até de alguns agentes da própria semob. A instalação da cabine da guarda municipal em pleno horário de pico. A falta de comunicação dos agentes da semob, por várias vezes eu procurei alguns agentes pra relatar que outros agentes estava passando orientações erradas para os motoristas, por volta das 17:30 um agente da semob fez com que um carro da 2501 desse ré e entrasse em uma parada que não era a dele, bem como carros da 101, A101, 102, 503, 5100, 5110, 506 e 516. A falta de acentos nas paradas e uns problemas pequenos causados por algumas pessoas da SEMOB que estavam querendo aparecer. Ao final e de tudo me sentir muito feliz e orgulhoso por fazer parte dessa desse momento tão marcante para nossa cidade. Sim eu não posso esquecer. Uma senhora natural do Rio de Janeiro e outros familiares me pararam para parabenizar pelo trabalho desenvolvido. A mesma relatou que João Pessoa está de parabéns, que antes ela era turista agora esta de mudança para nossa cidade, que a mudança dos ônibus ficou ótima".

  2. Por isso que eu amo trabalhar nos transportes de passageiros, vivemos todos os dias diversas situações que nos trazem alegria e tristezas, mas acima de tudo um orgulho enorme. Meu amigo mais uma vez foi bom encontra-lo lá, e que DEUS te abençoe.

  3. Uma ótima cobertura, Parabéns pela matéria.Não sei se esse é o local certo para expressar a minha opinião, mas achei aquelas ruas tão estreitas e as plataformas tão pequenas, considerando a quantidade de ônibus que trafegam pelo local. Imagine só na antiga primeira parada da lagoa que concentrava as linhas de Mangabeira, nos horários de maior movimento, ficam 4 ou 5 ônibus parados de uma vez. Nos horários de pico passar ali vai ser difícil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa