Passageiro denuncia superlotação em ônibus e reclama das condições do transporte em João Pessoa

Por Mais PB
Imagem JC Barboza 
Vídeo Divulgação

Um passageiro registrou em vídeo a superlotação de um ônibus da linha 104-Bairro das Indústrias, em João Pessoa. Ele mostrou a quantidade de usuários que estavam de pé no corredor do transporte coletivo e também que muitos se acumulavam ao redor do condutor, antes da roleta, o que representa um perigo em caso de freada brusca.

“Tem passageiro até perto do motorista aqui. Superlotado o ônibus. Olha as paradas de ônibus. O motorista não consegue nem dirigir direito. Isso é uma vergonha”, desabafou o homem que gravou o vídeo.

O ClickPB entrou em contato com a Semob-JP, a qual informou que “a linha 104 (Bairro das Industrias) tem 11 veículos operando diariamente com 98 viagens/dia. A partir das 6h até as 7h, tem sete viagens extras que partem do bairro Vieira Diniz com o objetivo de desafogar a demanda de passageiros entre os bairros. Além da linha 104, existem as linhas 1.001 (Bairro das Industrias/Manaíra shopping) com oito veículos e 40 viagens/dia e a linha 115 (Antárctica) que atendem os usuários da região.”

Veja a superlotação do ônibus, no vídeo abaixo:

4 Replies to “Passageiro denuncia superlotação em ônibus e reclama das condições do transporte em João Pessoa”

  1. Leonardo Lins disse:

    Pois é, problema enfrentado há anos pelos moradores do Bairro das Indústrias, a demanda é enorme para apenas 11 ônibus na 104, sem contar com o processo de crescimento do bairro. Além da frota ser insuficiente, os ônibus são velhos e podem deixar você a qualquer momento na mão, os ônibus novos e modernos são adquiridos por outras empresas, renovando outras linhas e a São Jorge e os dependentes ficam para trás, com um serviço muito aquém do que deveria ser, levando em conta o preço da passagem que todo ano aumenta. Se todos pagam os mesmos R$ 3,55, todos tem direito a ônibus de qualidade e frota suficiente para atender a demanda.

  2. Marcelo disse:

    Moro em Nova Mangabeira. Eu e a população do bairro somos dependentes da ida à Mangabeira (bairro vizinho) e apenas a linha I008 faz esta conexão retornando no terminal do mangabeira 4, obrigando-nos a pagar uma segunda passagem. Além disso lidamos com os atrasos dos ônibus diariamente. Resolveria a situação uma linha de ônibus que fosse, pelo menos, até o Shopping Mangabeira.

  3. Cássio disse:

    Isso já faz a muito tempo. A população aumenta no Vieira Diniz, Os condomínios também São Raphael e B13 fora os loteamentos Cidade Verde 3° e 4° Etapa que sofrem bastante para descer até o ponto final logo cedo ou qualquer hora do dia pra ir trabalhar ou ir no centro, pois depender do I012 é muito desvantajoso. Fora que ainda já tem um novo loteamento aqui, ou seja, a população vai aumentar mais ainda, sempre mais e os ônibus nada. O ponto final dele deveria ser pelo ou menos na praça do 3° Etapa, tanto pra 104, 115 e 1001. É inadmissível, eu mesmo, fico na parada do ônibus pra vim para a minha casa a noite vindo da faculdade, mas não posso pegar 1001 e 115 porque eles não vem até o 2°, 3° ou 4° etapa. Fico dependendo pens do 104 que só anda super lotado. Também deveria ter um linha fixa pelo Acesso Oeste, indo para o centro da cidade, seria muito vantajoso pra população do Cidade Verde, Cidade Jardim, Bairro das Indústrias e os Condomínios São Raphael e B13. Quem mora nos Conjuntos Vieira Diniz e Jardim Veneza sendo que no Vieira tem até os condomínios conhecido como “Dilmão”, sempre pega os ônibus superlotados e se eles parar. Quer desafogar a população de lá? Pq não faz uma linha fixa saindo dali do Colégio João Monteiro da Franca, descendo pelos condomínios de lá?. Além de tudo isso, os carros são velhos. A Semob e São Jorge só tem conversa, conversa e nada de agilidade.

  4. Marcelo disse:

    Será que é possível a SEMOB se pronunciar quando vai ser possível os ônibus da linha I008 fazer seu percurso até o Mangabeira shopping! Ficarei grato como usuário do transporte público a resposta da SEMOB!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.