Ônibus Paraibanos

2018, o ano em que mais uma lenda saiu de cena

Por Ônibus Paraibanos-Josivandro Avelar
Fotos Acervo Paraíba Bus Team

A Retrospectiva 2018 do Ônibus Paraibanos segue com um capítulo que terminou de ser escrito enquanto a própria retrospectiva estava em construção. Cambaleante há anos, a Empresa Rodoviária Bela Vista deixa de operar linhas rodoviárias na Paraíba antes do ano de 2019 chegar.

Em novembro de 2018, o DER suspendeu quatro das cinco linhas da empresa, só deixando ela operar João Pessoa X Areia.

As linhas que a Bela Vista deixa de operar são as seguintes:

  • João Pessoa/Arara/via Areia;
  • João Pessoa/Esperança/Via Areia;
  • João Pessoa/Itatuba/via Ingá;
  • João Pessoa/Massaranduba/via BR-230;
  • João Pessoa/Areia/via Juarez Távora/Alagoa Grande (a única que a Bela Vista ainda conseguiu segurar, mas também perdeu).

O DER deu seis meses para a Bela Vista se reestruturar se quisesse recuperar suas linhas, que foram repassadas para a São José e Rio Tinto. Não conseguiu passar dos 30 dias, e agora, perde todas elas de vez, mesmo a que lhe restava.

A atuação do DER foi mais rápida que o próprio encolhimento da empresa, que aconteceu lentamente, mas a olhos vistos.

A alegria se transforma em duro golpe

Em julho de 2012, a Bela Vista faz a sua última renovação de frota depois de três anos, quando adquiriu os Comil Versatile encarroçados em chassis 15-190 EOD da Volkswagen, em 2009.

A empresa resolveu surpreender e adquiriu um Mascarello Roma 380, encarroçado em chassi 18-320 EOT da Volkswagen. Carro moderno, nova pintura, prefixo 0912. Seria o momento da virada da empresa.

Seria, mas logo a alegria se transformava em um duro golpe. No dia 26 de agosto de 2013, o carro foi roubado e capotado entre Areia e Alagoa Grande. O veículo, que mal havia completado um ano de uso, ficou completamente destruído. A partir dali, a empresa não seria mais a mesma.

Lutando para sobreviver

Em agosto de 2015, a Bela Vista transferiu duas de suas linhas para a Viação Rio Tinto: a João Pessoa X Serra Redonda – que até hoje é operada pela empresa, e a João Pessoa X Itatuba via Ingá, que foi posteriormente devolvida para a Bela Vista. Agora volta para a Rio Tinto de vez.

Essa foi uma maneira que a Bela Vista encontrou de continuar operando o que ainda poderia, com a frota cada vez mais envelhecendo e com carros sendo tomados para pagamento de dívidas trabalhistas.

Perdas para o fogo

Incêndio do carro 0906 na BR-230.

Com uma frota cada vez mais envelhecida, a Bela Vista lutava também para conseguir manter a frota que ainda tinha funcionando. Afora as próprias quebras, a empresa ainda perdeu só em 2018 dois carros para o fogo.

Em fevereiro, a empresa perdeu o 0906, um dos Versatile de 2009, na BR-230. Mas a perda do 0903 foi dura. Ela se deu uma semana depois da suspensão das linhas pelo DER, em novembro.

O carro 0903 sendo consumido pelas chamas.

Foi a pá de cal da Bela Vista no sistema rodoviário paraibano. Restará, por ora, a operação no turismo.

O que restou de um império

A marca era, por bem dizer, um dos últimos pilares da família Azevedo no sistema rodoviário da Paraíba. Os Azevedo já controlaram empresas importantes na Paraíba, dentre as quais a lendária Etur, que já foi a maior empresa de transporte coletivo do estado, e a própria Viação Rio Tinto, que agora assume a maior parte das linhas da Bela Vista.

Quem entra em seu lugar

A Viação Rio Tinto já havia sido designada para assumir a maior parte das linhas da Bela Vista, e vinha investindo bem para isso, prosseguindo a compra de unidades do modelo Ideale, da Marcopolo, climatizadas.

A empresa consolida sua posição como a maior marca rodoviária da Paraíba (lembrando que a Expresso Guanabara, do Ceará, atua no sistema intermunicipal); além das próprias linhas de origem, a Rio Tinto ainda opera linhas que já foram da Guarabirense, as quais foram adquiridas da Boa Viagem.

A Empresa Viação São José, de Campina Grande, também aumenta sua presença no Terminal Rodoviário de João Pessoa. Até então, só operava uma linha saindo da Capital, a de Picuí. Ela também investiu em veículos rodoviários leves, na linha do Ideale 770.

O que o Ônibus Paraibanos espera é que o ano de 2019 seja mais tranquilo e promissor para o transporte rodoviário da Paraíba, com novidades e melhorias no sistema e em sua estrutura.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.