Bus Andino…misto de caminhão e ônibus

Fonte: Inbus Transport
Matéria/Texto: Hélio Luiz de Oliveira

Uma das marcas da década de 70 foi a exportação de carrocerias do Brasil para o mercado latino americano. A Caio participa ativamente com os ônibus-caminhão – mix adaptado, utilizando-se o frontal dos modelos médios de carga, fabricados pelas montadoras nacionais. No restante, a encarroçadora paulista implementava o “corpo” da carroceria no estilo convencional, muito aplicado para atender exclusivamente o mercado andino. Leiam mais sobre esse curioso tipo de ônibus que fez e faz sucesso na américa latina!!!

Assim, versões como Chevrolet, Ford, Mercedes-Benz e Dodge eram particularmente com as características do Gabriela urbano – grande sucesso da Caio. As vantagens destes modelos eramvencer ladeiras e estradas com forte grau de inclinação, uma vez que sua estrutura identificava como um caminhão-trator comum. Outro detalhe que favorecia as versões é que toda a parte de mecânica do veículo se dava pela parte externa, além de ficar para fora todo o barulho e ruído do conjunto motriz. Seu entre eixo veicular atingia até 4,5 metros – obedecendo criteriosamente a cada frontal do caminhão aplicado, mas nunca excedendo os 6 metros de comprimento total.
Mas a novidade apresentada não era patenteada pela Caio para a metade da década de 1970 (entre 1973 e 1979): anteriormente os modelos antigos (construídos nos anos 50) eram adaptados com frontal de caminhão, mencionados como “jardineira”  (a Grassi, pioneira na fabricação de ônibus no Brasil, iniciou a produção de montagem deste tipo de veículo em estrutura de madeira do século passado).
Já o mercado doméstico aproveitou poucas unidades do ônibus-caminhão, aqui conhecido como “Bus Andino” – que alavancou juntamente com os Mercedes-Benz, Ford, GM e Dodge o sucesso da Caio para abastecer os países vizinhos como Chile, Colômbia, Bolívia, Peru e Equador.
Modelo produzido pela Marcopolo
Marcopolo Júnior com chassi Dodge
O Bus Andino apresenta as versões urbana e rodoviária, com 1 ou 2 portas. De longe eram de estética agradável, pelo forte traço do caminhão em si; e a desejar o conforto de seus passageiros. Mas de robustez e segurança, somavam-se atributos qualitativos do produto.

2 comentários em “Bus Andino…misto de caminhão e ônibus”

  1. Eu sempre fiquei imaginando modelos de carroceria mais modernos que esses, como Torino GV, G6, Alpha e Svelto, encarroçados sobre chassis de caminhões Ford (tipo os F-12000 da vida) e GMC, com capô externo, seria o máximo!! Ficariam parecendo os ônibus escolares norte-americanos, podendo ser pintados de qualquer cor, não só de amarelo!
    Mas, por causa da capacidade do chassi, esses ônibus teriam de ser curtinhos, quase como micro-ônibus.
    Guilherme M. – funcionário público e busólogo – Porto Alegre/RS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Senior da PB Rio Apache Vip V da Viação Pendotiba Apache Vip V da N.S. Penha Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba Novos chassis rodoviários Volvo para longas distâncias Apache Vip IV com a nova identidade da N.S. Penha