História: Saiba por que os ônibus monoblocos da Mercedes-Benz marcaram o transporte brasileiro

De Jornal Estado de Minas 
Imagem Reprodução/Vrum

362

Produzidos entre 1958 e 1996, os ônibus monoblocos da Mercedes-Benz foram sucesso absoluto.

A estrutura unificada (carroceria e chassi), mais leve e aerodinâmica, e o conforto superior aos dos ônibus brasileiros da época tornaram o modelo um ícone das décadas de 1960 e 1970. Ele ganhou até um apelido, o “Fusca dos ônibus”.

Os modelos que deixaram a linha de montagem da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) eram projetos locais, inexistentes na matriz da Mercedes-Benz na Alemanha.

Um dos monoblocos mais marcantes da série foi o O-362. Disponível nas configurações urbana e rodoviária, foi produzido de 1973 a 1978, e trouxe como inovação o primeiro motor turbo de fábrica em um ônibus nacional.

O assobio do motor tornou o O-362 inconfundível. Em São Paulo, foi muito utilizado pela extinta Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC), onde chegou a ter mais de 2 mil unidades em circulação na configuração urbana.

Foi também exportado para mercados como o Chile, ainda sendo muito cultuado por lá.

A produção dos monoblocos no Brasil foi cessada em 1996, quando a Mercedes-Benz tomou a decisão estratégica de fornecer apenas chassis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança