Para Seturn, tarifa ideal seria R$ 3,19

Fonte: Tribuna do Norte
Texto: Marcelo Lima
Foto: Rodrigo Gomes
Com os cálculos do Sindicato das Empresas de Transporte  Urbano de
Passageiros de Natal (Seturn), o valor da passagem de ônibus em Natal
seria R$ 3,19. Conforme a entidade, esse preço equalizaria as perdas
acumuladas com a inflação há cinco anos, reajuste de encargos sociais e
redução de passageiros pagantes de tarifa inteira e permitiria manter a
renovação da frota. “O principal argumento para o reajuste é a inflação
do país. Pegando janeiro de 2011, quando a tarifa era R$ 2,20, até hoje,
a tarifa foi reajustada em 20,5%. E nesse mesmo período, a inflação dá
40,6%. Isso mostra que a tarifa está completamente desatualizada”,
comparou Nilson Queiroga, consultor do Seturn.

Ainda de acordo com o sindicato, uma tarifa de R$ 3,10 cobriria apenas
as perdas inflacionárias. Mesmo assim, esse valor representaria um
aumento no bolso do trabalhador de 31,91%  em pouco mais de seis meses.
Em julho de 2015, a passagem de ônibus em Natal passou de R$ 3,35 para
R$ 3,65. Em dezembro  passado, o Seturn protocolou junto à Secretaria de
Mobilidade Urbana de Natal (STTU) um pedido de atualização da planilha
de custos que embasa o reajuste da tarifa.

O sindicato patronal
preferiu utilizar um longo período para fazer a comparação entre o
reajuste da tarifa e a inflação oficial. Mas quando se compara  períodos
mais curtos, é possível observar que o reajuste da tarifa de ônibus é
sempre superior a inflação. Exemplo disso é o mais recente aumento
quando a tarifa saiu de R$ 2,35 para R$ 2,65. Apesar do reajuste de
12,76%, a inflação acumulada de  julho de 2014 a julho de 2015 foi de
9,57%. Um novo aumento da tarifa para R$ 3,10 representa um reajuste de
16,98%. Porém, a inflação de julho de 2015 até dezembro foi bem menor:
4,24%.

O consultor do Seturn informou também que o preço do que
se chama de “passageiro equivalente” caiu 5,7% ano passado. Esse
conceito é um cálculo que soma os passageiros pagantes da tarifa inteira
com os passageiros beneficiários de alguma faixa de desconto,
considerando o que cada categoria representa no conjunto total de
passageiros. “Se esse passageiro equivalente cai, então aumenta a
tarifa. Se três pessoas vão pagar um táxi e dá R$ 300, os três pagam R$
100. Mas se um chega e diz que não vai pagar porque tem mais de 65 anos,
aumenta R$ 50 para os que vão pagar”, exemplificou Queiroga.

Além
da crise econômica, ele acredita que outro fator contribuiu para
redução desse número de passageiros. “Esse número caiu depois dessa
decisão da justiça de pagar a meia-passagem em espécie dentro do
ônibus”, opinou. Apesar dessa tese, o representante do Seturn não
apresentou dados sobre falsos estudantes no sistema.

O consultor
do Seturn falou também que, nos últimos cinco anos, os salários
aumentaram 43%. O valor da contribuição previdenciária vai aumentar este
ano, assim como o combustível dos ônibus. “Corrigindo o preço do Diesel
pelos dados da ANP [Agência Nacional de Petróleo] dá um aumento de 24%
do último reajuste para cá”, acrescentou. 

Como forma de aliviar
a tarifa, o Seturn defende uma redução ou isenção da cobrança de
tributos. Segundo Queiroga, em 20 cidades brasileiras já existe
benefício fiscal para as empresas do setor. “Aqui,  agora está
aumentando ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadoria de Serviços]. O
governo baixa o ICMS para o turista que vem de avião, mas não para o
cidadão que pega ônibus todos os dias”, observou o consultor do Seturn.

O
secretário adjunto de transporte de Natal, Clodoaldo Trindade, diz que
não tem prazo para dar resposta à entidade patronal sobre a atualização
da planilha de custos. “Até agora o setor [da STTU] competente não me
entregou nada”, disse. Só neste ano, pelo menos seis capitais aumentaram
o preço da passagem de ônibus: Belo Horizonte (MG), Boa Vista (RR), Rio
de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Florianópolis (SC) e  Salvador (BA).
Algumas delas tiveram mais de um reajuste em 12 meses. Em resposta,
movimentos sociais pró-transporte público protestaram nas principais
capitais.

O sistema  

Idade dos ônibus em Natal
700 é o número de ônibus urbanos na capital
380 têm mais de sete anos
80 têm mais de dez anos
30 é quantidade de ônibus novos incorporados à frota na sexta-feira passada
4,3% é o que representa os ônibus recém-entregues

Reajuste das tarifas de ônibus entre 2015 e 2016 nas capitais
Belo Horizonte
08/08/2015     R$ 3,40
17/09/2015     R$ 3,10
(por decisão judicial)
25/10/2015      R$ 3,40
03/01/2016      R$ 3,70 

Boa Vista
02/01/2015     R$ 2,80
01/01/2016     R$ 3,10

Florianópolis
11/01/2015     R$ 3,10
03/01/2016     R$ 3,50

Fortaleza
16/01/2015     R$ 2,40
07/11/2015     R$ 2,75

João Pessoa
09/02/2015     R$ 2,45
13/07/2015     R$ 2,70

Maceió
15/02/2015    R$ 2,75
10/01/2016     R$ 3,15

Rio de Janeiro
03/01/2015     R$ 3,40
02/01/2016    R$ 3,80

Salvador
02/01/2015     R$ 3,00
02/01/2016     R$ 3,30

São Paulo
06/01/2015     R$ 3,50
09/01/2016     R$ 3,80

Data de atualização: 11/01/2016.
Fonte: Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa