O 2016 das metropolitanas da Grande João Pessoa

De Portal Ônibus Paraibanos
Por Josivandro Avelar
Imagens Acervo Paraíba Bus Team

100_8424

O ano de 2016 foi de altos e baixos nas empresas metropolitanas da Grande João Pessoa, mas fecha com um importante saldo positivo para algumas empresas. Para outras, é um ano para se esquecer.

Em mais um capítulo da retrospectiva 2016 do transporte paraibano, vamos mostrar como foi o ano das metropolitanas da Grande João Pessoa.

SIM: cada vez mais renovada

A SIM mostra que, mesmo com todas as dificuldades, é possível oferecer um serviço de qualidade, bem como investe bem na renovação de sua frota. Em dois anos de reestruturação e investimento cada vez mais constante na frota e na capacitação de seus profissionais, a empresa tornou-se uma das melhores do sistema metropolitano.

O investimento na frota continuou firme e forte em 2016, com a aquisição de sete novas unidades, todas do modelo New Torino. Elas deram baixa aos Viales VW que rodaram por quase 13 anos nas linhas de Santa Rita.

100_8448

O próximo passo da SIM é dar baixa nos três Citmax que a empresa possui. A baixa de dois deles deve encerrar de vez a presença de chassis Volkswagen na frota da empresa. Por outro lado, a empresa é uma das que mais possui veículos Euro V no estado em termos proporcionais; mais de 1/3 da frota é composta por ônibus de chassi OF-1721 Bluetec5, da Mercedes-Benz.

PB Rio: Viales dando lugar aos Torinos

Quem também vem investindo bem é a PB Rio, que opera a linha que liga João Pessoa a Alhandra. Outrora composta por Viales, a empresa está paulatinamente os trocando por Torinos. Já adquiriu várias unidades oriundas de Pernambuco, além de manter as climatizadas ex-Reginas.

Porém a PB Rio ainda adquiriu um outro modelo diferente; a empresa adquiriu no início do ano um Apache S21 STD sob o chassi OF-1418.

dsc05334

A empresa ainda lançou o Cartão Fidelidade, por onde o passageiro ganha desconto nas viagens com o cartão eletrônico. Para saber mais sobre o Cartão Fidelidade da PB Rio, clique aqui.

Reunidas de Cabedelo: mais organizada e racional

A Reunidas de Cabedelo aproveitou a saída da 5102 do sistema intermunicipal – a linha foi transferida para o sistema municipal pessoense – para racionalizar sua frota. Com uma linha direta para o Centro e as demais integracionais, a empresa transformou de vez a linha do Direto, que liga o Centro de João Pessoa ao de Cabedelo via Epitácio e BR-230, na sua mais importante vitrine.

A empresa já tinha comprado dez Torinos zero quilômetro em 2014, e colocado todos eles na 5101. Completou a renovação da linha com a compra de mais cinco unidades zero quilômetro esse ano. Antes praticamente composta por Viales ex-municipais e unidades compradas zero em 2006 e 2008, a linha do Direto agora é integralmente composta por quinze New Torinos adquiridos zero, numa renovação feita em quase um ano e meio.

Já as integracionais do Terminal do Bessa ficaram com parte dos Viales – a outra foi baixada – e ainda recebeu a adição de três Torinos fabricados em 2008, que vieram da TBS, porém já operaram no Grupo Salineira e na Transnacional campinense. O detalhe disso tudo é que desde a baixa dos Torinos ex-Lourdes (08107 e 08111), a frota de Cabedelo voltava a operar unidades do modelo 2007 do Torino.

E de quebra, o ex-0770 da Unitrans (que já foi da Transnacional campinense e da TBS) foi transferido para a frota de Cabedelo sendo o novo 08130.

Já parte da frota de 2006 que foi baixada de Cabedelo, foi parar na…

Metro: o fim está próximo?!

Parece uma novela, mas é exatamente isso que a população de Bayeux parece viver com a Metro. Ao contrário da Santa Rita, a Metro não obteve sucesso na sua reestruturação, e os problemas herdados da antiga Wilson voltaram a se repetir.

Parte da frota que a empresa adquiriu do Grupo Borborema foi baixada, e isso sem contar os ônibus parados. Atrasos, superlotação e quebras continuam fazendo parte da rotina de quem usa os serviços da empresa. O sofrimento parecia não ter fim.

E para piorar o que já estava ruim, os funcionários da Metro passaram a conviver com os salários e encargos trabalhistas atrasados. Não para menos, paralisaram as atividades várias vezes com o apoio do Sindicato dos Motoristas.

Ainda com tantos problemas, a empresa tenta o quanto pode manter os seus serviços. Só esse ano incluiu na frota um Torino ex-Dragão do Mar e várias unidades de Viales e Senior Midi que operaram na Reunidas de Cabedelo. Todas elas pintadas de azul e branco, abandonando o layout laranja que marcou a mudança de Wilson para Metro.

A gravidade da crise fez com que o Ministério Público intervisse na situação, recomendando ao DER a abertura de uma licitação para a contratação de uma nova empresa que operasse as linhas de Bayeux. O órgão estadual atendeu a recomendação e publicou o edital, mas nenhuma empresa apresentou proposta. A licitação deu deserta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança