Mercedes-Benz do Brasil celebra 30 anos do Centro de Desenvolvimento Tecnológico de caminhões e ônibus

Por Mercedes-Benz
Imagens Divulgação

Em um ano muito especial de marcos históricos para a Mercedes-Benz do Brasil, que chega a 65 anos de atividades, a Empresa também registra 30 anos do seu Centro de Desenvolvimento Tecnológico de caminhões e ônibus. Localizado na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), ele foi inaugurado no dia 29 de agosto de 1991. Trata-se do maior do segmento de veículos comerciais no Brasil e na América Latina e, também, o maior da Daimler fora da Alemanha para caminhões e ônibus da marca.

Graças ao forte e atuante papel do CDT, juntamente com as demais áreas da Empresa, a Mercedes-Benz do Brasil se estabeleceu como um player global do Grupo Daimler para desenvolvimento de caminhões, chassis de ônibus e powertrain (agregados). De suas linhas de produção saem veículos para os clientes brasileiros e de vários outros países da América Latina e outros continentes, que atendem às legislações e especificidades de cada mercado, com a qualidade da marca Mercedes-Benz.

“O CDT traz em sua essência o DNA de pioneirismo e inovação da nossa marca, oferecendo soluções para o transporte de cargas e passageiros e indicando tendências de mercado”, afirma Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina. “Com uma estrutura moderna e com 563 colaboradores, entre engenheiros, técnicos e especialistas, o CDT é motivo de orgulho para a Companhia e um legado para a Engenharia brasileira. Aqui, pessoas e tecnologias estão a serviço da mobilidade, sustentabilidade e do ecossistema do transporte responsável, para hoje e para o futuro da sociedade”.

O planejamento e a construção do CDT representaram a consolidação e a própria evolução das atividades de desenvolvimento tecnológico da Mercedes-Benz do Brasil. Este trabalho foi iniciado muito tempo antes, em 1963, com a implantação da Engenharia de Produtos, dedicada a caminhões, chassis de ônibus e powertrain. No ano de 1970, foi criada a área de Engenharia Experimental para veículos, motores e componentes. Com o CDT, em 1991, houve um agrupamento das diversas equipes e a centralização das atividades num mesmo local.

O CDT se posiciona no mesmo nível de unidades similares da Daimler na Alemanha, Estados Unidos, Japão e Turquia, realizando trabalhos globais e desenvolvendo projetos que podem ser lançados em vários países. Isso confirma a capacidade brasileira de gerar soluções com alcance mundial.

“Essa trajetória de 30 anos é fruto do trabalho de profissionais competentes que ajudam a construir uma Empresa inovadora em tudo o que se propõe a fazer. Desde a inauguração do CDT, já era claro que a unidade brasileira teria um papel fundamental dentro da Daimler Trucks”, diz Karl Deppen.

A atuação do CDT é potencializada com outros investimentos da Empresa em recursos de desenvolvimento. Isso está concretizado no Campo de Provas de caminhões e ônibus de Iracemápolis (SP), o maior do Hemisfério Sul, inaugurado em 2018. O local irá expandir suas atividades para um Centro de Testes completo para todos os segmentos em parceria com a Bosch, cujas obras terão início ainda neste semestre. Além da utilização pela própria Empresa, a nova unidade será aberta ao mercado e poderá ser locada por fabricantes do setor automotivo, incluindo de automóveis, vans, outros veículos, sistemas e componentes.

Caminhões: confiança na equipe e crença no potencial do País

Daniel Spinelli, diretor de Desenvolvimento de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil, ressalta a importância das pessoas nos 30 anos da área. “O CDT se destaca pela diversidade de profissionais que aqui trabalham, de várias origens, daqui e do exterior, que trazem a riqueza de conhecimento e de culturas para a Empresa. O caminho inverso também acontece, com muitos engenheiros e técnicos brasileiros se transferindo para outras unidades da Daimler no mundo, levando know-how, proatividade e criatividade ao desenvolvimento de projetos para outros mercados”.

Segundo o executivo, a capacidade de entrega de produtos e soluções da equipe brasileira é muito significativa. E com as novas tecnologias digitais de projeto CAD (computer-aided design – projeto auxiliado por computador), CAE (computer-aided engineering – engenharia auxiliada por computador) e CAT (computer-assisted translation, ou tradução assistida por computador), ensaios acelerados em banco de provas e no Campo de Provas da Mercedes-Benz, houve uma redução importante no tempo de execução dos trabalhos, no ciclo que se inicia com a ideia, conceito, projeto, pesquisa e desenvolvimento, até o produto final. “A Mercedes-Benz sempre demonstrou plena confiança e admiração pelo potencial do CDT brasileiro. São três décadas de atuação, uma história sólida dentro do mundo Daimler, trabalhando em sinergia para alavancar oportunidades”.

Na visão de Daniel Spinelli, “com base em elementos corporativos globais, como qualidade, inovação e planejamento, o CDT do Brasil é uma universidade de tecnologia para cada engenheiro, contribuindo para seu crescimento profissional e intelectual. Nós ajudamos a Engenharia nacional a evoluir e a alcançar uma melhoria contínua”.

Como exemplo, muitos colaboradores do Brasil estiveram na Alemanha durante a fase de desenvolvimento dos caminhões extrapesados da família Novo Actros, que chegaram ao mercado brasileiro no ano passado.

“Este produto top de linha é um divisor de águas da marca no País. Trouxemos um caminhão global, mas desenvolvemos aqui um modelo sintonizado com a realidade dos clientes e do transporte de cargas”, afirma Daniel Spinelli. “Testamos exaustivamente o Novo Actros, sob as mais rigorosas situações nas estradas e nosso Campo de Provas, e o resultado é o caminhão mais seguro, inteligente, eficiente, digital e conectado do mercado. Em parceria com nossos colegas de Vendas, Marketing e Pós-Venda, ouvimos os clientes e os parceiros. O resultado está aí, um case de sucesso no competitivo segmento de extrapesados. Um produto moderno e tecnológico, nascido da nova plataforma global de extrapesados, que incorporou o mote ‘As estradas falam e a Mercedes-Benz ouve cada voz’. A partir desse compromisso, queremos sempre entregar soluções que tragam cada vez mais valor para os clientes”.

A atuação da equipe de Desenvolvimento de Caminhões foi essencial para o êxito da introdução de itens de série de avançada tecnologia do Novo Actros, o caminhão mais seguro e inteligente do País. Entre eles destacam-se: ABA 5 – Active Brake Assist (assistente ativo de frenagem), Side Guard Assist (assistente de ponto cego), Attention Assist (assistente de fadiga), ESP (controle eletrônico de estabilidade), piloto automático adaptativo com limitador de velocidade, Proximity Control (assistente ativo de proximidade), EBS (sistema eletrônico de frenagem), Lane Warning System (sensor de faixa de rolagem), Hill Holder (auxílio de partida em rampa), farol alto inteligente e MirrorCam (inovador sistema de câmeras digitais que substitui os espelhos retrovisores convencionais do caminhão).

A cabina brasileira do Novo Actros é um exemplo significativo da integração da Mercedes-Benz do Brasil na plataforma global de desenvolvimento de caminhões da Daimler. Ela é utilizada em modelos da série Novo Actros F, que são comercializados pela Mercedes-Benz Trucks em 24 países da Europa e de outros continentes. Ou seja, um produto global desenvolvido pela equipe brasileira.

Com a cabina do Novo Actros, a marca já atende os clientes do Brasil. Agora, o produto nacional está chegando a outros países e continentes. Esta é a primeira vez que a Empresa exporta um projeto desse porte para a matriz.

O CDT teve papel relevante no desenvolvimento das demais linhas de caminhões, sempre apresentando novidades tecnológicas e novos modelos para as linhas Accelo (como o 1316 6×2, cabina estendida e câmbio automatizado), Atego (3030 8×2 e câmbio automatizado) e Axor (desde 2016 são mais de 60 itens de desempenho, conforto, segurança e economia).

Em parceria com a Grunner, a Mercedes-Benz vem avançando no uso de caminhões com direção autônoma na colheita de cana-de-açúcar. O cliente encontra opções nas linhas Atego e Axor. Esta é a primeira experiência da marca com autônomos no Brasil, concebidos para ambientes fechados e controlados.

“No CDT, temos paixão pela inovação. Temos motivação pelo aprendizado, gostamos de botar a mão na massa a fim de transformar uma ideia em uma coisa concreta e prática”, ressalta Daniel Spinelli. “É assim que conquistamos credibilidade e confiança da Daimler no trabalho de desenvolvimento da equipe brasileira, especialmente diante dos desafios locais e globais, com a perspectiva de futuro”.

Centro de Competência Mundial em Chassis de Ônibus

O CDT tem um papel fundamental no desenvolvimento do portfólio de ônibus urbanos e rodoviários, tanto para o mercado interno, quanto para América Latina e outros continentes. Os ônibus monoblocos O 370 e a atualização dos chassis LO, OF e OH foram os primeiros projetos 100% nacionais desenvolvidos pelo CDT. Na sequência, vieram gerações como a linha O 400 e a atual família O 500.

“Com longa experiência e amplo conhecimento do segmento, a Mercedes-Benz do Brasil tornou-se o Centro de Competência Mundial da Daimler para desenvolvimento de chassis de ônibus da marca”, afirma Christian Flecksteiner, diretor de Desenvolvimento de Chassis de Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Além de aprimorar ainda mais modelos já consagrados pelo mercado, a equipe do CDT criou, recentemente, novos conceitos de produto, como os superarticulados O 500 MDA e UDA (piso alto e piso baixo respectivamente) para carroçarias de até 23 metros, com capacidade para mais de 200 passageiros e ideal para sistemas de transporte coletivo urbano baseados em corredores, faixas exclusivas e BRT (Bus Rapid Transit).

Outros destaques no mercado foram os modelos O 500 rodoviários 8×2 para carroçarias Double Deck e High Deck, o chassi OF 1621 vocacionado para fretamento e o O 500 R Super Padron para o segmento urbano, além de tecnologias de segurança para ônibus rodoviários.

Os engenheiros e técnicos do CDT também trabalham permanentemente com o desenvolvimento do uso de combustíveis alternativos ao diesel de petróleo. Entre as experiências pioneiras da Mercedes-Benz do Brasil incluem-se, com sucesso, testes em bancos de prova e em caminhões e ônibus com biodiesel e diesel de cana. A Empresa vislumbra agora os biocombustíveis de segunda geração, como o HVO (Hydrotreated Vegetable Oil ou Óleo Vegetal Hidrotratado), como solução imediata para reduzir a emissão de gás carbônico (CO2) por caminhões, ônibus e veículos comerciais leves no País.

Dentre as diversas soluções alternativas para um transporte sustentável, a Mercedes-Benz do Brasil acaba de anunciar um grande marco na era da eletromobilidade. Ela apresentou os conceitos gerais do eO500U, primeiro chassi de ônibus elétrico 100% desenvolvido no Brasil para aplicação urbana. Esse projeto contou com participação de colegas da Alemanha, que têm vasta experiência com ônibus elétricos na Europa.

“Nesses 30 anos, nosso time do CDT tem dado contribuição fundamental para que a Mercedes-Benz se mantenha na liderança do segmento de ônibus, sempre trazendo soluções avançadas e inovadoras para o mercado brasileiro, assim como para os demais países para onde exportamos nossos produtos”, ressalta Christian Flecksteiner. “Temos uma marca forte e somos reconhecidos pela elevada competência de nossos profissionais, que se relacionam intensamente com seus pares da Daimler. Nós acreditamos nos profissionais brasileiros trabalhando com processos globais. Isso reafirma nossa presença na plataforma global de desenvolvimento da Companhia”.

O executivo também credita o êxito do Desenvolvimento de Chassis de Ônibus à integração com as demais áreas da Empresa, como os colegas de Caminhões e Powertrain do CDT, Produção, Qualidade, Vendas, Marketing, Exportação e outras. Isso é potencializado pelo fato de todas estarem reunidas na mesma planta, o que otimiza o dia a dia e agiliza a geração de soluções para os clientes.

“Acima de tudo, nós mantemos o foco na busca constante pela excelência de nossos produtos e no mais alto respeito pelos nossos clientes. Essa é a base do nosso sucesso, hoje e sempre”, conclui Christian Flecksteiner.

Avançadas tecnologias de powertrain para os caminhões e ônibus

Ao longo da trajetória de 30 anos do CDT, a Mercedes-Benz do Brasil também se destacou pelo Desenvolvimento de Powertrain, como motores, sistemas de pós-tratamento dos gases de escape, transmissão, eixos e sua integração eletroeletrônica, assim como pela introdução de equipamentos de avançada tecnologia para caminhões e ônibus no mercado brasileiro. O desenvolvimento desses sistemas tem como principal objetivo a redução de emissões, mas sempre garantindo a máxima eficiência, performance e conforto na dirigibilidade dos veículos.

“Estamos 100% integrados às atividades de desenvolvimento da Daimler, ou seja, a equipe brasileira faz parte da Engenharia mundial da Companhia, sendo um braço importante para a criação de produtos locais e globais”, diz Thomas Lemcke, diretor de Desenvolvimento de Powertrain da Mercedes-Benz do Brasil. “Prova disso é que o CDT passou a ser o responsável global pela plataforma de motores a diesel das famílias BR900 e OM400 para caminhões, ônibus e até mesmo outras aplicações off-highway, como em trens na Europa e no mundo inteiro. É um grande reconhecimento para o time e um importante marco na nossa história. Esses motores também são produzidos localmente e exportados para diversos mercados e aplicações, como motores pesados da família OM 400 para a Detroit Diesel nos Estados Unidos e OM 900 para ônibus no México”, completa.

Entre os modernos recursos aplicados a veículos comerciais no Brasil incluem-se os câmbios automatizados de última geração com engates precisos, rápidos e que asseguram uma condução mais econômica e mais confortável para o motorista.  Além disso, destacam-se o computador de bordo, diagnose on board, piloto automático inteligente, limitador de velocidade, exclusivo freio-motor Top Brake, sistemas ABS e ASR, retarder, freios a disco, sistemas de elevação/rebaixamento e de ajoelhamento da suspensão de chassis de ônibus e muitos outros.

Thomas Lemcke também destaca a evolução do CDT em infraestrutura de desenvolvimento, que vai desde o projeto e a simulação, até medições e testes para validação dos produtos, o que otimiza os processos e assegura mais eficiência, confiabilidade e qualidade. Como exemplo, ele cita o avanço tecnológico nas oficinas e bancos de prova de motores, sendo dois destes mais recentes e exclusivos para o desenvolvimento dos motores e sistemas de pós-tratamento que atenderão à futura legislação Proconve P-8 (Euro 6), em 2023.

Segundo o executivo, atualmente, toda a informação do CDT está globalmente integrada na nuvem. Assim, um engenheiro da Alemanha pode ver os resultados em tempo real de um teste sendo realizado no Brasil e vice-versa. Hoje, o Laboratório de Motores está equipado com 12 bancos de prova de última geração e tem papel fundamental no desenvolvimento dos motores para atendimento a novas demandas do mercado em termos de biocombustíveis, emissões, eficiência, desempenho, consumo, durabilidade e custo operacional.

Um desafio marcante foi a introdução do sistema de pós-tratamento de gases de escape, com a tecnologia BlueTec 5, inovação para os caminhões e ônibus da marca, o que exigiu o desenvolvimento de características específicas para as condições de utilização no Brasil. Uma grande evolução tecnológica, pois, após a era dos motores mecânicos com bombas rotativas, vieram os motores com gerenciamento eletrônico e, depois, os sistemas de pós-tratamento, que estão cada vez mais modernos e eficientes. Essa evolução certamente continuará para atender às novas legislações e novas tecnologias que virão pela frente. 

Antes de chegar ao mercado, um veículo Mercedes-Benz é submetido a exaustivos testes funcionais, de durabilidade (ciclo de vida operacional “endurance”) e durabilidade estrutural. Isso faz parte da filosofia da marca, que busca assegurar o elevado padrão de qualidade que conquistou mundialmente a confiança de seus clientes. Protótipos de veículos são especialmente construídos para definições conceituais e avaliações experimentais.

O CDT conta ainda com os avançados recursos do Hydropuls, um sofisticado banco de provas que simula a operação de um veículo numa condição severa e diversos bancos de provas para testes de Eixos que aceleram o processo de avaliação de um componente para que os resultados dos testes de durabilidade sejam alcançados mais rapidamente.

“Com toda essa estrutura e contando com pessoas experientes e competentes, o CDT sempre amplia as possibilidades de buscar novos conhecimentos e aprendizados por meio da inovação e de novas tecnologias”, diz Thomas Lemcke. “É um orgulho muito grande para todos poder contribuir para a Engenharia brasileira e para a nossa sociedade como um todo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vissta Buss DD da 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 08/2021 Senior da PB Rio Apache Vip V da Viação Pendotiba Apache Vip V da N.S. Penha Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba