Ônibus Paraibanos

Prestes a voar, Itapemirim não esquece Camilo Cola

Por Jornal Fato – Ramon Barros
Imagem Divulgação

O Diretor Executivo da ITA Transportes Aéreos, Tiago Senna, conversou com o Jornal Fato nesta segunda-feira (24), sobre o projeto de iniciar os voos por todo o Brasil. Ele revelou que os investimentos passam de R$ 400 milhões e serão contratados 600 colaboradores para todas as funções: de piloto à operações de base terrestre.

Sobre as rotas, Senna não informou por se tratar de questões estratégicas e por depender de todas as liberações da Anac (Agência Nacional de Aviação Comercial). Porém adiantou que as bases estarão no Galeão (Rio de Janeiro), Guarulhos (em São Paulo) e Brasília.

“A Itapemirim é um grupo rodoviário e não vamos deixar as conexões sem ligação com as rotas aéreas”, antecipou Tiago Senna.

Em um mercado competitivo e que se reinventa, a ITA promete um diferencial no atendimento, com serviços de qualidade, recebendo os clientes com alto padrão de qualidade.

Estão previstos R$ 400 milhões de investimentos e Senna ainda informou que há a independência operacional e financeira entre a ITA Transportes Aéreos e Viação Itapemirim.

Os voos estão previstos para começar em 2021, período em que as autoridades de saúde estimam que ainda haverá circulação do novo coronavírus. Já nos ônibus, a higienização, distribuição de máscaras e álcool gel, entre outros cuidados é constante. Portanto os aviões estão sendo planejados para essa realidade:

“No avião, não será diferente: as medidas sanitárias estarão vigentes para embarque e dentro dos aviões, respeitando a saúde dos nossos clientes e funcionários, e as aeronaves estarão equipadas com filtros EPA, que renova e circula o ar a cada 2 minutos e esses filtros seguram 99,99% das bactérias”, garante o CEO da Ita.

A seleção de funcionários irá priorizar a meritocracia: “Não irá entrar ninguém na empresa por indicação ou por ser amigo de alguém”, garante Tiago Senna.

Além desta seleção, o inglês é essencial para todos os funcionários. Portanto este idioma e o português serão avaliados nível Fuvest.

Serão admitidos 600 colaboradores. Mas todas as provas terão validade por um ano e poderão ser convocados ao longo de suas operações. Serão 10 aeronaves na primeira fase, com expectativa de se chegar a 50 aviões.

“Quero agradecer à Cachoeiro e ao Sr. Camilo Cola por ter criado essa empresa. É um orgulho poder retornar para a cidade essas notícias de um grande investimento como esse da ITA Transportes Aéreos. Espero que possamos resgatar e aumentar esse orgulho para cada cidadão de Cachoeiro”, avalia Tiago Senna.

CONFIRA NA ÍNTEGRA A ENTREVISTA EM VÍDEO

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.