João Pessoa promete ‘revolução do transporte coletivo’, ainda no papel

Por Portal Correio
Imagens Adriano Minervino / Divulgação

Desde março de 2014, já se passaram cinco anos e a chamada ‘revolução do transporte coletivo de massa’ em João Pessoa não saiu do papel. Esse é o tempo transcorrido entre o anúncio da implementação do Bus Rapid Transit (BRT) na Capital e o aguardado pela licitação do sistema que o substituiu, chamado ‘Linha Troncal’.

Entre outras obras de mobilidade, estão ajustes na Epitácio Pessoa e construção de terminais de ônibus no Varadouro e no Valentina.

BRT/Linha Troncal e terminais

A divulgação da chegada do BRT, orçado em R$ 188 milhões, foi feita em janeiro de 2014. Na época, o então superintendente da Semob-JP, Nilton Pereira, classificou o ano como ‘Ano da Mobilidade’ na Capital.

No projeto, cinco corredores de maior movimentação de João Pessoa (Cruz das Armas, 2 de Fevereiro, Pedro II, Epitácio Pessoa e Tancredo Neves) seriam contemplados com terminais de integração. A obra seria iniciada em março daquele ano na Avenida Cruz das Armas.

“Vai ter também o Terminal de Integração Central. Então nós vamos fazer uma rede integrada de corredores que vai proporcionar muito mais facilidade e dar muito mais rapidez e conforto aos usuários e também criar uma alternativa importante para quem tem um carro porque o espaço vai ficar restrito para o carro e vai ser muito mais rápido você andar de ônibus do que andar de carro”, disse Nilton Pereira durante entrevista em 2014.

Porém, em janeiro de 2017 o então superintendente da Semob-JP, Carlos Batinga, anunciou que não havia mais prazo para que as obras do BRT fossem iniciadas. A justificativa utilizada na época foi de contingenciamento de recursos por parte do Ministério das Cidades.

Já em dezembro de 2018, o projeto do BRT foi renomeado para Linha Troncal com a promessa de manter as intervenções viárias pensadas para o BRT.

Os cinco terminais de integração prometidos não saíram do papel. Ao invés deles, dois terminais serão construídos: o Metropolitano, no Varadouro, e um no bairro de Mangabeira.

Veja no vídeo abaixo de como seria o funcionamento do BRT e dos terminais de integração.

‘Nova Epitácio Pessoa’

No fim de fevereiro deste ano, a prefeitura anunciou que a Avenida Epitácio Pessoa passará por obras semelhantes as que ocorrem na Avenida Ministro José Américo de Almeida, a Beira-Rio. A intervenção na avenida segue em processo de licitação.

Resposta

As explicações sobre a demora na implantação dessas obras podem ser conferidas no vídeo acima em entrevista com o superintendente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP), Adalberto Araújo, no vídeo abaixo.

1 comentário em “João Pessoa promete ‘revolução do transporte coletivo’, ainda no papel”

  1. Pelo que eu entendi, vai continuar sem estações de embarque, apenas faixas de onibus e a demora de sempre. Isso ai não vai fazer trocarem o carro pelo ônibus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba Novos chassis rodoviários Volvo para longas distâncias Apache Vip IV com a nova identidade da N.S. Penha As novidades da Opção Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 07/2021 Apache Vip V da 1001