Ônibus Paraibanos

João Pessoa tem apenas 0,2% de vias para ônibus

Fonte: Jornal Correio da Paraíba

Matéria / Texto: Júlio Silva

Foto: Thiago Martins de Souza

De acordo com estimativa da
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), as vias dedicadas ao
tráfego de ônibus diminuiriam o tempo de viagem em 40%. Segundo a assessoria da
Semob, João Pessoa tem 2.012,55 quilômetros de vias trafegáveis e apenas 2,5
quilômetros de via exclusiva para ônibus (menos de 0,2% do total). Já existe um
planejamento para separar faixas exclusivas para o transporte público, porém a
implantação do projeto, que contemplaria grandes avenidas e bairros com grande
fluxo populacional, depende da resolução de problemas operacionais. Atualmente,
o transporte público atende diariamente mais de 1/3 da população da cidade.

A única faixa exclusiva de
ônibus de João Pessoa, que começa no Parque Solon de Lucena, passa pelo
Terminal de Integração do Varadouro e acaba na esquina das ruas Guedes Pereira
e General Osório, no Centro da Capital, deu mais agilidade ao trânsito dos
ônibus, mas ainda assim os motoristas de ônibus sofrem com a interferência de
motos, carros particulares e dos “alternativos”.
O motorista de ônibus
Héliton Melo, que tem 30 anos de experiência em linhas de ônibus, destaca que a
falta de infraestrutura nas vias atrapalha a circulação não só dos ônibus, mas
o trânsito em geral. “O número de veículos aumentou, mas as vias são as mesmas
de 30 anos atrás. O engarrafamento é constante, falta estrutura”, afirmou
Héliton. Ele citou que mesmo com o espaço reservado ao tráfego de ônibus,
outros veículos insistem em dificultar o trajeto. “A Semob implantou a faixa
exclusiva, mas muitas vezes na Lagoa tem fila de alternativo, de carro
particular”, disse.
Segundo o presidente da
Associação das Empresas de Transporte Coletivo de João Pessoa (AETC-JP), Mário
Tourinho, os ônibus da cidade transportam em média 260 mil passageiros por dia,
o que corresponde a 35,9% da população da Capital, segundo o Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/Censo 2010). Tourinho disse que a
vida deles seria facilitada com a criação de mais faixas exclusivas. “A
reclamação dos passageiros não é nem o ônibus velho, mas o tempo que leva o
trajeto. Tem que priorizar os ônibus para que ganhem velocidade no transporte.
Com faixas exclusivas, cidades como São Paulo já conseguiram reduzir o tempo de
alguns trajetos em meia hora”, afirmou Mário.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.