Ônibus Paraibanos

A dança dos prefixos dos ônibus de João Pessoa nos últimos 40 anos – Parte 2

Na semana passada publicamos a parte 1 da dança dos prefixos dos ônibus de João Pessoa nos últimos 40 anos, no que a princípio seria só uma matéria. Mas como dissemos na parte 1, era tanta história para contar que dividimos a matéria em duas partes. Agora você confere a parte 2, com as numerações 06, 07, 08 e 09. E estamos preparando ainda uma série com os prefixos intermunicipais e de Campina Grande.

06- São Judas Tadeu (SJ06), Boa Viagem (BO06) e Santa Maria (SM06)

Antes da Boa Viagem copiar o modelo da Setusa, já existiu antes dela uma empresa com código 06: constituída a partir das linhas municipais de João Pessoa que pertenceram a Rodoviária Santa Rita, a São Judas Tadeu surgiu no final da década de 1970 operando as linhas da Torre (402, hoje suspensa sem previsão de volta) e Tambaú (510 e suas cisões hoje reagrupadas nesta).

Em 1986, adquiriu a Canaã de porteira fechada; levou garagem, linhas da 2 de Fevereiro e ônibus. Porém dois anos depois, no final de 1988, a São Judas Tadeu – com o espólio da Canaã e tudo – foi adquirida pela Transnacional, que já estava operando desde o ano anterior após a compra da Nossa Senhora das Neves.

Com a compra da São Judas Tadeu, todos os ônibus dela foram renumerados para o padrão 07XX da Transnacional. Seis anos depois, a Etur sairia das ruas de João Pessoa. O que sobrou dela virou a Boa Viagem, em 1994. Herdou a garagem, os carros, a saia azul da pintura dos ônibus, mas preferiu começar do zero na numeração passando a adotar o 06 no mesmo esquema fixo de cinco dígitos da Setusa, passando bem longe do 01 da Etur.

Quando foi vendida para o Grupo A.Cândido, em 2009, a empresa mudou de garagem, de nome – passou a ser Santa Maria, remetendo a empresa de Natal – mas manteve a numeração 06 fixa em cinco dígitos. Como manteve esse parâmetro após se juntar ao Consórcio Navegantes, passou a ser parâmetro para o sistema todo em 2017, quando as outras empresas adotaram o esquema de numeração fixa em cinco dígitos, de modo a facilitar a identificação nos validadores e no GPS – por tabela, no aplicativo.

07- RB Transportes (RB07), Nossa Senhora das Neves (NN07) e Transnacional (TN07)

O código que identifica a Transnacional e que virou a sua marca registrada foi usado inicialmente na RB Transportes (RB eram as iniciais de Rui Barros, dono da empresa), que operava as linhas do Castelo Branco tanto pela Pedro II (atual 304, hoje nos Bancários) quanto pela Epitácio (atual 517, hoje em Mangabeira), adquiridas da Roger. A concessão da empresa foi cassada pela Prefeitura, o que levou numeração e linhas para outra empresa formada nesse espólio, a Nossa Senhora das Neves, que expandiu seu domínio para os recém-criados conjuntos Bancários e Mangabeira.

A empresa foi a primeira a ser adquirida pelo Grupo A.Cândido em João Pessoa em 1987, dando origem a filial pessoense da Transnacional. No ano seguinte, como mencionamos, adquire a São Judas Tadeu, e já aí se torna maior do que a própria matriz campinense. O crescimento da empresa até se tornar a maior do sistema praticamente cria referência para a matriz de Campina Grande. Em 1998, a marca das três listras que tinham cores distintas nas duas cidades, passa a ser única.

Só que em Campina Grande, o prefixo da Transnacional era 32 – numeração intermunicipal herdada da Luso Brasileira, que também foi empregada na frota municipal. Em 2009, ele passa a também ser 07 na matriz, se mantendo assim até 2016, quando os prefixos do sistema campinense foram redefinidos por conta da licitação na cidade. Atualmente a Transnacional usa o prefixo 3 em Campina Grande.

O prefixo 07 foi adotado pela Transnacional também no fretamento, desde 2018. Quando era TBS, utilizava o prefixo 05. No fretamento a numeração também é fixa de cinco dígitos, sendo o terceiro zero quando abaixo de 99. Como a empresa tem mais de 500 veículos no fretamento, se vê 07472, 07513, e por aí vai. A empresa atua em seis estados do Nordeste, porém por questão de intercâmbio, o esquema é único, não tendo numerações iguais na frota de fretamento.

A Santa Maria de Natal utiliza o padrão 070XX na frota metropolitana, onde os primeiros veículos possuem esse código. Os municipais usam 020XX.

08- Reunidas (RN08)

A empresa surgiu em 1994 operando as linhas 101, 102, 109 e 114 que eram da Etur, e posteriormente se estendendo para Mangabeira, inicialmente com a linha 209 (extinta) e posteriormente 5600. Até aqui a primeira e única a ocupar a numeração 08, não parou mais. Componente do Grupo A.Cândido, integra o Consórcio Unitrans com a Transnacional, com quem divide garagem.

Se a Transnacional fez do 07 a sua marca registrada, a Reunidas fez isso bem antes e soube tirar proveito do 08 como marca. Em 2001, estabeleceu sua marca em Natal ao adquirir a Transportes Pirangy; foi lá que estreou uma nova identidade visual que no ano seguinte seria adotada na matriz pessoense (de novo o caso da filial influindo na matriz), e alterou a numeração dos carros que herdou da Pirangy para o mesmo esquema que já usava em João Pessoa, com o prefixo 08.

As empresas são distintas, mas o esquema é o mesmo como mostramos na galeria abaixo; se há um 0825 (ou 08025) em João Pessoa, há um 0825 rodando simultaneamente em Natal. Fácil até de intercambiar os ônibus da filial para a matriz; vários repetem o prefixo de João Pessoa quando são remanejados em Natal, porém a maioria é renumerada, mas dentro do mesmo esquema.

Em 2003 a Reunidas continuou a se expandir, adquirindo da Roger as linhas de Cabedelo, bem como alguns carros. Por algum tempo os ônibus herdados da Roger rodaram com a numeração desta, mas quando eram pintados para o padrão da Reunidas, recebiam a numeração da frota de João Pessoa mesmo sendo metropolitanos, de modo que um 51XX virava 08XX. Por conta disso, a numeração da Reunidas passou de 100. Além disso, os ônibus de Cabedelo possuíam numeração dupla, exibindo o prefixo de João Pessoa nos locais habituais e o de Cabedelo nas laterais e em menor tamanho, na dianteira, porque o que valia para o DER-PB era a numeração 51 (o prefixo 08 no intermunicipal é da Viação São José, de Campina Grande). Um carro 08104 era 51104 ao mesmo tempo, mas no documento de vistoria do DER, era 51104.

A ideia de manter a numeração 08XXX nos metropolitanos seria intercambiar a frota com a frota municipal; à época da compra da Roger, a frota da Reunidas ia até 0890 (0888 e 0889 eram buracos, mas foram preenchidos por ônibus de Cabedelo), no auge foi até 08147. Só que empurrar para frente nunca dava certo, e confrontava com o próprio crescimento da Reunidas quando ia assumindo linhas ou aumentando frota. Os ônibus de João Pessoa que assumiam a numeração de Cabedelo sempre eram outros e ônibus que eram desativados da frota de João Pessoa ao serem transferidos para Cabedelo, eram renumerados para uma numeração mais alta, fora que os carros já existentes em Cabedelo iam sendo renumerados várias vezes – houve caso de ônibus renumerado três vezes em dez anos de uso, só para se ter uma ideia.

A última vez foi o limite; a Reunidas assumiu a 601-Bessa da Transnacional, e prolongou a frota até 08117, mas os carros de Cabedelo por algum tempo rodaram com as numerações repetidas. Além disso, a empresa transferiu em 2017 as unidades de 2014 numeradas como 08107, 08108 e 08109 para Bayeux, mas não as renumerou; pôs os prefixos DER nas laterais dianteiras. Mais tarde adquiriria três unidades novas com essas mesmas numerações, escaladas na então 5210-Mangabeira. Os três carros de 2014 foram transferidos para Cabedelo… E rodaram com as numerações repetidas por um bom tempo podendo até se encontrarem. Isso acabou em 2018 quando a numeração enfim foi redefinida para 51XXX, com a transferência das linhas de Cabedelo para a Transnacional.

Desde 2017 a Reunidas de João Pessoa adota a numeração fixa de cinco dígitos; o que a filial de Natal ainda não adota (a Santa Maria sim e levou esse esquema para lá em 1997, porém usa a numeração 02). Se em João Pessoa há um 08001, em Natal ele continua sendo 0801. Porém há dois 08107, um para cada cidade.

09- Marcos da Silva (MS09) e Nossa Senhora Aparecida (NS09)

A Marcos da Silva, que operou de 1970 até 2019, foi a detentora da numeração 09 por quase 50 anos. A Nossa Senhora Aparecida herdou a numeração junto com a garagem e parte de sua frota. A garagem da Mandacaruense e outra parte da frota ficaram com a São Sebastião, que compartilhou a numeração 09 até conseguir a sua própria na semana passada, que é 03.

Compartilhe esta matéria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.