Vídeo mostra decolagem de Boeing da Itapemirim Cargo

A empresa operou apenas 10 anos

Por Ônibus Paraibanos com informações de Aviação Brasil / Vôo Virtual
Imagens Gianfranco Beting 
Vídeo Eduardo Bentes

Com grande tradição no transporte de passageiros por todo o Brasil, mas em linhas rodoviárias, a Itapemirim, que também possuía uma divisão de cargas rodoviárias, debutou na aviação comercial sendo fundada em 1990, para voar de Campinas / Viracopos para Manaus, além da rota Campinas – Galeão – Recife – Fortaleza, competindo também com a TNT Sava. A empresa decolou com Boeings 727-100F comprados da Varig (PP-ITA, ex-PP-CJL) e PP-ITM (ex PP-VLW) e logo veio o terceiro, PP-ITL, ex- Evergreen.

A empresa adicionou outros dois Boeing 727 a frota e arrendou o Douglas DC-8-71F que estava na Vasp. A Itapemirim adicionou novas rotas nas cidades de Belém, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro, isso já em 1993.

Chegou 1995 e a Itapemirim, que possuia a maior frota cargueira da América do Sul, com 6 Boeing 727, sendo dois da versão 200, estava operando nas cidades de Florianópolis e Porto Alegre, na Região Sul, Rio e São Paulo no Sudeste, Fortaleza, Recife e Salvador no Nordeste, Brasília no Centro-Oeste e Belém e Manaus na Região Norte.

Em 1997 a empresa mantinha uma taxa média de ocupação de suas aeronaves em torno de 75%, além de alugar o Boeing 707 da Skymaster para realizar alguns vôos. Dois anos depois, a Itapemirim Cargo vendeu dois de seus Boeing 727-100 a Gemini Cargo, de Angola e colocou suas outras quatro aeronaves 727 a venda.

E relembrando essa história dos aviões da Itapemirim Cargo, vamos ao vídeo de Eduardo Bentes que mostra a decolagem de um Boeing 727F da empresa no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins.

A empresa operou apenas 10 anos com Boeing 727F e encerrou as atividades de certa forma até inesperada. A Itapemirim chegou aos anos 2000 sem nenhuma aeronave e teve sua licença cassada pelo DAC – Departamento de Aviação Civil.

One Reply to “Vídeo mostra decolagem de Boeing da Itapemirim Cargo”

  1. Paulo Roberto disse:

    Infelizmente o erro da Itapemirim, foi investir no setor aéreo ,mais faz parte da sua história belo registro .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.