Prefeitura de Aracaju garante que BRT será realidade

by:

BRTSergipe

Fonte:
Blog do Max
Matéria / Texto: Max Augusto
Fotos: Rodrigo Gomes



Uma das alternativas atuais para minimizar os problemas do trânsito é a
implantação do Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por Ônibus (BRT), sistema
de ônibus articulados que tem os bilhetes vendidos antecipadamente, aos moldes
dos trens e metrôs, e que trafegam em faixas exclusivas dos demais veículos.

De acordo com a Prefeitura de Aracaju, o sistema já pode ser considerado uma
realidade na capital sergipana, podendo ser estendido aos municípios da Grande
Aracaju (Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros e São Cristóvão).
Semana passada foram entregues os envelopes de preços do projeto do BRT, que
estão sendo analisados pela Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb),
para posterior homologação.


“A partir daí o recebedor terá até o dia 25 de junho para entregar à Caixa
Econômica a parte implantação de fibra ótica, Data Center, Centro de Operações,
Semafórica Inteligente, Sistema de GPS e Bilhetagem eletrônica, para seguir
para a próxima fase de licitações e implantação do sistema. Estamos na certeza
de que o BRT seja uma realidade para nossa capital, pois a cidade necessita do
sistema”, explica a presidente da Emurb, Socorro Cacho.

O Projeto

De
acordo com o arquiteto Jaime Lerner, todo o projeto operacional está pronto e
há uma ávida vontade em colocar em prática o mais rápido possível. Uma das
representantes do escritório de Jaime Lerner, a arquiteta e urbanista Gianna De
Rossi, avalia que “este é um projeto de grande importância para a cidade, um
verdadeiro avanço, tecnológico para a Grande Aracaju, pois o ganho social é
enorme. É um projeto de uma única passagem. O projeto, que inicialmente previa
quatro corredores, hoje está finalizando com 10. Mais um possível corredor pode
entrar no projeto com a construção da Avenida JK”, ressaltou a urbanista.

O plano ainda vai contar com uma gama de ônibus articulados que farão a
integração da Grande Aracaju. “O sistema será transitório, pois uma parte será
pelo BRT e a outra parte continuará com o transporte normal, no qual estes
farão o transporte das pessoas dos pontos de ônibus para os terminais BRTs”,
afirmou o diretor de Planejamento e Sistemas da SMTT, Francisco Navarro.

Para João Alves Filho, esse sistema terá um alcance social enorme, já que a
intenção é diminuir os congestionamentos no trânsito em Aracaju.

“A nossa prioridade é o transporte coletivo, fazer com que todas as classes
sociais façam uso do transporte público. O BRT também poderá levar uma
satisfação muito grande aos conterrâneos da Barra dos Coqueiros, São Cristóvão
e Nossa Senhora do Socorro. Então, eu terei o prazer e a honra de acompanhar
esse projeto, que não contemplará somente Aracaju, com muito entusiasmo e o
empenho de todos os prefeitos envolvidos. Tenho certeza que o Governo do Estado
está sensível a essa causa. Porque eu podia muito bem fazer somente para
Aracaju, como estava no antigo projeto da gestão passada, mas isso provocaria
um colapso social, visto que essas pessoas dos municípios vizinhos não teriam
acesso ao sistema integrado de passagem, ou seja, seria uma desvantagem
econômico-social enorme e que o povo não merece. Por isso, com a mercê de Deus
e a sensibilidade dos deputados estaduais e do Governo do Estado, logo será
enviado esse projeto para ser apreciado pela casa do povo ”, assevera João
Alves.

Integração

O
processo de execução do novo projeto de mobilidade urbana vai além de implantar
o BRT. Contempla ainda a construção de vias exclusivas para ônibus articulados,
licitação para o transporte coletivo do sistema já existente e do BRT,
sincronização de sinais, reforma e ampliação dos terminais de integração e
outros.

“O projeto vai atender todos os bairros de Aracaju além de interligar os
municípios que integram a Grande Aracaju. Ele tem tudo para dar certo, pois
todos têm ciência da necessidade de um sistema de transporte como esse em
Aracaju”, argumenta Francisco Navarro.

Municípios envolvidos

Os
prefeitos de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique, de São Cristóvão,
Rivanda Batalha, e da Barra dos Coqueiros, Airton Martins, entenderam melhor
como funcionará todo sistema através de uma viagem à Curitiba, onde vivenciaram
o projeto que será executado.

O gestor do município de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique, destaca a
sua luta para que o sistema de transporte coletivo continue integrado.

“A nossa preocupação sempre foi resguardar os interesses da população.
Pleiteamos, juntamente ao prefeito João Alves Filho, que fizesse a apresentação
do sistema para conhecermos o projeto. O corredor do sistema BRT se estende até
o Terminal do Marcos Freire, que para nós é excelente. Com esse projeto teremos
uma melhoria significativa no sistema de transporte coletivo. O projeto anterior
existente não contemplava as cidades metropolitanas. Isso era um absurdo.
Juntei-me ao prefeito João Alves para que isso não acontecesse e até com o
mesmo brinquei na época dizendo que, com isso, poderia haver uma guerra civil.
Seria um retrocesso, mas, hoje, graças a Deus essa fase está superada”,
finalizou.

Para a prefeita de São Cristóvão, Rivanda Batalha, que desde o início aderiu ao
projeto e visitou Curitiba, destacou que a sua luta sempre foi para que “povo
de São Cristóvão tivesse um transporte digno e de qualidade e essa é a minha
meta, sempre em prol do povo. Ver a concretização desse sonho ser realizado,
visto que luto dia a dia para que o acesso ao transporte de São Cristóvão seja
o melhor possível”, informou.

Já para Airton Martins, da Barra dos Coqueiros, o mais importante desse projeto
“é a valorização por um transporte público de qualidade, onde a população de
qualquer nível social possa ter acesso, diminuindo assim os congestionamentos
existentes. Além disso, com o empenho de todos, quem ganha com isso é a
sociedade”, afirmou.

Consolidação

O
vice-prefeito da Aracaju, José Carlos Machado, ressalta a importância do BRT
como um processo que só tem a acrescentar à capital.

“Todo processo do BRT envolve uma questão burocrática, mas que foi solucionada.
O transporte da Grande Aracaju continuará de forma integrada. 

Conheço João
Alves e sei do seu compromisso com a capital sergipana. Estou absolutamente
convencido de que, no menor espaço de tempo possível, os aracajuanos terão um
transporte moderno, eficiente e confiável”, finaliza.


Organização

O
sistema foi pensado para percorrer todas as zonas de Aracaju e promover a
integração entre a capital e a região metropolitana. No total, serão 10
corredores, dos quais cinco serão apenas para ônibus e BRT circular e mais
cinco onde o trânsito será compartilhado. Dados do projeto detalham que o
sistema irá transitar e estará organizado da seguinte maneira:


Apenas BRT e ônibus

Corredor 1: Avenidas Heráclito Rollemberg, Adélia Franco, Hermes Fontes e Pedro
Calazans;
Corredor 2: Avenidas Tancredo Neves e Euclides Figueiredo;
Corredor 3: Avenida Rio de Janeiro;
Corredor 4: Avenidas Maranhão, São Paulo, Coelho Campos e Juscelino Kubitschek
(Maracaju).


Compartilhado

Corredor 1: Avenidas Beira Mar, Rio Branco e Barão de Maruim;
Corredor 2: Avenidas Canal 4, Paulo VI, Iolanda Pinto, Pedro Valadares, Pedro
Calazans e Acrísio Cruz, integrando as ruas Cedro, Itabaiana e Itabaianinha;
Corredor 3: Avenidas Osvaldo Aranha e Mariano Salmeiron integrado com a Rua
Laranjeiras;
Corredor 4: Avenidas Desembargador Maynard e Barão de Maruim;
Corredor 5: Avenidas João Rodrigues e Euclides Figueiredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.