Empresa garante viabilidade de ônibus com ar-condicionado e wi-fi

Fonte: Portal O Dia
Texto: Ana Paula Diniz
Foto: Elias Fontenele

A chegada dos ônibus coletivos com serviço de internet wi-fi, ar condicionado e vidros com fumê na cidade de Timon, no Maranhão, causou bastante surpresa entre os teresinenses. Isto porque, o transporte coletivo urbano de Teresina, apesar de ser uma cidade conhecida pelas altas temperaturas, não possui tais aparatos.

Timon conta hoje com 70 ônibus em circulação, e 20 deles são da nova empresa.   O proprietário da empresa de ônibus que entrou recentemente em circulação em Timon, Ramon Alves, conta que a adesão do serviço não deveria ser tomada como surpresa, já que em outras capitais essa iniciativa já foi tomada há algum tempo. “Fizemos um estudo de viabilidade antes de implantar o serviço, os resultados foram positivos, inclusive a questão do ar-condicionado só é surpresa em Teresina e em Timon, mas se olharmos em Fortaleza, ao nosso lado, a tarifa é de R$ 2,40 e todos os ônibus tem ar-condicionado”, declara.   

O empresário fala sobre a relação custo/benefício de oferecer um serviço com mais qualidade e conforto aos cidadãos timonenses. “A manutenção custa em torno de 5% do lucro adquirido. Não deve existir mais uma empresa de ônibus sem ar-condicionado em uma cidade tão quente como a nossa. Não é questão de luxo, é sobrevivência, necessidade”, acentua Ramon.   

Segundo Ramon, trazer concorrência para Timon e Teresina é também uma maneira de melhorar o serviço para a população. “Quando não há concorrência, existem acomodações. A empresa que operava em Timon, quando sozinha, trabalhava com 20 ônibus. Hoje, ela está operando com 50 e com mais os 20 que colocamos no sistema são 70 ônibus atendendo a população. Se estão rodando é porque existe viabilidade, tem adesão do passageiro”, declara. Para ele, com a novidade trazida pela empresa, a população se sentirá encorajada a cobrar das outras
empresas a mesma qualidade.   

Para Ramon, a licitação de transporte público em Teresina não beneficia a população. “Não surgiu nada de novo com essa licitação, continuam os mesmos empresários com os mesmos carros, onde era pra haver aquisição de 455 carros com prazo até 2016 e, hoje, o que vemos é que compraram carros novos esse ano, mas já compraram sem o sistema de ar, ou seja, não tem interesse em implantar. A concepção das empresas hoje do Piauí, é meio antiga, compram carro com ar-condicionado e não usam com o cliente”, afirma.   

Frota será rastreada e terá botão de pânico para alertar empresa sobre possível assalto   

Ramon Alves já atua no transporte interestadual há mais de 15 anos e reforça que pretende inserir os aparatos usados nos ônibus rodoviários nos ônibus urbanos. “Daqui a 20 dias já estaremos usando sistema de rastreamento com aplicativo para celulares, onde o cliente não precisa ficar exposto nas paradas de ônibus, pois sabe onde o ônibus está e o tempo de uma parada para outra”, anuncia.   

Outra melhoria será a possibilidade das pessoas com deficiência visual poderem enviar uma mensagem do seu celular, dizendo para o motorista em qual parada está. A mensagem será recebida pelo sistema integrado do painel do veículo. “Também teremos um botão de pânico no caso de assalto, para alertar a empresa”, revela Ramon.   

O empresário argumenta ainda que “não tinha como uma empresa, há 40 anos, continuar dominando [o sistema de transporte coletivo] com carro sucateado com mais de 15, 20 anos. Como cidadão, fiz de tudo para ajudar. A questão foi mais social do que financeira e, mesmo assim, há rentabilidade”. Segundo Ramon, a empresa ainda não conseguiu parceria com o Setut.   

Aceitação 

A estudante Mayara Taiane, moradora de Timon, conta que não utiliza os ônibus da nova empresa porque eles ainda não fazem cobertura no bairro onde mora. “Seria bom se aumentasse, porque é benéfico para nós, estudantes, porque eles cobram só R$ 1 quando apresentamos a carteira de estudante”, afirma.   

Para a caixa Tatiana Pereira, Timon já precisava desse serviço há muito tempo. “Nossa linha de ônibus, que está rodando desde o tempo que eu me conheço por gente, já estava muito sucateada; com essa nova empresa, pelo menos, temos uma opção com mais qualidade”, conta.   

A moradora acredita que se houvesse uma integração entre Teresina em Timon haveria um fluxo ainda melhor, e traria mais acessibilidade para os moradores de ambas as cidades. Estudantes de Timon que estudam em Teresina acreditam que deveria haver mais veículos novos. “Ônibus é para ajudar principalmente a população que trabalha e estuda, e, com a realidade que temos, todos sofrem com sol e calor. Adotar ar condicionado em todos os veículos traria mais qualidade de vida para todos nós”, declara o estudante Hugo de Oliveira.

One Reply to “Empresa garante viabilidade de ônibus com ar-condicionado e wi-fi”

  1. Nos-767 disse:

    “Fizemos um estudo de viabilidade antes de implantar o serviço, os resultados foram positivos, inclusive a questão do arcondicionado só é surpresa em Teresina e em Timon, mas se olharmos em Fortaleza, ao nosso lado, a tarifa é de R$ 2,40 e todos os ônibus tem ar-condicionado”, declara. —–estamos é longe disso. A previsão é só pra 2020… e – com certeza – não a esse preço: 2,40. Inclusive, o SIndiônibus já chiou pq pegou financiamento pra comprar os carros padron e cumprir novas exigências, sendo que a PMF ainda não cumpriu todos os pontos da parte dela.Resultado > a renovação da frota está mais lenta e a idade media da frota subiu. Pouco, mas subiu.——-O empresário fala sobre a relação custo/benefício de oferecer um serviço com mais qualidade e conforto aos cidadãos timonenses. “A manutenção custa em torno de 5% do lucro adquirido. Não deve existir mais uma empresa de ônibus sem ar-condicionado em uma cidade tão quente como a nossa. Não é questão de luxo, é sobrevivência, necessidade”, acentua Ramon. ——isso eu concordo. Mas tem um custo. E uma hora a conta chega… ele está "otimista demais" pq é novidade e está promovendo o seu (ótimo) serviço… natural.——Para Ramon, a licitação de transporte público em Teresina não beneficia a população. “Não surgiu nada de novo com essa licitação, continuam os mesmos empresários com os mesmos carros, onde era pra haver aquisição de 455 carros com prazo até 2016 e, hoje, o que vemos é que compraram carros novos esse ano, mas já compraram sem o sistema de ar, ou seja, não tem interesse em implantar. A concepção das empresas hoje do Piauí, é meio antiga, compram carro com arcondicionado e não usam com o cliente”, afirma. ———o erro da licitação é que ela não foi desenhada para o futuro. Ela teve o mesmo propósito de FOR. Alocar os mesmos de sempre no comando e tirar os "do contra". Na prática, aqui tirou a Ribamar do SIT, pq ela não participava da "caixinha". DEméritos da "loura".Pena que a sobreposição da "burrocracia" ANTT-PI-MA impediria que a licitação Timon-Teresina, com um sistema efetivamente Integrado, aconteça. Excesso de "poderes" dá no que ocorre em BSB. Tem uns 4 órgãos pra reger o transporte no entorno e é um dos mais bagunçados – e caros – do país.Isso pq é a capital federal. Imagine se não fosse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.