Ônibus Paraibanos

Transição Transparaíba-Guanabara (1996)

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Philippe Figueiredo
Fotos: Acervo Histórico Paraíba Bus Team/Eliziar Maciel Soares

Bom hoje
vamos voltar ao ano de 1996, para reverenciar este belíssimo, Marcopolo Viaggio
G4 1100 com chassi Mercedes-Benz O-371 RS da Transparaíba, que fazia parte dos carros remanejados da Guanabara para a
empresa, quando foi adquirida por Jacob Barata em 1995. Este remanejamento se deu
pelo fato da venda da grande parte dos carros da Transparaíba como Viaggios, El
Buss e Diplomata 350, todos Scania. Vamos relembrar nessa matéria a época de transição da Transparaíba para Expresso Guanabara!!!

Esse
Viaggio da foto chegou junto com o carro 948 e com o Viaggio 1068. Estes dois
primeiros dispunham de ar-condicionado na parte traseira e o último não tinha.

Também
chegaram carros novos para a Transparaíba depois da aquisição pela Guanabara.
Quatro Viaggio GV 1000 MBB (545, 546, 547 e 548) e em 1996, chegaram cinco El
Buss 340 MBB (608, 609, 610, 611 e 612) e dois Viaggio GV 1000 MBB (606 e 607). 
Da antiga Transparaíba foram aproveitados 18 veículos:
Cinco
Busscar El Buss 340 Scania motor dianteiro-01.45, 01.46, 01.47, 01.48 e 01.49;
Nove
Busscar El Buss 340 motor Scania traseiro-01.50, 01.51 01.52, 01.53 01.56,
01.57, 01.61, 01.62 e 01.63;
Quatro
Marcopolo Paradiso GV 1150-01.150, 01.151, 01.152, e 01.153.
Todos esses
carros tinham frigobar e WC e por isso ficaram mais tempo na empresa.
No segundo
semestre de 1996, a Expresso Guanabara muda a pintura da empresa e a partir do
carro 618 (todos Busscar) em diante, foram com a nova pintura. A Transparaíba
ficou com os carros 618 até o 624 (Busscar El Buss 340). Depois do carro 624
todos eram Jum Buss e com o nome Guanabara.
A compra da
empresa se deu em 1995, e para vocês terem uma idéia da importância dessa
aquisição, o próprio Jacob Barata veio fechar o negócio, pelo ponto estratégico
da Transparaíba para sua expansão pelo nordeste. Segundo um relato de um amigo
que era motorista da Transparaíba e depois da Guanabara, o empresário chegou a
João Pessoa em seu próprio avião e foi direto para a garagem em Bayeux.Quando
Jacob chegou,tinha uma roda de funcionários entre eles  o
motorista.Então,um outro motorista falou:É ESSE DAÍ QUE QUER COMPRAR A
TRANSPARAÍBA? SORRIU E DISSE – MAL VESTIDO DESSE JEITO (CALÇA JEANS DESBOTADA, CAMISA POLO E TÊNIS), ESSE P…. LÁ TEM DINHEIRO PARA COMPRAR A EMPRESA,
É UM CONVERSADOR…
Estava
totalmente enganado. Jacob Barata pagou uma quantia interessante pela empresa e
toda sua estrutura: GARAGEM DE BAYEUX, 56 VEÍCULOS e TRANSPARAÍBA CARGAS E
ENCOMENDAS. A Transparaíba depois que os sócios desfizeram a sociedade, passou
a enfrentar dificuldades de renovar a frota e manter a empresa.Porém,uma falta
de gestão foi quem minou a Transparaíba.Todo político do interior tinha talões
de passagem que as vezes não pagavam a empresa,carros velhos,  sem
manutenção e limpeza além de lotar os ônibus (as vezes com 20 a 25 pessoas e
pé) e vender poltronas mais de uma vez a diferentes pessoas,animais como bodes
e carneiros carregados na mala.
Outro
fator, que rolam por baixo, dizem que a Transparaíba foi afundando e ficou sem
dinheiro, pois seu pai Waldeno Brito seu pai bancava todas as despesas de
Waldeno Brito Filho na stock car e formula Fiat que são esportes bastante caros
e consomem muito dinheiro.Em 1999 a Transparaíba some de vez e ficou somente a
lembrança.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.