FETPESP lança manifesto em defesa dos transportes de passageiros

Por FETPESP
Imagens Rodrigo Gomes

A FETPESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo está lançando um manifesto em defesa dos transportes urbanos, rodoviários, suburbanos e intermunicipais diante das medidas que vêm sendo adotadas, em diversos municípios paulistas, de restrição às atividades, diante da expansão da Covid-19.

Além de amargarem severos prejuízos operacionais e financeiros, decorrentes da acentuada queda da demanda, em quase 80%,  as empresas estão enfrentando os diversos reajustes no preço do óleo diesel, a manutenção do veto presidencial ao auxílio de R$ 4 bilhões, que ajudaria a aliviar a pressão financeira sobre as operadoras, e uma intensa e injustificada campanha da mídia contra o transporte coletivo, sob a suposta alegação de que é ele o meio de propagação do coronavírus, quando se sabe que todas as empresas estão adotando as rígidas medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde, para a preservação de seus colaboradores e clientes.

A FETPESP espera, com o manifesto, sensibilizar as autoridades de que é necessário dar efetiva prioridade ao transporte público de passageiros, um serviço que garante a manutenção das demais atividades essenciais, a atividade econômica do Estado e municípios e a mobilidade da população.

MANIFESTO

PELA SOBREVIVÊNCIA DO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

A FETPESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo vem manifestar a sua preocupação com o inevitável agravamento da situação operacional e econômico-financeira das empresas que prestam serviços de transportes urbanos e rodoviários, nessa segunda onda da pandemia da Covid-19.

As operadoras amargaram, em 2020, uma brusca queda da demanda que atingiu em muitas localidades 80% do total de passageiros transportados em 2019, mantendo a quase totalidade de seus veículos em circulação, o que resultou em grave desequilíbrio financeiro, já que boa parte delas depende das tarifas para cobrir seus custos operacionais.

Nesse momento, com o avanço das medidas restritivas adotadas pelo Governo Estadual e pelos Municípios, é de se prever a exacerbação dos problemas, agravados, mais ainda, com as infundadas notícias de que os transportes coletivos apresentam altos riscos de transmissão do vírus, considerando que as empresas vêm seguindo todos os protocolos sanitários e investindo em modernas tecnologias na desinfecção da parte interna dos veículos.

A FETPESP se solidariza com as empresas operadoras que estão debilitadas, com dificuldades para cumprir seus compromissos contratuais e financeiros, sem perspectivas a curto e médio prazos.

Além de defender uma melhor interlocução com os poderes envolvidos na sensível questão da mobilidade, na busca de soluções conjuntas, a FETPESP pleiteia que as autoridades sanitárias revejam a lista dos grupos prioritários para a vacinação contra o coronavírus, dando efetiva precedência aos profissionais do transporte de passageiros que prestam uma atividade essencial à população, seja nas ruas das cidades, como nas estradas do Estado.

Mauro Artur Herszkowicz

Presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Repasses de Busscar da UTIL para a Brisa Ideale 1440 da Paraíba Turismo Paradiso DD da Itabus Ideale da VIX Logística Paradiso DD da Fabbitur Paradiso DD da Martinele Transportes Ideale da Tursan Turismo Comil Svelto da Viper Transportes Cidades com Tarifa Zero O CAIO Amélia na Transnacional