Reunião no TRT sobre impasse entre Veleiro e Tropical termina sem acordo

Fonte:
G1 Alagoas
Fotos:
Paulo Lira



Terminou sem acordo a audiência entre Tribunal
Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT) e representantes das empresas de ônibus
Tropical e Veleiro, nesta segunda-feira (13), após o protesto realizado nesta
manhã para garantir a recontratação de funcionários de uma empresa para a
outra.

O problema começou com a mudança das linhas da Tropical para a Veleiro, que
começaria a operá-las hoje após impasse na Justiça. Os funcionários da empresa
que perdeu as linhas exigem ser recontratados pela nova empresa, o que não
aconteceu até agora.

A reunião desta tarde com o TRT era exatamente para
tentar um acordo sobre o assunto. O protesto desta manhã impediu que os
veículos da Veleiro deixassem a garagem, o que deixou os moradores de Rio
Largo, região atendida pelas linhas, sem transporte coletivo. Até o início da
noite, a categoria estava em assembleia para definir os rumos da mobilização.
 
Segundo o TRT, o juiz Laerte Neves Sousa propôs que
a empresa Veleiro proceda à contratação imediata de 90 funcionários da
Tropical. A proposta do magistrado foi recusada pelo Sindicato dos
Trabalhadores em Transporte Rodoviário (Sinttro) e pelo sócio proprietário da
Veleiro, André Barbosa.
 
“Queremos uma audiência para que seja firmado um
TAC [Termo de Ajuste de Conduta] e que a Veleiro contrate os 206 trabalhadores
da Tropical”, disse o presidente do Sinttro, Êcio Marques.
 
Ainda segundo o TRT, a Veleiro disse que a empresa
não tem condições de arcar com a contratação imediata dos 90 funcionários,
conforme proposta lançada pelo juiz Laerte Neves de Sousa.
Como nenhuma das empresas entrou em acordo, uma
nova reunião foi marcada para às 11h da próxima terça-feira (14). Também
participaram do encontro representantes da Agência Reguladora de Serviços
Públicos de Alagoas (Arsal).
Entenda o caso

Já estava previsto para a Veleiro assumir as linhas no
último sábado (11), porém, na sexta, funcionários da Tropical
paralisaram as atividades, realizaram um protesto e entraram com uma liminar
para suspender a transferência da empresa operadora dos coletivos na região.
Na ocasião, o juiz Alan Silva Esteves do Tribunal
Regional do Trabalho (TRT) da 19ª Região acatou a solicitação do Sinttro e
afirmou que a decisão teve por objetivo garantir a transição dos trabalhadores
de uma empresa para outra, prevista no contrato firmado entre a empresa que irá
assumir as linhas e a Arsal.
Porém, a Veleiro entrou na Justiça com um mandado
de segurança que foi acatado, no sábado, pela juíza Anne Helena Fischer
Inojosa, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 19ª Região, que determinou o
imediato cumprimento da transferência das linhas da Tropical para a Veleiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Busscar Vissta Buss DD da Auto Viação Catarinense A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental