Retrospectiva 2016 do transporte paraibano- Novidades da frota pessoense

De Portal Ônibus Paraibanos
Por Josivandro Avelar
Imagens Acervo Paraíba Bus Team

img_7627

A crise econômica fez várias empresas apertarem os cintos no sentido de renovação de frota em 2016. Algumas poucas empresas trouxeram ônibus novos, porém a quase totalidade teve que recorrer ao mercado de usados. Em alguns casos, as empresas tiveram que reativar ônibus que por aqui já rodaram. O mesmo fator da crise fez que as empresas que investiram em fretamento contínuo transferissem os ônibus que sobraram para as frotas municipais, com as sobras decorrentes da perda de contratos. Desse modo, a renovação de 2016 em João Pessoa ficou marcada pela volta dos que não foram.

Nesta primeira retrospectiva de 2016 do transporte paraibano, vamos ver as novidades do ano do sistema pessoense. Carros novos, remanejados, novas inclusões de usados, pinturas novas. O retrato de um ano em que o cenário desfavorável na economia fez as empresas se virarem como podiam para reduzir a idade média da frota.

Transnacional e Reunidas: entre zeros e reativados

A Transnacional e a Reunidas já dividiam instalações físicas e garagem antes mesmo de se fundirem de vez no consórcio Unitrans. Agora, dividem a mesma pintura; a Reunidas passou a adotar as três listras da TN a partir dos seus ônibus zero quilômetro, muito embora o primeiro com a novidade tenha sido um remanejado, o 0870 – ex-Atar e TBS.

Depois vieram os Torinos já com a alteração. Foram dez no total. Todos foram incluídos na linha 102, que vinha de uma alteração que até hoje é polêmica no Esplanada. Até poderiam ser todos se o carro 0893 não tivesse ido pro 2515 – chegou a estar no 102, mas retornou à linha.

Já a Transnacional renovou com ônibus novos suas três circulares.

A maior empresa da cidade não economizou nos remanejamentos. Trouxe carro da TBS – a maioria já rodou na própria empresa – e da matriz campinense. Até os OF-1418 que eram da Atar a Unitrans trouxe para rodar.

No final do ano, a empresa ainda trouxe de volta dois ônibus que haviam sido transferidos para Campina Grande. Ao todo, quatro Torinos vieram de lá. Além dos regressos, os carros 0773 e 07151, adquiridos zero pela matriz campinense, também vieram para a Unitrans.

Na maioria dos casos, a Transnacional trouxe os ônibus ainda com a presença das três listras que compunham a pintura da empresa antes da Unitrans. A empresa ainda está longe de fechar a padronização de seus ônibus por conta disso. O mesmo se aplica à Reunidas.

São Jorge: abrindo a porteira da padronização

Depois de um 2015 decepcionante em termos de renovação de frota, com nenhum ônibus adquirido, a São Jorge deu início a uma grande reestruturação de sua frota. E ela não seria a mesma daqui em diante.

A empresa inaugurou junto com a Marcos da Silva o tão esperado padrão do Consórcio Navegantes, do qual fazem parte junto com a Mandacaruense e a Santa Maria. O padrão era esperado há mais de cinco anos e parecia que nunca iria sair por conta do tempo. Mas finalmente saiu, e agora sim se pode dizer que a Navegantes tem uma identidade.

Os primeiros ônibus a saírem com a padronização do consórcio foram seis Vip II ex-Pendotiba e Suzantur Mauá. Em mais um reflexo de que a crise também atingiu em cheio a São Jorge, esses ônibus faziam parte do fretamento da empresa. Com a perda de contratos, os ônibus sobraram. E foram para a frota municipal. Assim também foi acontecendo com os Torinos e mais Vip II que chegariam depois.

A empresa adquiriu apenas dois ônibus zero quilômetro. Seus únicos New Torino, assim como quase todos os outros que as demais empresas compraram neste ano, foram para sua única linha circular, a 2300. A linha ainda recebeu mais três Vip II seminovos.

Já as radiais da empresa receberam Torinos ex-Real Rio e Ponte Coberta, que também sobraram do fretamento, além de Torinos ex-União. Até mesmo carros que já pertenceram à frota municipal da empresa foram reativados.

A São Jorge foi a última a iniciar a padronização da frota que já roda. Já fez isso com alguns poucos carros convencionais, quase todos os trucados e os dois articulados.

Marcos da Silva: 13 seminovos

A Marcos da Silva renovou dentro de suas possibilidades e foi além: adquiriu 13 veículos seminovos, todos oriundos da Cearense Transportes, empresa do sistema de Fortaleza que fechou as portas em 2015.

Foram quatro Megas – que inicialmente foram de empresas do Rio de Janeiro – e sete Torinos – adquiridos zero pela Cearense. Isso permitiu à Marcos da Silva ter um número considerável de ônibus já padronizados com a pintura do Consórcio Navegantes. A empresa tinha ônibus em dois tons de azul antes da adoção da padronização. Nem tinha uniformizado a frota com essa cor.

Mas acelera na padronização de sua frota com a pintura do consórcio. Três ônibus que rodaram com a pintura antiga da empresa já foram padronizados.

Mandacaruense: dois Torinos e padronização à todo vapor

A Mandacaruense adquiriu apenas dois ônibus seminovos este ano – dois Torinos OF-1418 que, assim como os da Marcos da Silva, também pertenceram à Cearense Transportes.

Especialista em manter conservada a pintura de seus ônibus, tratou de iniciar logo a repintura de seus ônibus. Vários já rodam com o padrão do consórcio, que está sendo de simples aplicação pela empresa. Em poucos dias, um ônibus vermelho vira Navegantes.

Santa Maria: diferente de todas

A Santa Maria deu a sua contribuição na padronização do consórcio Navegantes: a empresa emprega a numeração fixa de cinco dígitos, onde os ônibus abaixo de 100 tem centena zero (060xx), a qual é herança da antecessora Boa Viagem. Pois bem: todas as demais empresas do consórcio passaram a empregar esse padrão de numeração, e todos os ônibus do consórcio com numeração abaixo de quatro dígitos passaram a ter cinco.

Mas a empresa, que é ligada ao Grupo A.Cândido que controla a Transnacional, quis ser diferente no consórcio. Aplicou seu próprio padrão da Navegantes, com alterações perante o projeto original. Enquanto nos demais ônibus do consórcio as colunas da dianteira são azuis, na Santa Maria é a dianteira toda. E o azul também está na traseira.

A empresa adquiriu ônibus para as linhas circulares e a 109. Com o padrão que criou, mas com a tipografia das demais empresas. O detalhe é que a Marcopolo tinha fabricado dois ônibus para a São Jorge com o padrão original do Consórcio Navegantes – os 02085 e 02086 já mencionados nesta retrospectiva.

A mesma alteração aconteceu com a frota operante: todos os New Torino foram repintados. Os primeiros três Torinos “07” repintados escaparam de terem o “enfeite” do Torino 2014 que os demais viriam a ter, até mesmo os Vip II e Spectrum City.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança