Ônibus Paraibanos

Propaganda, a alma do negócio

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: JC Barboza
Fotos: Acervo Histórico Paraíba Bus Team

Segundo a Associação Americana de Propaganda,
propaganda é a mensagem divulgada em veículos de grande penetração (TV, rádio,
revistas, jornais etc.) e patrocinada, isto é, paga por um anunciante que tem
por objetivo criar ou reformar imagens ou referências na mente do consumidor,
predispondo-o favoravelmente em relação ao produto, serviço ou empresa
patrocinadora. O discurso de cada marca se direciona a um
determinado público, usando sempre cores, figuras, letras e slogans para atrair
um determinado consumidor que, ao se identificar com os elementos das
propagandas, fará a escolha por essa ou aquela empresa, podendo assim, tornar-se seu
consumidor. Vamos viajar nas propagandas de ônibus no passado nesse nosso especial de domingo!!!


Partindo desse princípio, muitas empresas de ônibus, encarroçadoras e fabricantes de chassis, faziam da propaganda uma poderosa arma para atrair seus clientes. A partir da década de 20 do século pássado, as propagandas passaram a ter um destaque na então mídia brasileira, já que era um novo tipo de transporte que as pessoas da época consideravam inovador e os então empresários do setor divulgavam o inovador serviço prestado pelos ônibus e as encarroçadoras e fabricantes de chassi ofereciam seus veículos para estes empresários do transporte nacional.
Revistas como “O Cruzeiro”, “Manchete” e “Veja” sempre tinham propagandas de ônibus. Até mesmo em jornais, muitas empresas divulgavam os horários das suas linhas ou os serviços diferenciados que ofereciam. 
As fabricantes de ônibus, que eram várias, mostravam os seus produtos e suas qualidades, resumindo em poucas palavras, o que seus “revolucionários” modelos tinham a oferecer ás empresas que estivessem dispostas a adquiri-los.
Hoje em nosso especial, vamos trazer algumas dessas ações de merchandising para nossos leitores conhecerem melhor como funcionavam as propagandas de ônibus da época. 
Montadoras
Magirus-Deutz
A Magirus-Deutz, empresa
fabricante de veículos para corpo de bombeiros e ônibus alemã chegou
ao Brasil com
o nome Companhia de Motores do
Nordeste. Fabricou no Brasil chassis para
ônibus entre os anos 1960 e 1970 equipados
com motor alemão Deutz. Um dos fracassos que levou a empresa a falência era dos
veículos que tinham motores refrigerados a ar produzidos na Europa, geralmente adaptados para o clima frio e que no Brasil não deram certo em
razão do clima tropical, geralmente
quente. Isso levou empresas a adaptarem motores Mercedes-Benz ou FNM nos
veículos montados pela empresa.
Em
1975 a empresa foi adquirida pelo Grupo FIAT e
incorporada a Iveco, conservando em alguns países a marca Iveco Magirus.
Cirb

Fundada
em 1933 no Rio de Janeiro,a CirbS/A Indústria e Comércio foi extinta em 1970.
Sua diretoria era de Carlos Moraes Pereira.

  

Scania


O ônibus Scania-Vabis B75 foi o
primeiro a ser fabricado por esta empresa no Brasil, em 1959. Seu motor, de 7
ou 10 litros, diesel, desenvolvia 165cv de potência (versão de 10 litros). Com
carroceria Ciferal, podia acomodar até 78 passageiros.

Ainda com a Scania, o cartaz abaixo ressaltava que ela seria a fornecedora dos chassis que equipariam
os ônibus que transportariam as delegações dos países que participariam da copa
do mundo de futebol de 1998 na França.
Santa Matilde

Empresa de material ferroviário, a Companhia Industrial Santa
Matilde, com planta instalada em Três Rios, RJ, e sede em Petrópolis, RJ, teve
uma breve experiência no segmento urbano sobre pneus; entre 1985 e 1986,
construiu dois monoblocos, sendo um movido a álcool e outro a gás e os entregou
à EBTU para serem usados em caráter experimental em Natal, RN. Eram equipados
com direção hidráulica e suspensão pneumática, e sua produção foi paralisada
desde 1986.
Bussing
 
Encarroçadora alemã que veio para o Brasil através de uma representação, mas não teve muito sucesso no país graças á sua manutenção extremamente cara.
Grassi sertanejo

Esta é a propaganda antiga de um ônibus
Sertanejo da empresa Grassi, modelo 1961, sob um chassi Chevrolet, que
fabricava carroceria de ônibus para esse fim. A encarroçadora foi fundada em
1940 na Cidade de São Paulo pelos irmãos Luiz e Fortunato Grassi, à qual é
atribuída a fabricação do primeiro ônibus no Brasil.
Engerauto
A Engerauto, apesar
da pequena fatia de mercado que tinha dentro do país, chegou a exportar para
países vizinhos. Seus ônibus tiveram boa aceitação e circularam, por exemplo,
no Chile.

International

Faricante de chassis robustos, a montadora teve
presença desde a década de 1920 no mercado brasileiro de ônibus e caminhões com
chassis importados, mas que encerrou suas atividades em 1965.

 

Thamco fofão
Na mesma época, a CMTC procurava uma encarroçadora
para tornar concreto o sonho do então prefeito Jânio Quadros de ter ônibus dois
andares operando pela cidade – Jânio era fã de Londres e buscava copiar tudo
que havia naquela cidade. Os dez primeiros carros foram
fabricados pela própria CMTC (projeto do arquiteto Luiz Paulo Gião de Campos e
do engenheiro Alvaro Szasz, baseado em um modelo Leyland inglês) e a MAFERSA
quem deveria construir os restantes. Porém, devido ao alto preço pedido, a CMTC
realizou uma nova licitação onde a THAMCO saiu vitoriosa. Seriam 10 carros por
mês, de abril à julho, e 30 entre agosto e setembro. Três desses rumariam para
a Transurb, de Goiânia – a produção geral ´já beirava 180 carrocerias (de todos
os modelos) mensais. Apelidados de “Fofão” pela população, os ônibus
cairam nas graças do povo.

 

Ford

Em 1992 a Ford disponibilizou chassi ford para encarroçamento em ônibus, porém num passado distante, ela já tinha encarroçado ônibus sob seus chassis. A Auto Viação Dutra era um dos seus principais clientes na Paraíba.








General  eletric

Por muito tempo produziu ônibus. Hoje em dia existem alguns projetos de ônibus futuristas.   

Mercedes-Benz
A Mercedes-Benz até hoje mantém propagandas de alto nível. Sempre utilizou desse artifício para divulgar seus produtos que sempre possuíram alta qualidade. Propagandas em revistas, jornais e comerciais televisivos da montadora tinham muito destaque.
 

Empresas de ônibus

Várias empresas tinham por costume fazer “merchan” de suas linhas horários e serviços. Vamos á algumas delas.

Viação Cometa
Uma das empresas que mais faziam propagandas no século passado.

Expresso Brasileiro


Principal concorrente da Cometa, a Expresso Brasileiro também fazia excelentes propagandas para bater de frente com a sua concorrente.
Pássaro Marron
Também concorria com a Expresso Brasileiro e Cometa no eixo Rio – São Paulo.
Uma curiosidade é que consta no folder da Pássaro Marron que o percurso entre Rio X SP era na época de 12 horas. Hoje é na metade do tempo!
Viação Nacional
Folder mostrando o lançamento do seu novo layout nos anos 90.
Útil
Apresentando seus novos veículos na nova gestão do grupo Guanabara

Itapemirim

A
rainha da propaganda entre as empresas de ônibus. Nunca foi visto tantas
propagandas de uma empresa de ônibus como da capixaba de Cachoeiro de
Itapemirim. Qualquer novidade de frota ou serviço já era um motivo de comercial
em jornal, revista ou TV. Vejam algumas:
 

Empresas
paraibanas costumavam usar o marketing em jornais para atrair mais passageiros.
Vejam:


Bonfim

Viação Gaivota

Transparaíba

O
curioso dessa propaganda da empresa é que esse Thamco Gemini que a empresa
anunciava, nunca chegou a rodar pela empresa.
Infelizmente
hoje em dia não vemos tantas ações de marketing das empresas e montadoras de
ônibus. Somente em edições voltadadas direcionadas para o setor. E raramente em
jornais e revistas. Só nos resta curtir essas propagandas do passado e ver como
as empresas se relacionavam com seus clientes no passado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.