Projeto de ônibus rápido de JP permanece no papel desde 2014

Impasse referente à liberação de recursos financeiros impossibilita o início das obras da ‘Linha Troncal de Transporte Coletivo de Massa’ em JP

by:

BRTJoão PessoaMobilidade UrbanaParaíbaPostagens MISC/VariadasSemob

Por Portal Correio
Imagem / Vídeo Divulgação

As obras do projeto de Bus Rapid Transit (BRT) de João Pessoa, ônibus rápido na sigla em inglês, chamado posteriormente de ‘Linha Troncal de Transporte Coletivo de Massa‘, ainda não saíram do papel desde 2014.

Essa realidade entra em confronto com o que previa o chefe da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), Adalberto Araújo, que informou ao Portal Correio no fim do ano passado que a instalação do serviço deveria começar no primeiro semestre de 2019.

Na ocasião, a Semob-JP informou que elas começariam pela Avenida Dom Pedro II, orçadas em R$ 52 milhões que seriam emprestados pela Caixa Econômica Federal. Adalberto ainda falou que a proposta poderia futuramente se estender a outros corredores da Capital.

Como não houve nenhuma obra na Pedro II para o novo sistema de ônibus, o Portal Correio voltou a procurar o órgão municipal em busca de esclarecimentos. Até a publicação desta matéria, o que ficou perceptível é uma dificuldade de comunicação e/ou entendimento entre a Prefeitura de João Pessoa e o governo federal.

O que diz a Semob-JP

Após contato com a assessoria de imprensa da Semob-JP, obtivemos a seguinte nota como resposta:

“A Semob-JP esclarece que já realizou todas as etapas cabíveis para início das obras da nova Linha Troncal da Pedro II, restando apenas a liberação dos recursos por parte do Governo Federal”. 

Questionada sobre qual setor do governo federal seria responsável pela liberação de verbas, a Semob-JP indicou que se trata do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), comandado pelo ministro Gustavo Canuto, o que diverge da informação anterior, de que o dinheiro viria por empréstimo da Caixa Econômica Federal. Não foi esclarecido se o valor permaneceria em R$ 52 milhões.

MDR

Procuramos a pasta responsável no governo federal e, diferentemente do que a gestão municipal havia nos passado inicialmente, o ministério, em nota encaminhada, alegou que ainda há a necessidade de complementação de informações por parte da Prefeitura de João Pessoa para que os recursos possam ser liberados. Veja abaixo o comunicado na íntegra:

“O Ministério do Desenvolvimento Regional informa que o município de João Pessoa possui carta-consulta cadastrada no Programa Avançar Cidades, cujo objeto é ‘Implantação de um corredor central com faixa exclusiva à esquerda: Corredor Pedro II’.

A área técnica da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana (Semob), responsável por analisar a documentação das propostas, apontou a necessidade de complementação de informações por parte da Prefeitura. O projeto foi reencaminhado ao agente operador dos recursos para que os complementos fossem realizados pelo Município.

Até o momento, o MDR não recebeu o projeto com essas complementações. Por esse motivo, os recursos ainda não foram liberados.”

Com isso, a Semob-JP foi novamente abordada e, através da assessoria, afirmou que não houve qualquer envio oficial de um pedido de informações complementares.

“A Semob-JP vai entrar em contato com o MDR para ficar a par da situação e avançar na concretização do projeto”, garantiu o órgão.

O MDR e a Semob-JP não detalharam qual seria o conteúdo dessas supostas informações/complementações pendentes. Nenhum dos órgãos citados estabeleceu qualquer prazo para um entendimento ou início efetivo das obras.

‘Linha Troncal’ (BRT)

O trecho previsto para funcionar na Avenida Dom Pedro II deverá, conforme a Semob-JP, atender cerca de 25% da população de João Pessoa. O projeto não será apenas para ônibus e também envolverá as calçadas, vias de passagem, passeio público, terminais, dentre outros recursos de mobilidade.

Desde 2014

O projeto do sistema de ônibus rápido de João Pessoa foi apresentado pela primeira vez em 2014. A execução total da ideia prevê a construção de terminais e corredores exclusivos nas avenidas Epitácio Pessoa, 2 de Fevereiro, Cruz das Armas, Pedro II e áreas do Centro e dos bairros de Mangabeira e Cristo.

A promessa do prefeito Luciano Cartaxo, na época, era de revolucionar o conceito de mobilidade em João Pessoa. “Haverá mais conforto, acessibilidade e eficiência nos transportes públicos. Isso vai estimular as pessoas a deixarem o carro em casa e irem trabalhar de ônibus”, disse ele quando o projeto foi mostrado em 29 de agosto de 2014.

Veja o vídeo do projeto de BRT divulgado naquele ano pela prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.