Será que o esquema de transporte público do reivellon de João Pessoa deu certo?

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos

Texto: Kristofer Oliveira

Foto: Paulo Rafael Viana
Um dos nossos moderadores passeou
o réveillon num restaurante em Tambaú, e  como ele ia certo para beber,
deixou o carro em casa e apostou no táxi para seu retorno. Saindo do local por
volta das 2 da manhã para procurar táxi, pois as centrais estavam
congestionadas e quando conseguia ligação tinha uma fila grande de espera, além
de não atenderem Tambaú e Cabo Branco. Só conseguiu pegar táxi as 4 da manhã,
neste intervalo ficou na casa de um parente de uma amiga em Cabo Branco,
justamente em frente ao local em que os ônibus da empresa Marcos da Silva estavam
com o terminal provisório. 

A Marcos da Silva está de parabéns,
o esquema foi observado in loco… não deu para contar quantos foram,
mas os atuantes eram o 0920, 0921, 0932, 0934, 0935, 0965, 0969, 0970,
0971, 0972, 0973, 0974, 0976, 0979, 0980, 0981, 0982, 0983, 0991 e 0992, pelo
que foi visto. A cada 5 minutos partiam do terminal provisório nas proximidades
do posto de polícia de Cabo Branco, e não demoravam muito para retornar.
Praticamente lotavam na Avenida Epitácio Pessoa e seguiam como expresso ao
TIV. O desembarque dos que vinham do TIV acontecia neste lugar improvisado.

Poucos Unitrans
e Santa Maria estavam rodando, e com o agravante dos 0757 e 0771 rodarem. A
Semob não tinha proibido carro na configuração e categoria “micrão”
de rodarem no reforço? Ou a regra dos anos anteriores foi revogada? Boa parte
dos que chegaram na Epitácio Pessoa estavam superlotados. Só vi o 07146 que
estava na 5100 começar a viagem dali.

Ônibus
insuficiente e esquema de táxi um fracasso. Só a MDS se sobressaiu. Fizeram uma
grande propaganda para irem de transporte público a orla, mas dessa forma? Só
indo de carro mesmo e deixar alguém de fora sem beber, e claro, torcer para o
carro não ser furtado. Infelizmente isso foi presenciado.

1 comentário em “Será que o esquema de transporte público do reivellon de João Pessoa deu certo?”

  1. O desastre foi bem maior do que se imagina. Pior que sempre é, pois o esquema é o mesmo, não importa se o evento ou a cidade em si cresce.

    Sem contar o esquema da Semob que é ridículo. Somente 50 ônibus extras para um evento que atrai muita gente. E nem comento os absurdos do Rangel. Tendo o 5204, a empresa preferiu reforçar 204 e 511 (as linhas que formaram essa primeira). Reforçou o 203 sabendo-se que os moradores de Mangabeira não iriam usar. E quem na Semob teve a ideia de escalar o 2501 e o 116 ao mesmo tempo? No caso do 2501, como os moradores da São Judas Tadeu iriam voltar para casa?

    O monopólio da TN estimula o morador do Rangel a sair de casa em transporte individual. Já mencionei vários absurdos provocados por esse monopólio várias vezes que seria desnecessário repetir. Menciono o do caso presente, no reforço de festas, onde invariavelmente o passageiro tem que ir até o TIV sobrecarregando as outras linhas com uma demanda que poderia não estar nelas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança