Campina Grande registra tentativa de incêndio a ônibus durante a tarde

Fonte: G1 Paraíba
Fotos: Vítor Oliveira / Mais PB



Dois adolescentes e um jovem de 19 anos tentaram incendiar um ônibus de transporte coletivo na tarde desta segunda-feira (27) na Rua Damasco, no bairro de Santa Rosa, em Campina Grande. De acordo com a gerente de transporte da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), Aracy Brasil, na hora da tentativa, uma viatura da Polícia Militar fazia rondas no local e apreendeu os suspeitos de participação na ação.

Ainda de acordo com Aracy Brasil, o trio mandou o motorista e os passageiros descerem do ônibus, chegou a jogar gasolina, mas não conseguiu atear fogo. Porém, a versão do Corpo de Bombeiros é diferente. Segundo os Bombeiros, o ônibus chegou a pegar fogo, mas as chamas logo foram contidas pelo motorista do coletivo, que ainda conseguiu levar o veículo para a garagem.


De acordo com a PM, com o trio foi apreendido o dinheiro levado do ônibus, fósforos e um simulacro de pistola. Os suspeitos são moradores do Pedregal e têm 14, 17 e 19 anos. Eles estavam com as roupas sujas de líquido semelhante à gasolina. Eles foram encaminhados para a Central de Polícia.
 
O ônibus que sofreu a tentativa de incêndio foi o 444, da linha vermelha da Transnacional. Segundo Aracy, a orientação da gerência de transportes é que as empresas mantenham os carros nas ruas, mas evitem as rotas de difícil circulação.
 
Outro caso

Na manhã desta segunda-feira (27) um ônibus da linha 020 foi incendiado no bairro da Ramadinha, em Campina Grande. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o chamado foi registrado por volta das 11h10 e ainda não havia informações sobre quem ateou fogo no veículo. Ninguém ficou ferido.

Ônibus incendiado 
O incêndio desta segunda-feira acontece na mesma manhã em que um detento foi baleado dentro do Presídio do Serrotão. O homem foi levado para o Hospital de Trauma de Campina Grande e, segundo a unidade de saúde, o estado dele é considerado gravíssimo. Os outros dos detentos da unidade se rebelaram e pedem mudanças nas regras da penitenciária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.