Ônibus Paraibanos

Sonhos para João Pessoa – Terminal de Integração na Lagoa

Fonte:
Portal Ônibus Paraibanos
Texto: Kristofer Oliveira
Fotos: Josivandro Avelar


O Parque Solón de Lucena, ou a Lagoa, vem passando
por uma grande transformação na sua estrutura e na sua utilidade, ganhando
novamente o status de parque, característica que havia perdido paulatinamente
décadas atrás conforme a mudança da dinâmica urbana. É a maior intervenção que
recebeu desde que deixou de ser a Lagoa dos Irerês e Engenho da Lagoa e foi
transformada em um parque. A mudança no trânsito e no segundo principal
“entreposto” de passageiros de ônibus (perdendo apenas para o
Terminal de Integração do Varadouro) foi sentida, ainda mais quando os
transtornos ocorrem. Mas, aproveitando o momento de grande mudança no local, e
se no local fosse construído um terminal de integração de passageiros?

Em tempos de discussão dos sistemas BRT e BRS, a
nova roupagem na Lagoa poderia ser acompanhado também (daí o porque do sonho)
na mudança da estrutura de transporte no centro da cidade, otimizando o tempo
das linhas, desafogando as principais ruas do Centro e do Varadouro e
melhorando o deslocamento dos passageiros, além do custo operacional das
empresas. A grande faixa do “BRT da Lagoa” poderia ser melhorado e
transformando numa integração. Com isso, mais de quatrocentos ônibus evitaria
descer até a atual integração no Varadouro, e esta, seria transformado numa
integração metropolitana…chegarei na discussão a respeito mais abaixo.
Poderia ter as seguintes particularidades:

* Como dito acima, um pouco mais de 400 ônibus
evitaria descer até o Varadouro, as linhas teriam seu tempo reduzido, e
consequentemente, geraria uma melhor otimização operacional, tal como economia
de combustível e menor tempo de espera, além da racionalização do sistema, evitando
dezenas de linhas seguir o mesmo itinerário;

* As avenidas Cardoso Vieira, Sanhauá e Padre
Azevedo ficariam mais livres com toda essa quantidade de ônibus retiradas;

* Poderia ser criada uma linha entre o terminal da
Lagoa e do Varadouro, com apenas três pontos de paradas (na Cardoso Vieira,
terminal da CBTU e na Praça Pedro Américo. A linha seria reforçada nos horários
de pico. Quanto a quantidade de veículos, depende do fluxo momentâneo. Todas as
empresas envolvidas poderiam revezar na operação de tal linha;

* No horário bacural as linhas transitariam em
ambos terminais. Das que apenas utilizariam o terminal do Varadouro: a 002
seguiria seu fluxo normal, enquanto que as 110 e 104 (Acesso Oeste),  701
e 604 após saírem do terminal, poderiam pegar a av Maciel Pinheiro (desde que
reordenada) e fazer o trajeto de volta aos seus bairros, enquanto que as 7118 e
07120 seguiriam aos seus bairros pela B. Rohan e Índio Piragibe;

]

* As linhas de Cabedelo e Conde também evitariam
descer ao Varadouro, além das linhas de Alhandra e Pitimbu, caso incluídas. Com
isso o terminal de integração da Lagoa seria também metropolitano.

É lógico que a estrutura nas faixas exclusivas de
ônibus teriam mudanças e infelizmente teria que ser retirada ou transferidas
pelo menos seis árvores para alargar as vias em determinados pontos para evitar
que apenas um ônibus passe pelo local, evitando transtorno caso quebre. E toda
estrutura de gradeamento, bilhetagem e catraca teria que ser feita. O terminal
de integração seria bem largo. Já em relação ao Terminal de Integração
Metropolitano, teria as seguintes características:

* Abarcariam as linhas de Bayeux, Santa Rita e
possivelmente também a de Lucena;

* Das linhas pessoense, além da que interligaria
com o da Lagoa, os bacurais, as linhas 002, 104 e 110 (Acesso Oeste), 604, 701,
07118 e 07120 utilizariam o terminal;

* Toda estrutura atual seria mantida, com a
parceria entre a PMJP e o governo do estado.

Coloco em dúvida as linhas de
Alhandra, Pitimbu e Lucena na integração devido o valor da tarifa ser mais
elevada com a praticada nas outras cidades, isso dependeria da viabilidade
financeira, da vontade dos empresários e dos supostos subsídios governamentais.
E a razão de incluir as linhas de Cabedelo, Bayeux e Santa Rita na integração
no  modus operandi pessoense? Fidelizar os passageiros e ter uma
estratégia de concorrer com os clandestinos. Alguém que saísse de Tibiri com
destino a Mangabeira só pagaria uma tarifa, tal como o caminho reverso. Pagar
um alternativo e posteriormente pagar a passagem de ônibus pesaria mais no
bolso. E para ingressar no Terminal de Integração do Varadouro a passagem
poderia ser o valor praticada em João Pessoa. Enfim, a temática gera um bom
debate, mas no momento é pouco provável que este “sonho” ocorra.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.