Vereadores rejeitam PL que previa climatização nos ônibus de Teresina

Fonte: G1 Piauí
Foto: João Victor



Durante sessão ordinária na manhã desta quarta-feira (28) na Câmara Municipal, a maioria dos vereadores rejeitou Projeto de Lei de autoria da vereadora Cida Santiago (PHS). A proposta tornava obrigatória a inclusão do sistema de ar-condicionado no transporte público de Teresina.

Por 11 votos a 10, os parlamentares decidiram pela reprovação do projeto. O líder do prefeito na Câmara, José Ferreira (PSD), disse que a proposta é inconstitucional e justificou que o Plano Diretor de Transportes e Mobilidade Urbana já aprovado na Câmara prevê iniciativa semelhante.

“Esse projeto da climatização dos ônibus já existe no Plano Diretor votado nessa Casa, com um contrato assinado entre a Prefeitura e as empresas que ganharam o consórcio para exploração do transporte público a partir do próximo ano. Os ônibus atuais não têm estrutura suficiente para recebe ar-condicionado. Não podemos botar o carro na frente dos bois”, disse.

Edson Melo (PSDB), que também votou contra o projeto, criticou bastante a proposta e a classificou como demagógica. Durante a discussão do projeto em plenário, o tucano chegou a chamar a autora da proposta de demagoga. Segundo ele, o ar-condicionado colocado em um ônibus velho não vai funcionar.

“Nós entendemos que além de inconstitucional esse projeto é demagógico, para enganar a população. Nós não trabalhamos dessa forma. Teresina vai ter ônibus com ar-condicionado, mas não com esse projeto”, disse.

A vereadora Cida Santiago, autora da proposta, criticou a rejeição e lamentou a forma como o vereador Edson Melo tratou o projeto.

“Nós estamos aqui para lamentar essa tomada de decisão da Câmara Municipal por parte de alguns vereadores. Vamos continuar insistindo porque sabemos que é questão de saúde pública os ar-condicionados nos ônibus. Infelizmente é uma desqualificação do poder quando um dos nossos colegas me chama de demagoga por apresentar um projeto que é de relevância para a população”, falou.

Usuários reclamam

Nas paradas de ônibus da capital, houve quem criticasse a rejeição da proposta. O funcionário público estadual Francisco Xavier de Sousa costuma utilizar o transporte público do Pólo de Saúde até o bairro Porto Alegre, na Zona Sul da capital. Segundo ele, a rejeição do projeto significa falta de compromisso de parte dos políticos com o povo.

“Essa rejeição devia ser revista, porque é preciso tomar uma atitude para acabar com a agonia da população que depende dos ônibus. Há uma grande falta de compromisso de parte da classe política, pois eles foram eleitos para ajudar o povo. O problema é que os vereadores não andam de ônibus”, reclamou.
O estudante universitário Henrique Torres, 22 anos, também recebeu com indignação a notícia de rejeição da proposta. “Ontem mesmo eu peguei um ônibus às 13h completamente lotado para ir até a universidade, um calor insuportável. Esses vereadores precisam conhecer a realidade de quem utiliza diariamente esse transporte público precário de Teresina. Não falta só ar-condicionado, falta compromisso do poder público com o povo”, desabafou.

A vereadora Cida Santiago diz que não vai desistir e promete reapresentar o projeto mais uma vez em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.