Comil fecha fábrica de ônibus em Lorena

Fonte: Agora Vale
Fotos: JC Barboza / Divulgação



O setor industrial brasileiro é o que mais sente o
impacto da crise econômica no país, que fez mais uma vítima. Agora, foi a vez
da Comil, uma das principais montadoras de ônibus do país, a anunciar o
fechamento de sua unidade em Lorena.

A
empresa, que tem sede em Erechim-RS, inaugurou sua planta no Vale do Paraíba em dezembro de 2013, com a presença do
governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A fábrica de Lorena contou na época
com investimentos de R$ 110 milhões e pretendia empregar 500 funcionários
quando estivesse operando com toda a sua capacidade. Com a economia em recesso,
 já em maio do ano passado a montadora demitiu 50 funcionários.

A
notícia foi recebida com muito pesar pela Prefeitura de Lorena, que reitera
todo empenho ao longo do último ano para evitar que tal medida fosse adotada
pela fábrica. A demonstração do esforço da atual administração em ajudar a
empresa fica claro inclusive em trecho da nota oficial emitida pela Comil ao
anunciar o fechamento da planta.

Nota Oficial da Empresa Comil:

“A COMIL ÔNIBUS S.A. anunciou hoje a
paralisação das atividades de fabricação da sua Planta Industrial de Lorena,
necessária devido à crise sem precedentes do mercado do ônibus no país que,
associados a outros fatores políticos, sociais e econômicos, reduziram o
mercado interno de ônibus em 16% em 2014 e 45% em 2015, somando mais de 50% nos
últimos dois anos, agravado por forte redução nos preços praticados no mercado
de carrocerias e sem perspectivas de retomada do mercado a médio prazo.
Ao longo dos últimos meses a Companhia,
Funcionários e Entidade Sindical adotaram diversas ações na tentativa de
superar ou minimizar o forte impacto da instabilidade econômica objetivando
manter a atividade industrial. Infelizmente, estas ações, associadas aquelas
adotadas na unidade matriz, não foram suficientes para compensar a brutal queda
no mercado de ônibus e a consequente redução no volume de produção, tornando
insustentável a continuidade das atividades industriais da planta de Lorena.


Ao longo de 2015, a Prefeitura envidou esforços
para auxiliar a Comil a buscar soluções para reduzir o impacto desta forte
crise que estamos enfrentando. Porém, em virtude de todo o contexto não há mais
que possamos fazer e nem o poder público de Lorena.


A Companhia lamenta se somar a outras empresas que,
diante deste cenário, também encerraram atividades e fecharam estabelecimentos,
especialmente considerando o elevado investimento feito na região.


Embora todas as dificuldades decorrentes, a
Companhia está envidando todos os esforços para minimizar os impactos
decorrentes da decisão ora comunicada e garantir o cumprimento de todos os
deveres trabalhistas e sociais, como sempre o fez. Será mantido alguns
funcionários para realizar as atividades de transição e conservação do
patrimônio.
A Comil reafirma o seu compromisso com o mercado
nestes mais de 30 anos de atividade e reforça que a Planta de Erechim, que
conta com capacidade de produção de 4.000 ônibus/ano, segue operando,
produzindo todos os modelos de carrocerias e atendendo todas as demandas do
mercado interno e externo.
A Companhia desde já expressa o infinito
agradecimento pela dedicação de seus funcionários, e apoio da comunidade e
administração pública local.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Busscar Vissta Buss DD da Auto Viação Catarinense A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental