Ônibus Paraibanos

Grupo Odilon Santos cresce em Angola

Fonte: OTM Editora 
Foto: Divulgação
Quase dez anos após o início
de suas atividades em Angola, o grupo Odilon Santos, sediado em Goiânia (GO),
projeta para 2014 um novo crescimento em seus negócios locais, a exemplo do que
tem registrado nos últimos anos. Naquele mercado, a empresa do grupo chamada
SGO – Empreendimentos & Participações opera no transporte urbano e
rodoviário de passageiros.

“O mercado
continua com uma demanda forte, conforme atesta a constante procura de bilhetes
que recebemos em nossas agências e bilheterias”, declara Antonio Ribeiro, CEO
do Grupo SGO – Empreendimentos & Participações.

As
perspectivas para os próximos meses são de crescimento contínuo, principalmente
considerando que existem também outras áreas de atividade que a empresa planeja
explorar, como o crescente mercado interno turístico que demanda ônibus com
mais conforto e requer programas de viagens mais customizadas, informa Ribeiro.

A empresa
tem atualmente uma frota local de 290 ônibus, dos quais 55% são usados em
linhas interprovinciais e contratos de fretamento e o restante circula nas
linhas urbanas. A frota é composta, predominantemente, por veículos importados
da China, mas tem também carros feitos no Brasil – são cerca de 40 ônibus
brasileiros.

“Fazemos
uma renovação anual da frota de forma a manter uma idade média de até três
anos”, diz Ribeiro, explicando que a vida útil de cada veículo é restrita
porque as condições de operação no país são bastante severas.

Para este
ano, a empresa já fechou uma encomenda de 50 ônibus rodoviários, que estavam
previstos para chegar a Angola até o final do mês de fevereiro. Os novos
veículos são da marca chinesa King Long. Antes desta aquisição, a empresa havia
comprado em agosto do ano passado 50 novos ônibus Yutong para o transporte
urbano de passageiros e em dezembro último fechou a compra de 23 ônibus
brasileiros para a operação de fretamento.

No ano
passado a SGO transportou 780.000 passageiros no modal rodoviário. Segundo
Ribeiro, o grupo pretende consolidar sua operação no mercado angolano,
renovando a apresentação das suas bases e aumentando a capacidade operacional
da sua frota. Somente depois dessa consolidação a empresa estudará sua
participação em novos mercados.

O grupo
iniciou as atividades da SGO em Angola em 2004. “Com a pacificação da vida
angolana, em 2002, havia uma necessidade grande de deslocação das pessoas entre
Luanda e as províncias. A SGO veio suprir essa necessidade, tendo sido a
primeira a fazer o transporte rodoviário e a chegar às cidades de Cunene e
M’Banza Congo. Os primeiros anos de atividade  foram de constante
crescimento, quer em novas linhas quer no número de saídas por linha”, explica
o executivo.

Atualmente
a empresa opera o transporte urbano de passageiros em Luanda e Lobito e o
transporte rodoviário de passageiros em 13 cidades: Luanda, Benguela, Malanje,
Saurimo, Huambo, Kuíto, Uíge, Sumbe, Lubango, Namibe, Cunene, Menongue e
M´Banza Congo. O serviço engloba conecções diárias entre Luanda e cada uma destas
cidades, em mais de um horário, e as seguintes ligações intermunicipais:
Benguela-Sumbe; Benguela-Lubango; Benguela-Kuíto; Benguela-Huambo;
Lubango-Namibe; Lubango-Cunene; Lubango-Huambo. Existem também duas ligações
intermunicipais de Luanda para Calulo e para Porto Amboim. O grupo tem ainda um
ramo de atividade ligada à sustentabilidade, através da SGO Ambiental, que faz
o recolhimento de resíduos sólidos urbanos na área metropolitana de Luanda.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.