Impulsionada pelas entregas do programa Caminho da Escola e no segmento de fretamento, Marcopolo mostra crescimento de volumes no segundo trimestre de 2021

Por Secco Consultoria de Comunicação
Imagens Júlio Soares

No segundo trimestre de 2021, a Marcopolo registrou crescimento de produção acima do percentual registrado no mercado nacional. No 2T21, o Brasil registrou aumento de 4,7%, com 3.456 unidades produzidas, no comparativo a 2T20. No mesmo período, a Marcopolo atingiu crescimento de 21,6%, com 2.483 unidades produzidas nas unidades brasileiras, incluindo a produção de modelos Volare.

A receita líquida da companhia somou R$ 823,7 milhões no 2T21, aumento de 3,2% ante o 2T20. O lucro bruto atingiu R$ 60,5 milhões, com margem de 7,4%. O EBITDA totalizou R$ 140,5 milhões, com margem de 17,1%. O lucro líquido foi de R$ 200,9 milhões, com margem de 24,4%, beneficiado pelo reconhecimento dos processos de exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS, que representaram impacto positivo de R$ 383,0 milhões, antes de impostos.

O setor de fretamento está entre os segmentos que contribuíram positivamente com o desempenho da companhia no 2T21, seguido pelos modelos entregue ao programa Caminho da Escola.

“Começamos a perceber sinais de recuperação da confiança de clientes e usuários. Um dos indicativos é o aumento do interesse de compra e maior uso das frotas paradas, o que deve levar a compras efetivas mais adiante. A companhia segue confiante de que a demanda retornará de forma mais intensa no fim do 3T21, com boas perspectivas para o 4T21, quando a maioria da população brasileira deverá ter tomado a primeira dose da vacina contra Covid-19”, observou o CFO.

No 2T21, para o programa federal Caminho da Escola, a Marcopolo entregou 368 unidades, sendo 120 micros, 18 urbanos e 230 modelos Volare. Em junho deste ano, foi realizada uma nova licitação, pela qual a companhia terá o direito de 3.900 unidades, do total de 7.000 ônibus licitados.

“Aguardamos a homologação desta licitação para iniciar a produção. Além disso, seguimos otimistas com o avanço da vacinação, a reabertura das escolas e universidades e a retomada do segmento turismo”, afirma José Antonio Valiati, CFO e Diretor de Relações com Investidores da Marcopolo.

Mercado externo

Mesmo diante do cenário adverso provocado pela pandemia, no segundo trimestre deste ano, a produção da Marcopolo direcionada para exportações foi 18,8% superior ao mesmo período do ano anterior. Nas unidades localizadas fora do Brasil, a produção cresceu 61,2%, contra uma base mais fraca de 2020, quando parte das operações se encontravam com as atividades suspensas em função da pandemia. Os números representam um total de 30,9% da receita líquida da companhia no 2T21.

“Países mais avançados na vacinação, como o Chile, mostram recuperação de volumes, ao mesmo tempo que mercados importantes, como Peru e América Central, avançam mais lentamente”, comenta Valiati.

O continente africano segue como um mercado importante para a companhia, com volumes expressivos previstos para o segundo semestre de 2021. Na África do Sul, há indicação de recuperação de volumes no curto prazo. Neste cenário, no 2T21, a produção consolidada para país africano foi de 90 unidades durante o período, frente aos 24 veículos no mesmo período de 2020. 

Na América Central, o volume da produção consolidada alcançou 190 veículos no segundo trimestre deste ano, ampliando a participação no México, que no segundo trimestre do ano anterior representou 161 unidades. Na Argentina, a Marcopolo mantém a produção acelerada de ônibus urbanos, com 145 unidades fabricadas no 2T21.

Perspectivas para 2021

No segundo trimestre, a companhia fez importantes lançamentos. Em maio, lançou a linha Volare New Attack, aliando a robustez, conforto e segurança do modelo a um visual mais moderno. Em junho, foi a vez do modelo Marcopolo Viaggio 800, dedicado ao setor de fretamento. Entre os diferenciais da carroceria, a largura maior, que proporciona mais conforto e espaço interno ao passageiro, posicionando o produto na linha premium do segmento que mais se destacou no período da pandemia. 

E em julho, foi lançada a Geração 8, composta por modelos destinados ao transporte rodoviário. Os ônibus apresentam evoluções substanciais de performance, segurança, conforto e design, desenvolvidos com foco em clientes e usuários.

Os novos veículos apresentados ao mercado reforçam o posicionamento da Marcopolo no mercado mundial de ônibus, propondo soluções inovadoras em mobilidade. Os lançamentos deverão contribuir e estimular as vendas já a partir do fim do terceiro trimestre, em um momento de retomada do segmento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba Novos chassis rodoviários Volvo para longas distâncias Apache Vip IV com a nova identidade da N.S. Penha As novidades da Opção Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 07/2021 Apache Vip V da 1001