Relíquias da Rodoviária Santa Rita

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Kristofer Oliveira
Fotos: Acervo histórico Paraíba Bus Team / Acervo Santa Rita

100_8390

A atual SIM, além de ser uma das melhores empresas interurbanas do estado, possui um passado riquíssimo, digna de toda empresa que atua por várias décadas. Hoje iremos relatar parte da sua história através de imagens que comporam sua frota em determinados momentos do passado. 

Aldo Marinho

Começaremos pelo responsável da empresa existir. Em 1977 durante um coquetel da Marcopolo S/A no Esporte Clube Cabo Branco que reuniu empresários, políticos e figuras importantes da sociedade pessoense e paraibana da época. Na ocasião ele recebeu um prêmio. Também contou com a cerimônia de entrega dos ônibus da Marcopolo adquiridos pela Etur.

Marcopolo Veneza 

Em 1978 a empresa adquiriu várias unidades para operar as linhas de Tambaú e Torre (atuais 510 e 402, respectivamente), sucedendo a viação Senhor do Bonfim. Além da entrega no Largo da Gameleira, também teve solenidade no bairro da Torre.

006 – Metropolitana Ipanema

40eee-image_3

Adquirida em 1976, veio junto com os da Etur. Ambas empresas eram uma das poucas que possuíram tal modelo na frota dentro do estado.

50.02 – Monobloco O-352

5a535-image_2-1

Pela pintura pertenceu a Senhor do Bonfim, que foi a pioneira na operação de Monobloco no sistema pessoense.

50.03 – Monobloco O-364

100_8388

Assim como várias empresas, o Monobloco que mais circulou em João Pessoa e na RM também esteve presente com as cores da Santa Rita. Adquiro zero nos anos 80, circulou até o início dos anos 90 quando foi sucedido por um Caio Amélia e pouco tempo depois por um Caio Vitória.

50.10 – Marcopolo Veneza

4e849-image_1-5

Chegou em 1978 e rodou nas linhas urbanas de João Pessoa.

50.11 e 50.12 – Marcopolo Torino 1983

Vieram nos anos 80 e o modelo nas cores da empresa foram um dos mais bonitos que circularam. Foram desligados nos anos 90. Curiosamente os prefixos foram ocupados por Urbanuss posteriormente.

50.16 e 50.17 – Caio Gabriela

Versões distintas nos anos 70.

50.15 – Marcopolo III

100_8387

Poucos sabem que ela teve esse modelo, possivelmente operou em algum fretamento nos anos 70 e 80. Foi sucedido por um Caio Vitória.

50.21 – Marcopolo San Remo Intermunicipal

100_8396

Veio nos anos 80, a Wilson, Almeida e a Mandacaruense contaram também com essa versão.

50.22, 50.24 e 50.35 – Ciferal GLS Bus OF-1620

Ano 1995 foram integrantes do primeiro lote do modelo da empresa. Ficaram na empresa até meados de 2005. Os dois primeiros foram sucedidos por um outro Ciferal, o Citmax, adquiridos junto a extinta Atlântica de Alagoas. Já o prefixo 50.35 continua vago até hoje. Desses só temos notícia do 50.24, vejam abaixo como ele se encontra atualmente em PE.

ex-5024

50.43 – Caio Vitória OF-1618

100_8397

Ano 93/94 pertenceu a alguma empresa cearense. Veio no fim dos anos 90 e permaneceu até 2002 quando foi sucedido por um Viale VW que foi desativado neste ano. Atualmente encontra-se emplacado na cidade de Vicencia, na Zona da Mata pernambucana.

50.50 – Marcopolo Senior GV LO-814

100_8383

Em 1997 veio um lote com dez unidades adquirido junto a Breda Rio. Teve uma grande solenidade de entrega e consigo o começo do serviço AirBus, com característica de serviço rodoviário (poltronas rodoviárias reclináveis e ar condicionado) dentro do perímetro urbano, tendência que foi aderida por outras empresas interurbanas e até mesmo de João Pessoa. Com o iminente crescimento da concorrência desleal dos alternativos as empresas buscaram tal estratégia para fidelizar os passageiros. Alguns foram desativados no início dos anos 2000 e alugados a Viação São Francisco e Expresso Paraibano, e poucas unidades permaneceram em operação até 2003.

50.52 – Caio Piccolino VW 8-150 OD

100_8382

Chegou em 2003 dentro de um lote com sete veículos, com a missão de substituir os Senior GV no serviço opcional. Tinha ar condicionado que foi desligado quando o serviço diferenciado da empresa foi encerrado, e assim os veículos passaram a integrar a frota convencional. Foram os últimos a manterem a antiga identidade da empresa e desativados totalmente neste corrente ano.

0 comentário em “Relíquias da Rodoviária Santa Rita”

      1. Sim já vi já q foi em desenho c nu teria nenhum foto perdida Não amei aquele tempo das Scania da rodoviária santa rita

  1. Kristofer, só uma correção…os Piccolinos da Santa Rita começaram a chegar ainda em meados de 2002. Sei disso, porque foi na época que surgiu a linha Santa Rita/Açude via Oeste. Posso dizer que foram os piores veículos que a empresa mais teve e os mais odiados pela população.

  2. Kristofer sobre a saída dos GLS da empresa esses da foto ocorreu de fato em meados de 2008, nesse período quando fazia curso pre vestibular na época eu pegava muito esses GLS principalmente o 5024 e o 5034

    Realmente vendo essa matéria me fez voltar no túnel do tempo, lembro muito bem da pintura do Torino 83 o da Saia Vermelha só uma curiosidade desses carros que há via duas poltronas no meio no meio do Veículo em Diagonal.

    Parabéns pela Matéria !!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança