Grupo Itapemirim esclarece fatos narrados por ex-funcionário da empresa

Por Ônibus Paraibanos
Imagem Rodrigo Gomes


Em nota enviada pelo Grupo Itapemirim, com exclusividade ao Ônibus Paraibanos, a empresa esclarece os fatos narrados por Paulo Marcos Adame em comentário publicado na matéria “Itapemirim confirma negociação para patrocinar o Flamengo” que foi ao ar no dia 26 de março de 2021.

No comentário, Paulo Adame, que assina como Presidente da Associação de Ex-funcionários e Credores do Grupo Itapemirim, diz que “O atual presidente do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva, mente. Em primeiro lugar, o faturamento do Grupo Itapemirim em 2020 foi de R$ 176 milhões (fonte: Relatório Mensal do Administrador Judicial do Grupo Itapemirim – 17/03/2021). Ou seja, valor muito inferior aos R$ 400 milhões informados.”

Ele informa ainda em seu comentário que “A recuperação judicial do Grupo Itapemirim, ao contrário do que diz Piva, além de pagamentos em atraso, apresenta diversos pedidos de falência por inadimplência pedida por credores. A dívida atualizada em 2021 do Grupo Itapemirim é de R$ 255 milhões apenas com credores, e mais de R$ 2,2 bilhões em tributos, inclusive as rescisões e o FGTS dos ex-empregados do grupo.

Segundo Paulo, são várias as exigências de destituição do atual presidente, investigado pela Receita Federal por possuir quatro CPFs e nomes diferentes, que de acordo com a nota enviada pelo Grupo Itapemirim, é causada por um erro dos Correios que é responsável pela emissão do documento. Diz a nota da Itapemirim que “Já existe Procedimento Administrativo instaurado na Receita Federal de Ribeirão Preto (SP), o que resultou na anulação e cancelamento dos documentos adicionais.

Paulo Adame diz ainda que “Não é eticamente nem juridicamente concebível que empresas com esse passivo possa cogitar patrocinar o futebol ou qualquer outra atividade, sem antes cumprir suas obrigações legais.”

Segue abaixo a nota de esclarecimento do Grupo Itapemirim

O Grupo Itapemirim informa que o patrocínio do Flamengo está em análise e negociação, mas, de forma alguma, está relacionado ao plano de Recuperação Judicial. Este, segue em pleno vigor, com cumprimento fiel de todos os pagamentos dos credores habilitados no quadro geral. Nas falsas manifestações de Paulo Marcos Adame, os credores que ele supostamente representa, em sua grande maioria, e seu próprio débito, já foram quitados após tramites legais.
 
O fato mencionado sobre a suposta falsidade ideológica de Sidnei Piva de Jesus foi esclarecido às autoridades competentes em seu depoimento no dia 22 de outubro de 2020. Seu CPF, utilizado inclusive na aquisição da Viação Itapemirim, está regular na Receita Federal, e a existência de outros dois CPFs neste nome é derivada de erro dos Correios, órgão responsável pela emissão. Já existe Procedimento Administrativo instaurado na Receita Federal de Ribeirão Preto (SP), o que resultou na anulação e cancelamento dos documentos adicionais.
 
Por fim, o Grupo Itapemirim reitera que Paulo Marcos Adame, muitas vezes, atua em nome da família Cola, no intuito de causar tumultos e obstruir o prosseguimento da Recuperação Judicial. Diante de suas falsas afirmações nos autos do processo, Paulo Marcos Adame foi advertido pelo Juiz da Recuperação Judicial no final do ano 2020 de que qualquer nova manifestação, visando exclusivamente perturbar os processos, será penalizada por litigância de má-fé, podendo ser condenado com o pagamento de multa, bem como em indenização a favor do Grupo Itapemirim no percentual a ser arbitrado pelo Juiz, nos termos do artigo 81 e §3º, do CPC.

2 comentários em “Grupo Itapemirim esclarece fatos narrados por ex-funcionário da empresa”

  1. Olha se o Paulo Adame não representa a família cola Paulo Adame defende o grupo de funcionários demitidos desde o início da gestão dos três mosqueteiros que no início chegaram fazendo um monte de coisa como comprar carro usados da cometa pintando para Itapemirim e rápido marajó só que no início era Milton Rodrigues Junior, Camila Valdivia e então o tal Sidney Piva o qual estar fazendo o papel de caloteiro pois não pagou os demitidos desde quando eles assumiram a empresa e no início da pandemia demitiu a nível Brasil 500funcioraios e não pagou nada até hoje e eu sou um deles, a pergunta é como que uma empresa em recuperação judicial não honra os pagamentos e fica reabrindo empresa aeria e postando investimento na linha férrea e inventa patrocínio a um clube como o Flamengo o correto é pagar a quem deve e depois tomar outros rumos mais primeiro pagando a quem carregou a empresa nas costas eu como motorista do guincho trabalhei de sol a sol perdendo noite inclusive noite para desviar da polícia rodoviária federal porquê a Itapemirim sempre gosta de andar errada

  2. Fui demitida sem justa causa em janeiro d 2021 e não pagaram minha rescisão, essa empresa não deposita fgts dos funcionário, sai com uma mão na frente outra atrás, sai sem nada, vc liga pra garagem ninguém sabe de nada, maior descaso , maior covardia, trabalhei sol e chuva e as vezes doente, essa empresa Itapemirim não tem consideração com ex funcionários, está ostentando avião patrocínio e ônibus novos as custa do direito do trabalhador, são uns covardes, desumanos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Busscar Vissta Buss DD da Auto Viação Catarinense A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental