Ônibus Paraibanos

Relíquias da Itapemirim: Um Diplomata que queria ser Jum Buss

Por Ônibus Paraibanos
Imagens Paulo Rafael Viana / Internet

Os primeiros ônibus a fazerem parte do serviço Tribus da Viação Itapemirim foram do modelo Dinossauro da encarroçadora carioca Ciferal, mas poucas das 96 unidades encomendadas pela Itapemirim foram produzidas e como o modelo tinha um estilo já bastante desatualizado, a empresa capixaba resolveu substituir a antiquada carroceria da Ciferal pelo modelo Diplomata, da Nielson, muito mais moderno e quase 20 cm mais longo, alcançando o comprimento máximo permitido pela recém-aprovada legislação federal – 13,20 m.

Em nossas andanças pela Paraíba encontramos algumas unidades desses Diplomatas 2.60 ainda em operação e outras já mostrando os “sinais da idade” avançada e de longos seja pela Viação Itapemirim seja por outras empresas pelo país.

Em 2011, em mais uma das nossas andanças, achamos em João Pessoa, mais uma unidade de um desses Diplomatas 2.60 que fizeram parte da frota da Itapemirim no passado. Bastante judiado e com grade e parachoque da família Jum Buss da Busscar, sucessora da Nielson, ele estava estacionado num terreno no bairro do Ernesto Geisel.

O seu chassi era o Itapemirim SBVM que era fabricado dentro da própria matriz da Itapemirim e possuía a mecânica Mercedes-Benz OM355LA.

Pesquisando um pouco por seu passado, achamos apenas que ele pertenceu a empresa Viagens América. O seu exato prefixo na Itapemirim não conseguimos descobrir, porém sabemos que faz parte da série de prefixos 101XX.

O atual paradeiro não é conhecido, mas por seu licenciamento não ser renovado desde 2010, segundo o DETRAN-PB, o seu provável destino pode ter sido algum ferro velho aonde ele pode ter sido desmontado ou está abandonado em algum lugar do estado.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.