Campanha #NãoSeCale de combate à violência contra a mulher passa a circular em 20 ônibus de João Pessoa

Por Fernando Patriota/Gecom-TJPB
Imagens
Divulgação

A partir desta terça-feira (9), passam a circular por todos os bairros de João Pessoa 20 ônibus estampando a campanha #NãoSeCale – Violência Doméstica é Crime. Em 10 veículos foram fixados busdoors na parte externa dos para-brisas traseiros e em mais 10 ônibus os busdoors estão voltados para o ambiente interno. A campanha é uma iniciativa do Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, em parceria com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Capital (Sintur) e faz parte da Semana da Justiça Pela Paz em Casa. 

O lançamento da campanha aconteceu na manhã desta terça-feira (9), na garagem da empresa de ônibus Transnacional, com a participação da coordenadora em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJPB, juíza Graziela Queiroga, representando o Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides, que se encontrava em outro compromisso, e do diretor institucional do Situr, Isaac Júnior Moreira. 

A juíza adiantou que, ainda este mês, dois outdoors serão instalados nas comarcas de Sousa e Cajazeiras com o mesmo conteúdo da campanha que acontece na Capital. “Este é mais um mecanismo, mais uma forma de massificar a mensagem de que a violência doméstica é crime e que a gente não pode se acostumar com isso. A sociedade precisa compreender que a violência contra mulher não é natural. É dever de todos ajudar as mulheres vítimas de violência, denunciando. A Justiça está com a população nessa busca constante de trazer melhores dias para as mulheres”, comentou Graziela Queiroga, ao manifestar a preocupação da gestão do Desembargador Saulo Benevides com a temática da violência contra as mulheres.

A magistrada destacou que as denúncias de violência podem ser feitas pelos telefones 180 (número nacional); 190 (PM, quando o crime estiver acontecendo) e 197 (Polícia Cível, denúncia anônima). “O importante é não se calar e dar um basta à violência”, frisou a juíza.

“Não podemos minimizar ou normalizar qualquer tipo de violência contra a mulher. O espaço visual concedido nos ônibus é muito importante para veicularmos essa mensagem de repúdio a esse tipo de crime”, enfatizou Isaac Júnior Moreira. Ele explicou que os busdoors estão fixados nos para-brisas de 10 ônibus e os cartazes internos em mais 10 veículos. “Desta forma, quem estiver nas ruas ou como passageiros serão alcançados pela mensagem”, avaliou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Busscar Vissta Buss DD da Auto Viação Catarinense A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental