Marcopolo apresenta sistema que protege passageiros de ônibus da transmissão de coronavírus

O chamado FIP faz parte da plataforma Marcopolo BioSafe, lançada em junho para proteger profissionais e passageiros em meio à pandemia

Por Gaucha
Imagens Divulgação

A fabricante de ônibus Marcopolo e a Unesul realizaram, na tarde desta quarta-feira (29), demonstração de sistemas e protocolos de segurança contra a transmissão de coronavírus no transporte de passageiros, em ação na rodoviária de Porto Alegre. No evento, transmitido ao vivo nas redes sociais, procedimentos de higienização manual do interior do coletivo, sanitização dos boxes e a utilização do sistema de desinfecção por névoa seca, chamado de fog in place (FIP), foram realizados.

O FIP faz parte da plataforma Marcopolo BioSafe, lançada em junho e que prevê uma série de inovações para proteger profissionais do transporte e passageiros em meio à pandemia. O conjunto de ações também contou com a participação da Imunizadora Hoffmann.

— A gente tem feito algumas ações nos terminais. Temos um trabalho feito com os operadores. Eles já conhecem essa tecnologia, mas agora a gente começa a se aproximar mais dos passageiros e dos próprios terminais para fazer com que as pessoas percebam que já existem condições de retomada da mobilidade com mais segurança — afirma o head de inovação da Marcopolo e diretor da Marcopolo Next, divisão de inovação da companhia, Petras Amaral.

No sistema FIP, uma névoa de solução biocida é dissipada no interior do ônibus. Como não está em estado líquido durante a aplicação, o produto não deixa bancos e demais objetos do coletivo úmidos, mesmo atingindo 100% das superfícies do local. Um ônibus da Unesul passou pelo processo durante a ação desta quarta-feira.

A Unesul também demonstrou como é feita a higienização interna dos veículos, com uma funcionária aplicando produtos de sanitização nos objetos de uso comum. Esse procedimento é realizado nos intervalos entre as viagens da companhia.

Sistemas de inovação

Além do sistema FIP, a plataforma da Marcopolo também conta com o Safe Check-in, aparelho que mede a temperatura, confirma o uso de máscara e faz a leitura da passagem para dar acesso aos veículos, cortinas de proteção antimicrobiana e uso de raios ultravioleta UV-C no ar-condicionado e nos sanitários. O diretor da Marcopolo Next avalia que, em um cenário pós-pandemia, a cultura no âmbito da segurança nos meios de transporte passará por uma transformação:

— A gente enxerga que vai haver uma mudança cultural, mas também uma alteração nos protocolos e em normas referentes à biossegurança.

Segundo a Marcopolo, empresas de ônibus no Brasil e em países como Argentina, Chile e Peru já adotaram inovações de biossegurança da Marcopolo. No Rio Grande do Sul, a Ouro e Prata já iniciou uma prova de conceito do sistema FIP. Amaral afirma que outras empresas, como a Unesul e a Caxiense, já demonstraram interesse em aderir ao sistema.

No evento de demonstração, também foram reforçadas as medidas de segurança e prevenção adotadas na Rodoviária de Porto Alegre, como as marcações de distanciamento na fila de passageiros. O sistema FIP também foi utilizado na área dos guichês durante o evento.

O sistema de distanciamento social do Estado prevê uma série de restrições para o transporte de passageiros, que variam de acordo com a cor da bandeira.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.