Viação Brasília: Paraibana de nascimento, Cearense por adoção

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Marivany Figueiredo
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team

Poucos sabem, mas a Viação Brasília foi fundada na
Paraíba por um grande homem: Raimundo Correia Ferreira. Este empresário sem
sombra de dúvidas, encontra-se no hall de homens empreendedores, pioneiros e
sonhadores predestinados que estavam a frente do seus tempos no transporte
de passageiros do Nordeste em especial da Paraíba, para o sul do país. São
exemplos de destemidos e determinados assim como Raimundo: Severino Câmelo da
Bonfim, Otávio Amorim da Expresso Paraibano, Raminho da Planalto e Nathércio
Dutra da Empresa Dutra. A Viação Brasília foi a primogênita de um dos maiores
grupos de transporte do Ceará e do Nordeste: GERF – (GRUPO
EMPRESARIAL RAIMUNDO FERREIRA
). Faziam parte desse grupo a empresas Rápido
Juazeiro
, Rio Negro Viação Brasília no
setor de transportes, bem como empresas de cargas, hotelaria e de comunicação.

Intuição certeira
Para entendermos melhor esta história, vamos
conhecer um pouco do Sr Raimundo Ferreira. Nascido no ano de 1931, na cidade de
Várzea Alegre – CE, região do carirí Cearense, inicia seus estudos na sua cidade
natal, e em seguida muda-se para Campina Grande onde conclui seus estudos no
colégio Alfredo Dantas em 1949. Porém desde que saiu da sua Várzea Alegre,
determinado, Raimundo Ferreira alimentava o sonho de ser um grande empresário
contrariando o pensamento da juventude de sua época, onde a maioria sonhava com
um diploma de médico, advogado ou engenheiro. Assim, quando retornou de Campina
Grande instalou uma difusora com alto-falantes e uma pequena indústria em
Várzea Alegre.
Não satisfeito, Raimundo almeja caminhos mais altos
e com astúcia e espírito empreendedor características de sua
personalidade, segue para a cidade do Crato e num tino comercial adquire um
ônibus e associa-se a Timóteo Bezerra dono da Empresa Várzea Alegrense fundada
em 1949, ligava o Ceará ao sul do país e a as principais cidades do Nordeste. A
Empresa Várzea Alegrense era uma das maiores empresas Cearenses, e foi adquirida
posteriormente pela Gontijo. A sociedade entre Raimundo e Bezerra dura até 1957,
e em um golpe de sorte decide mudar-se para a Paraíba, mais precisamente
Cajazeiras onde sua vida muda completamente.
Cajazeiras: Amor a primeira vista!
Atraído pelo movimentado centro comercial pelas
indústrias e algodoeiras, como a J. Matos S.A; a firma da família Abrantes; Representação
da SAMBRA e outras pequenas empresas de extração de óleo do algodão e torrefação de
Café, Raimundo Ferreira viu na terra dos Rolins a possibilidade de fazer bons negócios. E fez!
O ano era 1958, e o Brasil vivia na euforia dos
anos dourados do governo Juscelino Kubitschek com o lema 50 anos em cinco e para Raimundo, que
era amigo de JK, não foi diferente. Em homenagem a maior representação deste período, que
foi a construção de Brasília, o sonhador funda a Viação Brasília Ltda, e inicialmente com
três ônibus e faz a linha Cajazeiras x São Paulo saindo uma vez por semana. A sua
paixão por Cajazeiras era tanta, que ele construiu um dos primeiros, se não o primeiro terminal
rodoviário da Paraíba,antes mesmo que João Pessoa e Campina Grande. Foi também o primeiro
terminal rodoviário vertical com hotel, área de lazer, lanchonetes e lojas
e denominava-se Edifício Antônio Ferreira. Fora o terminal
rodoviário que construiu
com recursos próprios, outras benfeitorias foram feitas na
cidade de Cajazeiras.
Um amor não correspondido

Na sua rápida passagem pela política, tentou duas
vezes, sem sucesso, ser prefeito de Cajazeiras. Em 1963, pelo PSB, entrou
numa disputa ferrenha com Chico Rolim, Acácio Braga Rolim e José Leite Furtado,
amargando um 3º lugar com 2.120 votos obtidos. Após o golpe militar de 1964,
Raimundo Ferreira filiou-se ao MDB e, na eleição municipal de 1969, travou,
mais uma vez, uma guerra pela prefeitura cajazeirense com o candidato da ARENA,
Epitácio Leite Rolim. O resultado foi uma esmagada e sofrida derrota, com o seu
opositor obtendo 6.548 votos, e Raimundo Ferreira apenas 2.324 votos. Uma
maioria prol Epitácio de 2.324 sufrágios. Uma humilhação e vergonha para um
homem que, modestamente, vinha investindo tanto no progresso da cidade. Desgostoso
por não ter da população cajazeirense uma resposta positiva e um reconhecimento pelo muito que
vinha fazendo pela cidade, Raimundo Ferreira deu adeus a política partidária e passou a se
dedicar exclusivamente a atividade empresarial. 

Fixou residência na região cearense e só
aparecia em cajazeiras para ver como andava as suas empresas. Raimundo gostava de Cajazeiras,
mas a cidade não gostava dele .
Viação Brasília

A primeira linha da empresa como foi mencionado
acima, foi a Cajazeiras x São Paulo ainda nos anos 50. Nos anos
60 mais uma linha é criada e desta vez, é a Cajazeiras x Brasília,nova
capital federal e que faz jus ao nome da empresa. Não se sabe por qual
 motivo, se por desgosto da cidade que tanto amou ou estratégico,em 1974,
Raimundo Ferreira transfere a sede e toda estrutura da empresa para a cidade de
Patos-PB e passando a denominar-se Viação Brasília Transporte e
Turismo Ltda
 vende a linha Cajazeiras X Brasília para a Planalto de
Campina Grande que naquela época direciona seu foco para Brasília,saindo do
eixo Rio-SP. e cria a linha Patos X RJ que logo após foi
vendida para a Itapemirim.Restava somente a Cajazeiras x São Paulo que a partir
da transferência para Patos,passa a denominar Patos x São Paulo. Esta
linha até hoje sai de Patos, e passa pelo Vale do Piancó e segue para
Cajazeiras.

Em 1983, a Gontijo adquire a Varzea Alegrense e a
Viação Rio Negro também Cearense e ligava municípios cearenses entre si e a
Fortaleza. Com o projeto de expansão no Nordeste, a Gontijo queria empresas ou
linhas que ligava o nordeste ao sul do país e nesse contexto,o destino colocou
dois homens no mesmo caminho:Abílio Gontijo e Raimundo Ferreira. No ano de 1987
a Gontijo vende para Raimundo a Rio Negro e na negociação, a Linha Patos x São
Paulo é repassada para Gontijo. A Viação Brasília encerra sua história no
transporte interestadual bem como na Paraíba. Sua estrutura é transferida para
Juazeiro do Norte onde passa a fazer linhas urbanas e interurbanas ligando
cidades do sul cearense a Juazeiro do Norte e ao Crato.

Acordo com a Guanabara
A Guanabara desde que foi fundada, queria expandir
seu território começando inicialmente pelo Ceará e em especial pelas empresas
do GERF RÁPIDO JUAZEIRO e RIO NEGRO. Em 1998 segundo fontes na época, ficou
acordado entre a Guanabara  e o GERF que ao vender as empresas, somente a
Guanabara teria preferência de compra e também ficou acertado que isto só
ocorreria se Raimundo Ferreira viesse a falecer. Entretanto, a Guanabara acabou
adquirindo as duas empresas em 2005 sem que Raimundo falecesse.

Com a
venda, restava somente a Viação Brasília, que encerrou suas atividades em 2009
saindo de forma triste, bem diferente do que foi em outras épocas e Raimundo
Ferreira continua vivo residindo em Juazeiro do Norte. Essa é a homenagem a este
grande homem que em épocas difíceis desbravou com coragem e determinação.

8 comentários em “Viação Brasília: Paraibana de nascimento, Cearense por adoção”

  1. Uma pena mesmo para os habitantes de BARBALHA,BREJO SANTO,JUAZEIRO DO NORTE E CRATO a viação brasilia acabou-se em 2009 e se a Rodov.Santa Rita não sair dessa crise infelizmente poderá ter o mesmo destino da viação brasilia.

  2. Gusmão, " esqueceram de mencionar … a pensatur …", esse foi constituída pelo controlador amarelo, Viação Itapemirim; nunca foi do Grupo GERF

  3. "Em 1983, a Gontijo adquire a Varzea Alegrense e a Viação Rio Negro também Cearense e ligava municípios cearenses entre si e a Fortaleza. Com o projeto de expansão no Nordeste, a Gontijo queria empresas ou linhas que ligava o nordeste ao sul do país e nesse contexto,o destino colocou dois homens no mesmo caminho:Abílio Gontijo e Raimundo Ferreira. No ano de 1987 a Gontijo vende para Raimundo a Rio Negro e na negociação, a Linha Patos x São Paulo é repassada para Gontijo".

    Esse é o típico negócio traçado previamente; pois só há um princípio condutor – um lado de cada face da moeda, e dessa maneira os "conflitos" encerram-se; ou melhor, extiguiu-se a concorrência, que na atualidade as Agências Reguladoras, nem desejam.

  4. Ouvi de um motorista aposentado da Itapemirim que a Pensatur pertencia a Raimundo Correia Ferreira mais era administrada pelo seu filho que tinha a procuração e o mesmo a vendeu para a Itapemirim sem o conhecimento do pai queria saber se essa informação é real

  5. Encontrei a seguinte informação em minhas pesquisas
    " C'EST FINI

    Depois de mais de quarenta anos de existência a Viação Brasília que fazia a ligação interurbana entre as cidades da Região Metropolitana do Cariri encerrou suas atividades. Ela pertencia ao empresário Raimundo Ferreira, o qual, no auge de suas atividades, chegou a possuir quatro empresas: Rio Negro, Rápido Juazeiro, Pensatur e Varzealegrense. Agora o transporte rodoviário entre Juazeiro do Norte-Crato-Barbalha-Missão Velha está sendo feito por uma empresa de Fortaleza, a Via Metro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba Novos chassis rodoviários Volvo para longas distâncias Apache Vip IV com a nova identidade da N.S. Penha As novidades da Opção Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 07/2021 Apache Vip V da 1001