JCA fecha “encomenda do ano” da Scania

Fonte: Valor Econômico
Fotos: JC Barboza / Artur Velter


Num momento em que as companhias de transporte coletivo seguram investimentos em frota e o governo, um dos principais clientes, corta drasticamente as compras, a encomenda de uma das maiores operadoras de transporte por rodovias do país deu um refresco para a Scania e a Mercedes-­Benz. Juntas, as duas montadoras receberam pedidos de 195 ônibus, num montante próximo de R$ 100 milhões, do grupo JCA, dono de empresas de viação como Cometa, 1001 e Catarinense.

O maior volume, de 112 coletivos, ficou com a Mercedes, segundo informações da JCA. Já a Scania levou a encomenda de 83 ônibus rodoviários, que, devido ao maior nível de equipamentos e tecnologia embarcada, são os mais caros. Por isso, apesar do número inferior, o contrato arrematado pela marca sueca tem valor maior, somando aproximadamente R$ 60 milhões. “Essa compra representa 20% do que faturamos até agora neste ano”, diz Silvio Munhoz, diretor de vendas de ônibus da Scania no Brasil. Segundo ele, a JCA foi a primeira frotista a fechar um grande negócio com a marca passados nove meses do ano.
 
Números da Fenabrave, entidade que representa as concessionárias de veículos, mostram que as vendas de ônibus no país caíram 29,2% entre janeiro e setembro, comparativamente ao mesmo período de 2014. Parte desse desempenho negativo se deve à redução nas encomendas de ônibus escolares pelo governo federal. Outra parte está ligada a incertezas sobre a economia e desaceleração da demanda por transporte, sobretudo no turismo de negócios.


No caso da JCA, as compras fazem parte de um pesado investimento feito desde 2012 para reduzir a 3 anos a idade média da frota do grupo, que antes disso estava em cinco anos. Ainda assim, a companhia teve que reduzir a velocidade de substituição dos veículos. A companhia, que vinha renovando de 10% a 15% da frota a cada ano, reduziu esse percentual para 7%.


“Estamos apertando onde podemos apertar”, diz Marcelo Antunes, conselheiro da JCA. De acordo com o executivo, um dos inibidores das compras foi o aumento das taxas de juros cobradas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) após a retirada de subsídios do Tesouro, um reflexo do ajuste fiscal.

As encomendas da JCA à Scania, feitas no primeiro semestre, já foram entregues. Os veículos serão usados em linhas operadas por três das seis empresas de transporte de passageiros do grupo: 1001, Expresso do Sul e Rápido Ribeirão Preto. Dos 83 veículos, o maior lote ­ de 69 ônibus ­ foi para a 1001.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
A nova linha Marcopolo G8 Paradiso DD Rota Transportes com soluções Marcopolo BioSafe Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 06/2021 O novo Apache Vip Os raros El Buss da Gontijo Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa