Conhecendo a Praia do Jacaré

by:

Ônibus UrbanosParaíbaTurismo

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Texto / Fotos: Kristofer Oliveira



A Paraíba possui a capital conhecida pelo sol nascer primeiro no Brasil, devido a sua posição geográfica, graças a Ponta dos Seixas. Se este fenômeno natural matutino já é um espetáculo independente do local em que se esteja, o estado paraibano é privilegiado também em locais em que é possível apreciar o pôr do sol: Casa da Pólvora, Hotel Globo (atualmente em revitalização) em João Pessoa; Lajedo do Pai Mateus em Cabeceiras; Lajedo do Marinho em Boqueirão; Pedra da Boca em Araruna; Pico do Jabre em Maturéia; Pedra do Tendó em Teixeira, etc. Entretanto, o mais conhecido nacionalmente e o mais frequentado é na praia do Jacaré em Cabedelo.


Situado à margem direita do rio Paraíba, a praia do Jacaré é fluviomarinha, isto é, apesar de ser uma praia de rio também sobre influência do mar. Possui uma grande área de mangue, restaurantes, bares e uma feira de artesanato ao longo do calçadão. No seu entorno conta com uma pequena marina em que embarcações ficam ancoradas, além de boates. A origem do seu nome tem duas explicações: A primeira conta que os antigos nativos teriam dado essa denominação tendo em vista que em épocas remotas existia grande quantidade desses animais nos seus lagos e lagoas; A segunda diz que a origem desse nome vem dos anos 40, quando os pescadores viam passar alguns hidroaviões e os achavam tão feios quanto jacarés. E nessa mesma época o local servia como um hidroporto, pois é a melhor parte do rio que proporcionava condições para tal atividade, tanto que os Correios mantinha uma base no local.


Foi através da música que a pequena vila de pescadores e artesãos transformou-se na grande atração turística que é hoje. Até parte dos anos 90, o local era frequentado por praticamente velejadores que atracavam no local ou por donos das embarcações que ficavam ali atracados, lembrando que o bairro de Intermares, considerado nobre, fica em frente ao acesso do Jacaré, separados pela BR-230. Nos anos 80 um dos bares existentes do local colocou um disco para tocar e coincidentemente o Bolero de Ravel tocou justamente quando o sol estava no poente, gerando uma atmosfera ímpar para os presentes com a composição do rio, crepúsculo e a música. A pedido dos frequentadores, a música foi tocada nas semanas posteriores, perpetuando o ritual por vários anos, até chegar a era do CD. O bar fechou mas a idealização do Bolero ficou no imaginário local. No fim dos anos 90 o Jurandir do Sax começou a sua interpretação, se apresentando num bar e anos depois passando a se apresentar dentro de uma canoa. Além do Bolero de Ravel, às 18 horas também as margens do rio o Jurandir do Sax interpreta a Ave Maria.


Atualmente o local foi transformado no Parque do Jacaré e passa por uma grande revitalização. Os bares nas margens do rio foram removidos para otimizar o espetáculo natural e proporcionar um melhor proveito dos seus frequentadores. As obras serão concluídas em 2016 e será um dos melhores locais turísticos do estado. Além do por do sol, o local está sendo aproveitado também por pessoas que buscam práticas desportivas aquáticas, principalmente por praticantes de remo. Em consonância com a revitalização do Porto do Capim em João Pessoa, tem-se uma promessa da criação de uma linha de transporte aquático entre ambas localidades, dando ênfase ao turismo.



Seu acesso dar-se pelo quilômetro 8 da BR-230, sendo bem sinalizada, tanto por quem vem por João Pessoa como do centro de Cabedelo. Também é possível chegar ao local de trem e VLT, pois o local conta com uma estação da CBTU. Ou, quem prefere pegar ônibus, basta descer no Terminal de Integração do Bessa, chegando neste local através das linhas pessoense 513 – Tambaú/Bessa, 601 – Bessa e 603 – Bessa ou da intermunicipal 5103 – Cabedelo/Intermares, fazendo baldeação com a linha 5104 – Jacaré.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.