Empresas de ônibus de Campina Grande suspendem contratos de 700 funcionários

Contratos de trabalho ficarão suspensos pelo período de 60 dias, diz Sitrans. Trabalhadores que tiverem os contratos suspensos têm direito ao saque do seguro desemprego.

Por G1 Paraíba
Imagem Artur Lira

As empresas que operam o transporte público coletivo de Campina Grande suspenderam, por 60 dias, os contratos de trabalho de 700 funcionários. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (15) pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Sitrans) da cidade, que informou que a medida foi tomada por causa da redução de viagens e passageiros durante a pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

As representações sindicais de empresários e funcionários se reuniram por videoconferência na terça-feira (14) para chegarem a um acordo. Participaram da reunião o Sitrans e a Federação Interestadual dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Nordeste, que representou os motoristas e acatou a suspensão.

Foram afetadas pela medida colaboradores que ocupam as funções de motoristas, fiscais, manobristas, mecânicos e do setor administrativo. Conforme o diretor institucional do Sitrans, Anchieta Bernardino, a medida foi adotada para que os funcionários não fiquem sem receber os salários.

Ainda de acordo com o órgão, a decisão foi respaldada pela Medida Provisória (MP) do governo federal que instituiu o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

A MP permite, por meio de acordos entre patrões e empregados, redução de jornada de trabalho com redução salarial ou suspensão de contratos de trabalho durante a pandemia da Covid-19. Os trabalhadores que tiverem os contratos suspensos, têm direito ao saque do seguro desemprego.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.