Nos anos 1960, abrigo de ônibus também poderia ser restaurado via projeto de lei

De Ônibus Paraibanos, com pesquisa no site Leis Municipais
Por Josivandro Avelar
Fotos Acervo histórico Paraíba Bus Team

100_7848

Em mais uma daquelas leis de 1960 sobre transporte público, encontramos mais uma daquelas que pelo próprio local onde atualmente está descrita, se tornaria caduca.

Na Lei Nº 292, de 12 de agosto de 1960, o prefeito Luiz Gonzaga de Miranda Freire determinou a restauração de um abrigo de passageiros na Rua Nevinha Cavalcante, no bairro de Miramar (ou na época, Jardim Miramar).

Segue a íntegra da lei:

LEI Nº 292, DE 12 DE AGOSTO DE 1960

AUTORIZA RESTAURAR ABRIGO PARA PASSAGEIROS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA, ESTADO DA PARAÍBA, FAÇO SABER QUE O PODER LEGISLATIVO DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:

Art. 1º Fica o chefe do poder executivo autorizado a restaurar o abrigo para passageiros no ponto terminal de estacionamento da linha de transportes coletivos do jardim miramar, à Rua Nevinha Cavalcanti, naquele bairro.

Art. 2º O abrigo de que trata o artigo anterior terá 8 (oito) metros de comprimento por 3 (três) de largura, coberto com placa de cimento, e disposto de compartimentos destinados a arrendamento para fins comerciais.

Art. 3º Fica aberto o crédito especial, até o limite de CR$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil cruzeiros), destinados à execução desta Lei.

Art. 4º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA, EM 12 DE AGOSTO DE 1960.

LUIZ GONZAGA DE MIRANDA FREIRE
Prefeito Municipal

No local em questão – que se acredita ser um estacionamento próximo do Clube Cabo Branco – funcionava o que se sugere ser um ponto final, que hoje não existe mais, sendo a lei caduca atualmente. Além disso, a Rua Nevinha Cavalcante não é rota de nenhuma linha de ônibus atualmente.

100_8054

Por tabela, se sugere a existência de uma linha específica para Miramar, ou até a própria linha da Torre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.