Ônibus Paraibanos

Ideale 770: O novo clássico da Marcopolo

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team

IMG_0784

Há dez dias, o Portal mostrou uma matéria falando sobre clientes que receberam Ideales 770 zero quilômetro mesmo depois do novo Ideale já ter sido lançado, em maio do ano passado. A versatilidade do veículo, lançado há exatos 10 anos, mostra que o Ideale 770, sem exageros, entrou para a galeria dos modelos clássicos da Marcopolo, sendo até hoje um sucesso de vendas.

O modelo foi lançado em 2006, para servir na prática como um sucessor para o Allegro, modelo semirodoviário que saiu de linha nessa época e que tinha vendas muito concentradas no sul do país. O Ideale 770 surgiu com a proposta de ser um ônibus que pudesse ser utilizado em aplicações executivas, de fretamento, e rodoviárias de curta distância.

e220b-marcopoloideale

Com o design idêntico ao urbano Senior Midi, lançado junto deste, diferenciando-se deste pela altura da saia e pela ponta das máscaras dianteiras, o Ideale 770 logo caiu nas graças dos frotistas, principalmente empresas rodoviárias intermunicipais. O próprio fato do modelo ter peças de reposição fáceis – já que eram praticamente as mesmas do Senior Midi urbano – favoreceu o sucesso do modelo.

Falando no Senior Midi, o próprio modelo era na teoria um Ideale; o modelo é na prática o Ideale 600, e empresas do Rio de Janeiro chegaram a adquirir ônibus com o emblema Ideale 600. A diferença para o Senior Midi? Nenhuma. A altura da saia e as máscaras dianteiras eram as mesmas, fora que os veículos possuem 1 porta e configuração rodoviária. Apesar disso, empresas rodoviárias chegaram a comprar veículos nessas configurações, mas como Senior Midi. É o caso da Real Alagoas, que adquiriu veículos com configuração rodoviária, mas eram Senior Midi. Algumas unidades foram vendidas para empresas paraibanas, como a Transnorte e a Paraíba Turismo.

IMG_4269

Voltando ao Ideale 770, o modelo, como dito, caiu nas graças das empresas rodoviárias intermunicipais. Na Paraíba não foi diferente. A primeira empresa a adquirir o modelo foi a Real Bus, que adquiriu unidades no chassi OF-1722M para as linhas do Cariri.

DSCN2199

A Real Bus logo parou de comprar Ideales, passando a adotar carrocerias mais robustas para as rotas do Cariri. Mas foi o suficiente para abrir a porteira.

Rio Tinto: A rainha do Ideale

A empresa que tem a maior quantidade de veículos do modelo é a Viação Rio Tinto. O modelo se tornou a marca registrada da empresa. O Ideale 770 é para a Viação Rio Tinto o que o Viale é para a Transnacional; o modelo logo passou a ser associado com a empresa.

A maioria absoluta da frota da Rio Tinto – em torno de 60% – é composta por Ideale 770. Tudo começou em 2010, quando a empresa adquiriu as linhas do Brejo, as antigas linhas da Expresso Guarabirense que por quatro anos pertenceram a Boa Viagem. A empresa havia sido vendida para o Grupo A.Cândido – surgindo daí a Santa Maria – mas as linhas do Brejo foram repassadas para a Viação Rio Tinto. Com as novas linhas, era necessário arrumar reforço para a frota.

IMG_4268

O reforço logo apareceu. A Rio Tinto adquiriu várias unidades do Ideale 770 encarroçadas sob o chassi OF-1418 da Mercedes-Benz, todas oriundas da Breda Serviços, empresa do Grupo Comporte, de São Paulo. Os ônibus mal tiveram tempo para ser caracterizados com a pintura da empresa, tendo entrado em circulação ainda com o desenho azul da pintura da Breda.

Até a Expresso Paraibano, empresa adquirida pela Rio Tinto logo depois, recebeu unidades do modelo com seu nome na carroceria, mas que logo foram repassados para a Rio Tinto.

0625 Marcopolo Idealle 770 OF-1418 (2)

A empresa gostou do modelo. E mesmo tendo adquirido modelos mais pesados, o Ideale passou a ser presença garantida nas renovações de frota. De todos os Ideales da frota da Rio Tinto, só cinco foram adquiridos zero quilômetro em 2011, já com a atual caracterização da empresa. Os veículos são encarroçados no chassi 17-230 EOD da Volkswagen.

Após a compra do lote de Ideales zero quilômetro, a Rio Tinto passou a caracterizar os ex-Breda com a atual pintura. E novos Ideales passaram a fazer parte da empresa logo depois, como as unidades oriundas da Brisa Mar de Santa Rita, encarroçadas nos chassis OF-1418 e OF-1722M da Mercedes-Benz.

Em 2015, a empresa adquiriu mais unidades do Ideale 770 seminovas. A Rio Tinto foi arrumar em empresas de fretamento de Pernambuco mais unidades do modelo, dessa vez climatizadas. Todas elas encarroçadas em chassi Volkswagen 17-230, tanto Euro 3 quanto Euro 5.

A queridinha das rodoviárias

O Ideale 770 é presente também na frota da Transnorte. A empresa possui uma única unidade, encarroçada sob o chassi 17-230 OD Euro V.

IMG_4213

A tradicional São José, de Campina Grande, possui quatro unidades do Ideale 770 encarroçadas sob o chassi OF-1418. Duas unidades foram adquiridas zero quilômetro, as demais, foram adquiridas seminovas de Pernambuco.

Sua irmã, a Transpassos, possui duas unidades do modelo, encarroçadas sob o mesmo chassi OF-1418; o 1602, adquirido zero quilômetro, e o 1605, adquirido usado, da Viação Normandy do Triângulo – operou com a numeração RJ 155.074 -, que por sua vez o adquiriu da Viação Pendotiba – operou com a numeração RJ 211.030.

A Novo Horizonte também possui uma unidade do Ideale 770, de numeração 3622. Foi adquirida zero quilômetro, encarroçada sob o chassi 17-230 EOD da Volkswagen.

NOVO HORIZONTE TURISMO (174)

A Pontual Transportes possui uma única unidade, de chassi OF-1721 Bluetec5 da Mercedes-Benz. O veículo foi adquirido seminovo da empresa Gillider, mineira mas com emplacamento e operação pernambucana, onde operou no fretamento com a numeração 66.

IMG_4477

A mais recente empresa a entrar para o clube do Ideale 770 foi a também tradicional Empresa Rodoviária Bela Vista. A empresa adquiriu uma única unidade no mês passado, encarroçada no chassi Agrale MA 15.0. O veículo é oriundo da Mobibrasil fretamento, onde operou com a numeração 0902.

20160208185837

A única rodoviária paraibana a não possuir o modelo é – isso mesmo – a Nacional de Luxo, justamente uma empresa do Grupo A.Cândido, maior cliente Marcopolo no estado. A empresa utiliza ônibus com chassis de motor dianteiro para suas linhas rodoviárias, porém utiliza carrocerias mais robustas como o Viaggio 1050 e o Campione 3.45. Porém o Ideale 770 já deu o ar de sua graça nas linhas da Nacional, quando a empresa utilizou-se dos ônibus da TBS – empresa do mesmo grupo – como reforço de suas linhas em datas como Natal e São João.

Já a Guanabara, cearense, mas operando as linhas que ligam a Capital ao Sertão, também possuiu Ideales 770 – todos eles atualmente operando como executivos da Normandy, no Rio de Janeiro. Eram empregados nas linhas intermunicipais do Ceará, porém um desses veículos chegou a aparecer na rodoviária pessoense. E fazendo linha para Patos.

Presença no fretamento

O Ideale 770 também é encontrado em larga escala no fretamento. A TBS, empresa do Grupo A.Cândido, possui uma grande quantidade de unidades operando nos fretamentos de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte.

IMG_2867

E na Paraíba, eles não poderiam faltar. No fretamento da Energisa, por incrível que pareça, eles são a minoria. Eles marcam presença, mas veículos mais robustos, como o Audace e o Campione 3.45, são empregados em larga escala nesse fretamento.

Já no fretamento da São Braz estão as unidades mais peculiares. Estão escalados nesse fretamento o 05114, que nada mais é do que o ex-0806 da Reunidas, incendiado em agosto de 2011. O chassi do Torino incendiado foi encarroçado em um Ideale 770 da TBS, que operou em Pernambuco, mas veio – na prática, voltou – para a Paraíba para operar o fretamento da São Braz.

w (83)

Também no fretamento da São Braz estão as duas únicas unidades do chassi OF-1519 Bluetec5 a operar na Paraíba. Os Ideales 770 encarroçados nesse chassi pertenceram à extinta Atar Locações Inteligentes. Após perder vários fretamentos no Rio Grande do Norte, os que sobraram passaram a ser operados pela TBS. Já os Ideales vieram para a Paraíba para operar no fretamento da São Braz, sendo únicos em toda a empresa.

A Brisa Mar possui unidades do Ideale 770 encarroçadas nos chassi OF-1722M e OF-1721 Bluetec5. Já forneceu unidades do modelo para a Rio Tinto, como já mencionado aqui.

100_4501

A Águia Turismo, de Campina Grande, possui unidades do Ideale 770 encarroçadas sob os chassis OF-1722M e OF-1721 Bluetec5 17-230 da Volkswagen, Euro 3 e Euro 5, todas elas adquiridas zero quilômetro. A empresa ainda possui uma unidade adquirida seminova, sob o chassi OF-1418 da Mercedes-Benz.

E até ela, a São Jorge, possui duas unidades do Ideale 770, os quais rodam nos fretamentos do Maranhão.

w (82)

Como visto, o Ideale 770 se adaptou a todas as condições e é sucesso em várias empresas, sendo marca registrada de várias, mantendo a tradição de várias empresas em empregar veículos de chassis de motor dianteiro e carrocerias mais em conta, embora muitas empresas hoje em dia passassem a adquirir carrocerias mais robustas para o mesmo tipo de chassi. Até agora, nenhuma empresa paraibana adquiriu ainda a nova versão do Ideale, e pode ser que demore muito tempo, uma vez que o modelo ainda é fabricado pela Marcopolo e solicitado por muitas empresas no país. O modelo completa 10 anos se consagrando como um dos maiores sucessos da Marcopolo, entrando de vez na galeria de clássicos da encarroçadora gaúcha.

1 comentário em “Ideale 770: O novo clássico da Marcopolo”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.