O último monobloco da Itapemirim

O 40519 foi o último dos monoblocos da amarelinha

Por Ônibus Paraibanos
Imagens Paulo Rafael Viana

Em 1996, a Viação Itapemirim investiu US$ 40 milhões na compra de 175 monoblocos Mercedes-Benz O-400RSD para o lançamento do seu novo serviço Starbus, história essa contada pelo Ônibus Paraibanos em maio de 2015. A compra foi única e foi uma das últimas encomendas feitas pela Mercedes-Benz enquanto fabricante de ônibus completos. Tanto essa compra quanto a da São Geraldo, feita na mesma ocasião, entraram para a história.

Desses 175 monoblocos adquiridos pela Itapemirim, alguns foram transformados em Dreambus, outros foram perdidos em acidentes, como o 40229, envolvido no trágico acidente do Barro em 2004, o qual foi reencarroçado como um Paradiso G6. Outros foram vendidos, e atualmente só restam 30 unidades na garagem da empresa, de acordo com recente levantamento realizado pela atual gestão. Destes 30, pelo menos dois rodam.

Vendido para proprietário particular, o 40519 foi o último monobloco fabricado. Estes são registros do veículo quando o Ônibus Paraibanos visitou a garagem da Viação Itapemirim em Campina Grande, no ano de 2012.

Tal modelo marcou tanto na empresa que seu design serviu como referência para a construção da quarta e última geração do Tribus, cuja carroceria é nada menos que a do Tribus III, mas com frente e traseira dos monoblocos O-400 RSD.

13 Replies to “O último monobloco da Itapemirim”

  1. Raudine Rodrigues de Souza disse:

    Trabalhei na Itapemirim nós anos 80 foi pra mim uma grande experiência de vida.. tenho saudades até hoje quando passo na porta da garagem não deixo de da uma olhada lá dentro mesmo tando dirigindo…passo todo dia aqui no anel rodoviário… sinto muita saudades daquele tempo B.Hte..minas Gerais..

    • Mauro Braga Lopes disse:

      Trabalhei na Itapemirim de 96 a 2009 o que mais me marcou foi a sere 30000 tenho muita saúde cetor BH

      • José Eduardo Pereira Gonçalves disse:

        Meu pai Antônio Tetê trabalhou na febre amarela na estrada velha da pavuna e na Avenida Brasil com grande gerente Bernardino, Gutemberg e muitos amigos mtrs. Andava com meu pai no tempo do corrimão dos ônibus para abri a porta . Digo uma coisa melhorou muito, GPS, conforto ,tecnologia e sempre atualização das empresas para seus clientes e hoje qualquer um pode ser motoristas ,mas na década de 70, 80, 90, 2000 ser Itapemirim era ser orgulho e.não.era pra quais é um não,.meu pai esta ao meu lado agora ao escrever isto ( 73 anos) e tive a honra de brincar quando criança (10anos) na garagem Av , Brasil, forte apache e de inhauma RJ . Hoje tenho 47 anos , trabalhei na Itapemirim do RJ ( AV BRASIL) Rio e Fortaleza, me tornei com muito orgulho motorista numa empresa de Fortaleza e fui buscar um carro no RJ para trazer para Fortaleza. Ao pegar o carro em xerem e pegar a estrada e subir a serra e chegando além Paraíba, cruzei com ônibus da Itapemirim, chamei na seta, puxei pra esquerda e dei um barra limpa( expressão passava os cinco dedo no bigode) comecei à chorar e me senti homem
        Mais feliz do mundo e muito agradecido ao meu pai Antônio Tetê e à todos vocês meus amigos motoristas que viu aquela brincadeira de criança, se tornar o amor da sua vida e dizer aos nossos mestres ou como dizia, .SÓ CHOFEZAO, Meu muito obrigado e o legado de vocês, amor pela profissão, aquela competição do disco de diagrama quem deixava mais retinho e troca de marcha sem sem sentir, que trocou de marcha . Aprendi com os melhores da via Dutra e todos os chofezao de todo Brasil da nossa viação Itapemirim era maravilhoso 46candidatos e as vezes, passava no teste 3 ou 4 candidatos. Kkkkk. Está era nossa Itapemirim e só os melhores pertenci.à este seleto grupo. Obs: no rio trabalhava no.tráfego do RJ e Ftz ( 2000.a 2005) as hoje sou motorista com muito amor, graças à estes homens mtrs maravilhosos, que construíram um sonho e brincadeira de criança, se tornar Doutor no que ama ,SER MOTORISTA e nunca haverá outra . Viação Itapemirim do Dr Camilo cola. Meu muito obrigado e continuaremos com seu legado é amor e contos dos grandes homens , mulheres e colaboradores que construíram à ITAPEMIRIM..A febre amarela.

  2. Jesuel Vieira disse:

    Cara
    Parabéns p/matéria
    Sou dá e apaixonado p/esses monoblocos.

    Lindo

  3. Alonso Ferreira disse:

    Amei o comentário gostei das informações parabéns.

    • Eu também trabalhe na Itapemirim em 1999 e uma ótima empresa eu era roteirista do setor aéreo recebi 209 toneladas de carga em uma única noite e na distribuição das entregas pedi 35 carros vei todos e o manobrista ainda me perguntou se eu queria + carros,e pgto de salário tudo em dia pontualmente.

  4. Renato disse:

    Essa empresa marcou época, viajei duas vezes para o Ceará nela, época boa.

  5. José Brito Viana disse:

    Gostei de ver a demonstração dos últimos monoblocos da Itapemirim, me veio agradáveis lembranças, pois viagei algumas vezes nesses ônibus de São Paulo até Juazeiro do norte e de volta pra São Paulo. Uma viagem cansativa, mas gratificante…

  6. Ismar Carneiro disse:

    Parabens Itapemirim, quantas viagens por este Brasil continental. Saudades dos tempos que os onibus não tinham ar condicionado, o ar era as janelas. paradas eram populares, agora é só luxo, as paradas ninguem consegue comer um lanche de tao caro. Os vidros são filmados, ninguem consegue ver a paisagem.

  7. Carlos Alberto Querino e Silva. disse:

    Magnífica Abordagem, sobre os últimos monoblocos em 1996.Emocionantes imagens épicas da Magnífica Viação Itapemirim S/A.Parabens aos autores e editores.

  8. Meu sonho é conseguir um ônibus pesso alguém de bom coração que min ajude a realiza esse sonho sei que tem muita gente boa agradeço muito por favor min ajude.

  9. Geovando Moutinho Santos disse:

    Eu trabalhei na Itapemirim em1976 no Rio de Janeiro nos Rodonaves e tenho muita saudades daquele tempo, nunca tive patrões tão bons e humanos, na época ganhei todos os enxovais dos meus filhos Dona Inês e seu Camilo tratava todos iguais empresa muito séria, parabéns pelo trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.