Fusão das A101 e 102 – Somando os problemas

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Kristofer Oliveira
Fotos: Fábio Gonçalves

0819

Neste sábado as linhas A101 e 102 foram fundidas, algo que ocorre pela segunda vez. Quem não se lembra do fiasco que foi em 2009, um ano farto de junções fracassadas? 116 com 501 = 5116 e 1516; as 101 com 114 que em algumas lonas apareceram como 100, mas que de fato era a 101; 508 com 520 virando 528. Só as junções da Reunidas duraram 10 dias. Pois bem, os anos se passaram, a STTrans virou Semob, mas a ideia de fundir linhas para dar a falsa sensação de mais ônibus circulando permanece.

Ano passado o cenário por trás da mudança do terminal da 101 foi abordado nesta matéria: https://onibusparaibanos.com/2015/03/20/101-grotao-um-santo-descoberto-para-cobrir-uma-colina/ e os elementos que norteiam a mudança das linhas em voga continuam inalterados, dentro de um cenário pior, ou seja, diferente do divulgado por alguns meios de comunicação referente a alteração, o problema futuro do transporte nos bairros envolvidos é bem maior. Discorrerei em tópicos para uma melhor compreensão, só lembrando que isso é apenas o que penso a respeito como faria num mero bate papo de boteco ou qualquer outro ambiente em que as “viagens mentais” ficam à solta. Quero deixar isso claro para não frustrar as altas expectativas dos fieis leitores e admiradores do portal que não conseguem conter-se e sentem-se no direito de esculachar.

Cenários dos bairros em questão e suas frotas

Começando pela A101, tinha-se quatro veículos para atender o João Paulo II, além de reforçar os bairros do Ernany Sátiro e Costa e Silva, além, claro, de parte dos Funcionários II que eram atendidos satisfatoriamente pela linha 101, mas que deixou de ser desde quando ocorreu sua transferência para o Colinas do Sul. O João Paulo II é um bairro em expansão habitacional, acompanhado pela “baixa verticalização” dos residenciais (nem sei se esse termo existe, mas quero exemplificar os pequenos prédios com até três pavimentos). O vasto terreno entre o Geisel, Grotão, Citex e Esplanada tornou-se um grande bairro.

Já a 102, possuía uma frota de cinco veículos para atender o Esplanada, Jardim Sepol, Ernany Sátiro e Costa e Silva. Já tinha sua demanda um tanto estabilizada, mas que terá um agravante após o complexo Jardim América, construido pela MRV, ser inaugurado, cujo aporte populacional girará em torno de 3 mil pessoas.

Ambas linhas não lotavam tanto quanto as radiais 101 e 116, sendo a principal válvula de escape dos moradores do Ernany Sátiro e Costa e Silva, que infelizmente só andam no aperto e desde que a linha 102 deixou o terminal no Costa e Silva praticamente a população não sabe o que é em dias úteis ir ao centro sentados.

O que temos aí é um grande potencial do aumento populacional, tendo como consequência o aumento da demanda.

A influência da linha 101

O Colinas do Sul estava com problema no transporte devido a demanda alta e a ineficiência das linhas do bairro em satisfazer seus usuários. Desde quando o Colinas é Colinas que existe um “fetiche” pela 101, como sendo a solução do problema do bairro. Após exaustivamente ser pedido a sua extensão até o terminal de integração do bairro, a Semob atendeu, para o azar do Grotão e os Funcionários II. E olha que a linha 114 já tinha ido, à revelia dos usuários dos Funcionários III e IV. A linha já tinha sua demanda consolidada no bairro, mas piorou bastante após o ato da Semob, ainda mais pelo fato do ônibus já sair cheio do terminal, com a baldeação de usuários das linhas 113 e 116. Os usuários do Colinas ficaram felizes da vida, mas os do Grotão em diante não, e com o efeito dominó, os usuários do Costa e Silva também se prejudicaram. A solução da Semob foi igual ao bordão do “coração de mãe”.

Se estava ruim, em breve deve piorar. Tem dois residenciais feitos pela PMJP, um próximo ao terminal de integração do Colinas e o outro denominado Vista Alegre, somando quase três mil residências. Só o Vista Alegre terão 2016 apartamentos e será o maior condomínio vertical da cidade. Logicamente muitos usarão ônibus e a 101 terá um aumento de demanda.

Se muitos usuários dos Funcionários II passaram a usar a A101 para andarem dignamente, agora é que passarão a usar a fundida, pois a linha 101 ficará inviável e após o Grotão a tendência são que os bairros subsequentes tornem-se meros “corredores” da linha. Com isso, a nova fusão das A101 e 102 já nascerão com uma demanda futura.

O engodo da fusão e o aumento da frota

0881

Na teoria é que a linha com nove veículos terá um intervalo de doze minutos no horário de pico, além de que, o aumento da frota aumentará a frequência de veículos nas suas localidades, não acarretando prejuízo no conforto e sendo até mais ágil. Isso me faz lembrar da 5204 pela manhã no Cristo, até reportagem foi realizada mostrando os transtornos que os usuários sofrem, sendo os próprios usuários apontados pela resposta da Semob como os principais culpados, por não utilizarem as linhas 204 e 208 e usarem a integração física no Varadouro ou a temporal nos corredores subsequentes… Como se as 204 e 208 não tivessem a própria demanda e ficariam iguais a 5204, e novamente seriam culpados por não utilizarem a 5204. Na teoria a quantidade de carros na 5204 atende bem, tal como a sua frequência, mas na prática isso notoriamente não ocorre. A linha fundida com certeza passará o mesmo problema das demais no tocante aos constantes engarrafamentos e atrasos de viagem, e o pior, a tendência é que duas demandas distintas que lotam as linhas quando o veículo atrasa ocupem um único ônibus.

As A101 e 102 rodavam bastante dentro de suas localidades e os usuários do João Paulo II ainda terão que rodar todo itinerário da antiga 102. Só com isso pode-se dizer que não existe rapidez e eficiência, e nem a sensação do aumento da frota é capaz de persuadir tal ideia, ainda mais para quem pega a linha no terminal. E se a viagem já começar atrasado, nem preciso citar o resto com o povo tentando subir no ônibus lotado, o motorista cobrando passagem…

O engodo do aumento de frota foi utilizado ano passado nas fusões das 114 e 116, que passaram a contar com dez veículos e diminuir o tempo de espera. Só que na prática ambas linhas ainda existiam, cada uma com cinco veículos. Única coisa que mudou para a antiga 114 é a plaquinha indicando “Funcionários III e IV” relembrando os anos 80, além de ter seu prefixo alterado para 116.

Enfim…

Destrinchando alguns fatos acima, é possível perceber que se a Semob não fizer um planejamento preventivo, os bairros envolvidos terão o mesmo problema do Valentina e Bairro das Indústrias. Espero que não seja necessário o caos se instaurar, aparecer emissoras de televisão relatando o problema para então resolverem o problema paliativamente, como de costume.

Na prática será a mesma quantidade de ônibus para atender uma demanda crescente, influenciado pelos residenciais no Colinas do Sul. Resumindo, os novos moradores no Colinas usarão a 101, inviabilizando os usuários no Funcionários II, que passará a utilizar com mais frequência a linha fundida e que junto com o povo do João Paulo II rodarão bastante para chegarem aos seus destinos, o ônibus já chegará cheio no Esplanada e lotará ainda mais a partir do residencial construído pelo MRV. E os usuários do Costa e Silva terão que chamar o Calendário JPB ou mandar um vídeo para o Samuka? Ah, ia esquecendo…a 102 (extinta) na prática passou pelo mesmo processo da 101, fizeram um “puxadinho” para atender a demanda dos Funcionários II e de quem sair do Grotão andando para pegar um ônibus vago. E o cenário só não é pior por muita gente possuir condução própria. Fica difícil convencer a população a deixar seus veículos em casa se o transporte por ônibus não é satisfatório e é desconfortável. Usar como trunfo propaganda de ônibus zero e plotagem nova não é sinônimo de qualidade, isso são apenas componentes de um sistema eficiente e satisfatório.

Só espero que a 105 não seja esticada também ao Colinas do Sul e passe por uma fusão com a 103, para aumentar a frequência de ônibus e proporcionar um melhor conforto aos usuários. Melhor não dar ideia, vai que alguém goste.

0 comentário em “Fusão das A101 e 102 – Somando os problemas”

  1. O pessoal da Semob sempre gostou de circulares, acabaram a 203 que era uma das principais do corredor e agora parece q nunca existiu. Com a 3203/2303 ficou bem pior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança